categoria15 category image

Mudando o visual

27 . novembro . 2014

Desde que eu decidi cortar os cabelos radicalmente no final do ano passado (veja o post aqui) estou adorando as fases que um cabelo curtinho propicia para a gente. Não vale a pena mantê-lo apenas no corte retinho, a gente tem diversas cartas na manga para ousar durante o crescimento dele. Hoje vim mostrar pra vocês o meu novo visual aproveitando o comprimento que eu tinha até então. Vamos nessa? ;)

Depois de um corte no estilo Joãozinho (que, por sinal, amei!) resolvi deixar os cabelos crescerem. Na verdade foi mais falta de tempo que decisão própria mas não vem ao caso. Achei incrível como meus cabelos cresceram mais rápidos durante a gestação e espero que seja uma vantagem para o infinito e além! *-*. Essa semana fiquei meio enjuriada com a situação trágica de corte de cabelo a qual eu me encontrava e comecei a pesquisar diversos cortes. Primeiro eu tinha me apaixonado pelos cortes mais curtinhos das “japa girls” que eu encontrei no Tumblr. Todos eles tinham franja e eu já tinha me decidido que, no comprimento de cabelo que eu tinha, uma franja faria toda a diferença. Viajei pela Internet horas a fio na madrugada enquanto o sono não vinha e comecei a ficar com muitas dúvidas: será que o corte ficaria bom para o formato do meu rosto? Será que ia armar e ficar uma juba? Seria mais prático ou mais trabalhoso? Durante essas navegadas, uma imagem me levando a outra, e eu encontro esse corte:

Na hora me veio um click e mudei o rumo da minha pesquisa. A partir de então comecei a ver os diversos cortes de cabelo da cantora Rihanna e quase voltei ao meu Joãozinho de antes. Acho lindo e quando cortei o meu era super prático (apesar de exigir reparos na tesoura com mais frequência). Quando achei esse corte no estilo bob para cabelos curtos eu adorei e fui criando algumas ideias. Eu já tinha decidido ter uma franja, agora só precisava decidir o restante do cabelo. Então fui até minha cabeleireira – que cuida dos meus cabelos há anos – e expliquei o que pretendia.
Como o comprimento dos meus cabelos ainda não permitiam um avanço super bacana no corte, conseguimos deixá-lo maiorzinho na frente e um pouco menor atrás. A franja foi feita como eu queria (repicada na tesoura) e a parte de trás também com um leve repicado e levantadinho.
Durante a gravidez achei que meu rosto, principalmente as bochechas, ficaram mais gordinhas, enquanto o resto do corpo continua só o quimba de magreza mas adorei o corte. Estou ou não parecendo uma mamãe de família? *-*

O cabelo foi secado com secadora e chapado no salão mas acredito que ao lavá-lo poderei deixá-lo mais revoltadinho (coisa que adoro!). Também quero enrolar algumas mechas de cabelo para dar um efeito ousado, acho lindo!

É muito gostoso quando temos a chance de mudar o visual para melhor, não é mesmo? Não sei se os homens sentem essa necessidade mas para a mulher faz um bem enorme, como se fôssemos outra e a energia até renova! Acho que agora estou pronta para começar a nova fase mamãe de primeira viagem. Cada fase da minha vida sendo representada por um corte de cabelo! ;)

Apesar de os modelinhos de corte serem mais compridos, o bacana é tentar adaptar de acordo com a textura, comprimento e cor dos seus cabelos! O corte bob tem essa característica super bacana de deixar a parte de trás mais curta que na frente. É um visual meio antigo (a Victoria Beckham adora) mas vale a pena inovar de acordo com sua criatividade!

Quero mandar um super beijo para a Fatinha, minha cabeleireira que arrasa nos cortes do meu cabelo e consegue deixá-los do jeitinho que eu imagino!


Onde cortar:

Fatis Cabeleireira

Av. Mato Grosso, 3915 – Coophafe
Campo Grande – MS
Telefone:(67) 3029-8405

E então, mocinhas e mocinhos, o que acharam do novo visual da mamãe do Lucca? *-* Espero que tenham gostado tanto quanto eu! Se alguém se aventurar neste corte não esqueça de mostrar como ficou o look!
Beijos di moça!

@blogdimoca no Instagram!

Di Moça :: Colecionando sonhos e palavras! - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015 - Ilustração por Juliana Rabelo