categoria2 category image

The 100 – Os Escolhidos :: Kass Morgan

31 . dezembro . 2014

Eu não poderia passar a última quarta-feira de 2014 sem uma resenha para marcar esse fim, não é mesmo? E para concluir o ano tive a oportunidade de me aventurar em The 100 – Os escolhidos de Kass Morgan, livro que me surpreendeu e compartilho logo abaixo. Vem comigo!

The 100 – Os Escolhidos (The 100 – Book 1)
Autora: Kass Morgan
Ano: 2014
Páginas: 288
Editora: Galera Record

* Livro enviado pela editora como cortesia.

Sinopse:

Desde a terrível guerra nuclear que assolou a Terra, a humanidade passou a viver em espaçonaves a milhares de quilômetros de seu planeta natal. Mas com uma população em crescimento e recursos se tornando escassos, governantes sabem que devem encontrar uma solução. Cem delinquentes juvenis — considerados gastos inúteis para a sociedade restrita — serão mandados em uma missão extremamente perigosa: recolonizar a Terra. Essa poderá ser a segunda chance da vida deles… ou uma missão suicida.

Créditos: Skoob

Há três séculos atrás uma guerra nucelar e biológica ameaçou destruir a Terra, tornando o espaço a única opção para aqueles suficientemente afortunados para sobreviver os primeiros estágios do Cataclismo. Vivendo em uma enorme nave espacial, a Colônia, uma missão perigosa e importante está prestes a ser desenvolvida. O centro de detenções está sendo esvaziado hoje. Uma centena de criminosos sortudos vai ter a chance de fazer história. 100 deles vão para a Terra. Se tiverem sucesso, suas infrações serão perdoadas e serão capazes de começar novas vidas na Terra.

Clarke Griffin tinha sido Confinada por traição, mas a verdade era muito pior do que qualquer um poderia imaginar. Mesmo se, por algum milagre, ela fosse perdoada em seu rejulgamento, não haveria um verdadeiro indulto. De acordo com a lei da Colônia, adultos eram executados imediatamente após a condenação e menores eram confinados até completarem 18 anos, quando recebiam uma última chance de se defenderem. Clarke estava prestes a completar 18 anos e é uma das escolhidas a fazer uma visita à Terra.

Assim que Wells, filho do Chanceler Jaha, tinha descoberto que Clarke estaria entre os cem enviados à Terra, ele tivera que fazer algo para se juntar a eles. E, como o filho do Chanceler, apenas a mais pública das infrações o levaria ao confinamento. Para o Chanceler, nada poderia justificar atear fogo na Árvore do Éden, a muda que tinha sido trazida a Phoenix logo antes do Êxodo. No entanto, para Wells, aquilo não tinha sido uma escolha

Para Bellamy deixar que sua irmãzinha Octavia partisse nessa expedição sozinha era o mesmo que abandonar suas promessas e permitir que O fosse à execução. Agora ela estava recebendo uma segunda chance na vida e ele fazia questão de que ela aproveitasse. Ele iria à Terra com sua irmã e fará qualquer coisa para ser membro dessa expedição, nem que para isso precise ameaçar o Chanceler.

Glass Sorenson, ao contrário de seus colegas de Confinamento, precisa aproveitar o rebuliço causado por Bellamy e escapar dessa expedição para encontrar seu grande amor, Luke, e explicar de uma vez por todas o motivo de seu Confinamento.

Assim que os cem condenados são enviados à Terra muitas aventuras e desventuras estarão esperando por eles. Destinados à provar de que o ambiente é receptivo para começarem a recolonização, Clarke, Wells e Bellamy enfrentarão o desconhecido planeta Terra e terão que sobreviver com o que lhes foram proposto. Apesar da liberdade, será seguro estar entre 100 condenados à execução? Os cem podiam ser os primeiros humanos a chegar no planeta em três séculos, mas eles não estavam sozinhos. Alguns nunca tinham ido embora.
Não muito diferente, Glass terá que enfrentar seu passado, seu presente e até mesmo seu futuro na Colônia e os motivos que levaram o Conselho a despachar os condenados à Terra.

Preciso dizer que eu gostei muito da proposta de Kass Morgan em Os Escolhidos, primeiro livro da série. Para quem não curte enredos que se desenrolam no espaço (essa sou eu), fiquei maravilhada com o desenvolvimento e estrutura do mesmo. Narrado em terceira pessoa, cada capítulo é focado em um personagem principal (Clarke, Wells, Bellamy e Glass) de forma que, em um determinado momento, as histórias se cruzam espontaneamente. Outra característica que Kass usou foi voltar no tempo e discorrer sobre o passado de cada personagem, nos deixando a par dos acontecimentos anteriores ao presente. Esse recurso presente-passado foi muito bem sinalizado e nos permite conhecer a vida dos personagens antes de serem confinados para execução.

Nos primeiros capítulos do livro acreditei que todos os outros seriam focados na sobrevivência dos personagens na Terra mas, graças à Glass que fica na Colônia, a mistura de Terra e espaço tornou a leitura mais fluente.
Os meus capítulos preferidos, com certeza, foram os da Glass (apesar de, no começo, ela aparentar ser frágil demais) e de Bellamy (que achei ser mulher mas é um homem), mais audacioso e irônico.

Enquanto a leitura se desdobrava eu ficava mais alerta e impressionada com as conexões feitas por Kass, nos dando um gostinho de “quero o próximo livro para hoje!”. O final foi bem intencionado, nos deixando curiosos para a continuação das histórias, tanto na Terra quanto no próprio espaço.

Fico muito satisfeita com minha última leitura e resenha de 2014 e tenho o prazer de lhes recomendar a leitura para todos que gostam de uma história bem desenvolvida com personagens e cenários envolventes com gostinho de “preciso do próximo livro!”

Alguém aí já leu Os Escolhidos? Vale lembrar que há uma série homônima baseada no livro e fiquei super interessada em assistir. Pelo trailer é perceptível mudanças nas informações mas dá para encontrar semelhanças.

Espero que tenham gostado e deixem nos comentários o que vocês acharam do livro ou da série, ou se vocês ficaram interessados nos mesmos!
Beijos di moça!

Stephanie Perkins

Kass Morgan é uma escritota de fição Young Adult e autora da série The 100, livro que inspirou a série homônima. Morgan nasceu em Nova York e mora no Brooklyn. Estudou literatura no Brown e Oxford e uma fã de fição científica e romances vitorianos.


Twitter da autora | Site da Galera Record
categoria2 category image

Lançamentos Literários (Novembro)

26 . novembro . 2014

Que saudades dos posts em que compartilho os lançamentos literários do mês com vocês! Apesar de, na maioria das vezes, passar vontade eu adoro divulgar essas belezuras! Aliás, é um ótimo momento para atualizar a sua wishlist!
Vamos conferir os lançamentos do mês de Novembro? \o/

Apenas editoras parceiras. Veja aqui as editoras parceiras do Di Moça.

Intrínseca


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais


Saiba Mais

Geração


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Suma de Letras


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Novo Conceito


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais


Saiba Mais

Arqueiro


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais


Saiba Mais

Saiba Mais

Novo Século


Saiba Mais

Companhia das Letras / Seguinte


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Grupo Record


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais


Saiba Mais

Saiba Mais

Galera Record


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Aaahhhh, me descontrolei fazendo esse post, sério! Quantos lançamentos maravilhosos, peloamor! Nem terminei de ler os que tenho em casa e já quero (urgente) esses de Novembro! Destaques para os livros O presente do meu grande amor, Doutor Sono, Anexos, After, O Leopardo e A noiva é tamanho 42!
Poxa, será que o Lucca vai me perdoar se eu deixar pra comprar o bercinho dele só mês que vem? #alouca
Conte aqui pra gente quais livros te fariam adiar aquela compra super importante! \o

Beijos e até o próximo post!

categoria2 category image

Limiar :: Jessica Warman

26 . dezembro . 2013

Última resenha do ano e blog tinha que fechar com chave de ouro. A Galera Record tem sido uma das editoras mais presentes na minha vida e no blog também! Apesar de eu ter desleixado com muitas editoras, agradeço de todo o meu coração pela confiança e credibilidade que cada uma aposta aqui! Torço para que em 2014 tenhamos mais momentos juntos (Bienal, oi?) e muitas resenhas incríveis!
Apesar de Limiar não ser um dos últimos lançamentos da Galera Record de 2013, acredito que a leitura veio na hora certa. A minha mente e o meu coração estiveram aberto para qualquer tipo de suspense oriundo da autora, Jessica Warman, e tive bons momentos com a trama.

Limiar (Breathless)
Autora: Jessica Warman
Páginas: 392
Editora: Galera Record

* Livro enviado pela editora como cortesia.

Sinopse:

Liz Valchar sempre teve tudo o que poderia desejar. Dinheiro, beleza, um namorado perfeito e, agora, uma festa de aniversário no iate particular, na companhia de seus cinco melhores amigos. Mas quando ela acorda no dia seguinte, percebe algo errado. Boiando na água, bem ali, entre o barco e o cais, está o corpo de uma adolescente. Ao observar melhor, Liz percebe horrorizada, que aquele é o seu corpo. E que ela está morta. A única companhia dela é Alex, um menino que morreu um ano antes em um acidente de carro. Juntos, tentarão solucionar o mistério da morte dela, reconstruindo seus últimos dias de vida.

Créditos: Skoob

“Só seremos jovens assim uma vez: lembre-se disso para sempre.”

Nesta noite, o barco Elizabeth acomoda seis pessoas para comemorar o décimo oitavo aniversário de Elizabeth Valchar. Apesar de o aniversário ser, oficialmente, às 1h37, não há ninguém acordado no barco a não ser Liz. Este é seu lugar favorito no mundo. Ali, dentro daquele barco. Estar com seus amigos o torna ainda melhor, se é que isso é possível. Tudo parece tranquilo e em paz. A quietude da noite parece quase mágica. Quase. Um barulho insistente de batida persiste em incomodar. Talvez seja um peixe ou uma lata de cerveja… Mas não é um peixe; é uma pessoa. Uma garota. O cabelo dela é comprido e louro, quase branco, e a cor bonita e natural cintila debaixo da água. As mechas onduladas, que se movimentam como algas, chegam quase até a cintura dela. Está usando jeans e um suéter cor-de-rosa de manga curta. A garota na água é a própria Elizabeth.

“Eu me dou conta de que a personalidade de alguém nunca é preta e branca. Tem muitos tons de cinza.”

Apresentado em primeira pessoa, Elizabeth Valchar acaba de descobrir que está morta. Ninguém teve que contar pra ela, o que seria irônico da mesma forma, mas ela viu seu próprio corpo boiando na água perto do barco. Pronta para surtar, Elizabeth tem como companhia quase imediata o insignificante garoto Alex Berg. Eles estudaram juntos a vida toda mas não é isso que torna Alex diferente. Ele também está morto. Foi em setembro, logo depois que as aulas começaram, ele estava indo para casa de bicicleta depois do trabalho (ele trabalhava no Mystic Market, no fim da rua onde Liz morava) quando um carro o atingiu e o matou. O corpo dele foi jogado na vegetação que margeava a rua. Apesar de os pais dele terem comunicado seu desaparecimento logo, ele foi lançado tão longe que demoraram dois dias para encontrá-lo. E agora ali estava o garoto, a única companhia de Liz. Por que nenhum dos amigos de Liz conseguem vê-la? Seus pais, seu namorado, ninguém? Nem mesmo sua mãe, a falecida Analisa Valchar, veio do além para buscá-la? Ainda na Terra, com Alex, observando e esperando, mas o quê? Por que ainda estão aqui? O que devem fazer? Juntar peças, de acordo com Alex, mas para formar o quê?

“Não há lugar para ir que não cause sofrimento. Não há nada a fazer a não ser esperar.”

Joe Wright é o detetive responsável pelo acidente do barco. E eis o final da história: ela estava bêbada, teve queda de açúcar no sangue e foi tomar ar lá fora. Tropeçou e caiu do cais. Ninguém viu nada. Ninguém ouviu nada. Ponto final. Mas alguma coisa ainda não se encaixou bem. Talvez as pessoas lidem com a morte de várias maneiras. Ao que parece, a família Valchar está tentando deixá-la partir sem muita confusão: estão dando suas coisas. O senhor Valchar está afundando a tristeza em álcool. Sua irmã postiça (Josie), embora esteja claramente sofrendo, ainda quer o namorado de Liz (Richie) para si. Liz tenta se assegurar de que nenhum dos seus amigos faria nada contra ela. Afinal de contas, que razão algum deles poderia ter tido?
As únicas pessoas que estavam naquele barco, naquele dia, eram seus melhores amigos.

“Você precisa ter cuidado com quem você anda. Suas prioridades não estão focadas na coisa certa. Você talvez se arrependa um dia.”

Mera Hollinger: 18 anos. Cabelo louro, longo e com luzes, assim como o de todas as outras amigas. É nadadora e é muito boa nisso. Também é meio burra. Ela é toda beleza e talento atlético, mas sem cérebro algum. De todos eles, é a de que menos gosta. Topher Paul, namorado de Mera, 18 anos recém-completados. O filho único de pais ricos que o mimam como se ele fosse um presente de Deus para o mundo. Ele tem tendência a acesso de raiva, que às vezes são difíceis de lidar, mas no fundo é um cara legal. Caroline, 17 anos, tão doce e ingênua quanto alguém pode ser. É a mais nova das quatro garotas. Conseguiu ser a chefe da equipe de líderes de torcida com 16 anos. Ela é famosa por dar festas fantásticas. Richie Wilson, quase 18 anos. Também conhecido na escola como o Famoso Richie Wilson. É a pessoa mais inteligente que ela já conheceu. Exala confiança. Mas Richie tem um problema com drogas, seu maior defeito. Liz não se importava muito com isso; era inevitável amá-lo de qualquer jeito. E Josie Valchar, 17 anos, seis meses mais nova do que Liz. Embora seja filha da sua madrasta (Nicole) elas são como irmãs. Qual a missão da alma de Elizabeth neste mundo?

“- Foi divertido passar um tempo com a rainha do baile. Mas toda festa precisa acabar alguma hora.”

Neste mundo paralelo entre realidade e lembranças, Elizabeth terá que relembrar sua vida na Terra para desvendar o mistério da sua morte. Um quebra-cabeça. Mas ela não tem ideia de como será a imagem quando ele estiver completo, o que dificulta saber por onde começar ou em que peças prestar atenção.
A autora nos trouxe uma trama bem bacana, com um desenvolvimento convincente mas que poderia ter sido explorado com mais ousadia. Afinal de contas temos diversos personagens, amigos de Liz, com características marcantes e, infelizmente, a autora não provou de todas estas ferramentas. Confesso que, por causa da quantidade de personagens e da força que eles possuem dentro da história, eu fiquei na dúvida diversas vezes na hora de culpar a pessoa certa.
OBS: Eu sempre desconfio da pessoa errada. Mas tudo bem. Fica em off.

Para quem gosta de um suspense frágil, um pouco divertido e até despretensioso, vale a pena ler Limiar. Esteja disposto a dar asas à imaginação e embarcar nas lembranças da personagem para montar esse quebra-cabeça cheio de segredos, mentiras e tentações…
Beijos di moça!

Jessica Warman

Jessica Warman é a autora de Breathless, que recebeu comentários positivos e um ALA Melhor Livro para Jovens Adultos, e Where the Truth Lies. A ideia de Between veio de um incidente em sua infância, quando um garoto local desapareceu depois de uma festa em um iate (ele foi encontrado, vivo).


Site da autora | Site da Galera Record
categoria2 category image

O futuro de nós dois :: Jay Asher e Carolyn Mackler

18 . dezembro . 2013

Demorei mas finalmente trago para vocês a resenha de uma história que me fez viajar no tempo, relembrando dos meus bichinhos virtuais, do meu disc man, do meu primeiro computador com tela colorida e dos tempos que em que o futuro parecia simplesmente fantástico! Jay Asher e Carolyn Mackler nos mostra, de forma divertida e fofa, que o futuro é ainda mais frágil do que pensávamos. E as repercussões são impossíveis de prever.

Pandemônio #2 (Pandemonium #2)
Autores: Jay Asher e Carolyn Mackler
Páginas: 384
Editora: Galera Record

* Livro enviado pela editora como cortesia.

Sinopse:

É 1996, e menos da metade dos alunos das escolas de ensino médio nos Estados Unidos já tinham usado a internet. Emma acaba de ganhar o primeiro computador e um CD-ROM da America Online de Josh, seu melhor amigo. E ao instalar o programa, logo no primeiro acesso, descobrem que acabam de entrar no Facebook, dali a quinze anos. Todos se perguntam como será o futuro. Josh e Emma estão prestes a descobrir…

Créditos: Skoob

“- O passado já foi. Podemos ler sobre ele nos livros de história. E, se no futuro estivermos em guerra outra vez, ou se ainda não tivermos eleito um presidente que não seja branco ou que não seja homem, ou se os Rolling Stones ainda estiverem arrastando o traseiro cansado no palco? Isso iria me deixar deprimida demais.
– Espero que o futuro seja melhor do que agora – observo, apesar de não ter certeza se vai ser.”

Emma Nelson tem dezesseis anos e acaba de ganhar um computador com tela colorida do seu pai como um pedido de desculpas. Gale Nelson é dono de fazer essas coisas, dar presentes como pedido de desculpas e, dessa vez, com um filho à caminho, o computador com Windows 95 é o mais novo integrante da vida de Emma. Se você se lembra da época da dial up connection vai entender muito bem a surpresa de Emma ao receber de Josh Templeton, seu vizinho e amigo, um CD-ROM da AOL para que ela pudesse navegar na Internet e criar um e-mail bacana. Porém, o computador de Emma apresenta um pequeno erro e, de repente, volta a funcionar. Ela fica observando o papel de parede de tijolos no computador (quem se lembra desse papel de parede? o/). A página que está à mostra é chamada de Facebook e é tudo muito estranho porque, na página virtual, aparece uma mulher com trinta e tantos anos, que se chama Emma Nelson Jones. Ela estudou em Lake Forest High School anos atrás e, por acaso, faz aniversário no mesmo dia que Emma. Só que, mesmo que todas essas coincidências sejam verdade, por que ela foi aparecer no computador dela?

“Uma pequena onda criada hoje pode causar um tufão daqui a quinze anos.”

Com medo de ser realmente uma pegadinha dos amigos da escola ou um vírus, Emma vai até Josh para lhe mostrar a nova página. Ao visualizarem, juntos, a página do Facebook, novas atualizações se destacam na tela inicial, confundindo os dois amigos. E o maior susto é quando eles percebem que as atualizações estão acontecendo naquele exato momento mas quinze anos depois… Como é possível ler a respeito de algo que ainda não aconteceu?
A partir daí, Emma e Josh estão determinados a conferir o futuro e como lidar com ele. Porém, quando o futuro não reserva grandes conquistas, como reagir a isso? Emma Nelson Jones é uma mulher desempregada. Uma trintona com a carreira fracassada. Enquanto isso, Josh é casado com uma supergostosa, uma das melhores atletas da escola Lake Forest High School, Sydney Mills, e têm dois filhos lindos.O único problema é que Josh e Sydney estão juntos na aula de comportamento social, desde janeiro, e nunca trocaram uma única palavra.

“Se aquele é mesmo o meu futuro, e eu não sou feliz, talvez seja melhor não saber até chegar lá.”

Agora Emma quer fará de tudo para mudar o seu futuro fracassado e, toda vez que muda suas decisões no presente, as reverberações no futuro são ainda piores. Sua melhor amiga, Kellan, pode não ser sua melhor amiga daqui a quinze anos; um tal de Kevin Storm pode ser o novo marido; e Josh pode desaparecer pra sempre da sua vida. Porque, verdade seja dita, a gente não pode ficar mexendo com as coisas, tirando os detalhes de que não gostamos. Se Emma mudar o marido dela também muda o futuro de Josh e de seus amigos, o que torna tudo ainda mais frágil do que parece. As repercussões são impossíveis de prever.
Mesmo que Emma tente fazer tudo certo, o efeito de reverberação é inevitável. A vida dos personagens Emma e Josh mudou no momento em que ela descobriu o Facebook.
Em O futuro de nós dois, Emma e Josh descobrirão que esse “pequeno erro” não tem nada a ver com o futuro. Talvez tenha tudo a ver com o que acontece agora.

“Assim, sem mais nem menos, o futuro é transformado para sempre.”

Sabe aqueles livros “fofos-de-morrer” e que faz você voltar no tempo? Não como “Uma dobra no tempo” ou “De volta para o futuro” mas lembranças de momentos que tornaram o que você é hoje. Compliquei, né? Bom, a história se passa em 1996 e, claro, temos diversos itens e características que despertam as memórias daqueles tempos.
A narrativa é super gostosa, os capítulos são intercalados entre Emma e Josh (cada capítulo narrado pelo personagem específico) e a história toda se passa em menos de uma semana! Adorei as reações dos personagens diante do futuro e do Facebook, uma das redes sociais que já nos define como viciados em tecnologia.
Outro detalhe bacana é que os personagens não vão até o futuro, eles apenas vislumbram a si mesmos pela página do Facebook, quinze anos depois. Nada de viagem no tempo, fiquem tranquilos. Ao mesmo tempo que parece “viagem total dos autores” eu gostei dessa temática mais leve e cheia de significados.

“- É melhor se concentrar naquilo que você, de fato, quer.”

Apesar de o livro ser lançamento, a galera que viveu a (pré) adolescência nos anos 90 irá se identificar mais com a história, o romance delicado, as mudanças e contrastes entre aquela época e a atualidade. Poxa, que saudade me deu da época em que eu acessei pela primeira vez a internet discada. A gente tinha que “plugar” o fio da internet no lugar do telefone e, enquanto você estivesse navegando, o telefone ficava ocupado. Que mudança, né! E a lentidão? Eu queria morrer! Ainda mais quando meus pais impuseram a regra de entrar na internet aos sábados, depois das 14h e no domingo porque a taxa era uma só. Ai ai, só de lembrar eu começo a rir sozinha.

Não esperem um romance super açucarado ou personagens lindos-de-morrer. São todos adolescentes vivendo como adolescentes na década de 90. E é tão gostoso sentir a inocência dos personagens quando se fala de beijo e sexo. Posso ser sincera? Sinto falta de personagens mais virtuosos.

Você, que é criança ou adolescente e está lendo esta resenha, me diz: você conhece o vídeo cassete? Ou o bichinho virtual? Ah, sem esquecer dos CD’s da AOL que nos davam sete dias de acesso – lento – grátis na Internet.
Se você não conhece nenhum desses itens, pergunte para os seus irmãos mais velhos ou seus pais e eles te contarão boas histórias sobre esse momento.
Beijos di moça!

Jay Asher e Carolyn Mackler

O primeiro romance de Jay Asher, Thirteen reasons why, é um best seller do New York Times traduzido para mais de 30 países e com milhões de exemplares vendidos nos Estados Unidos. Carolyn Mackler já foi publicada em mais de 15 países; vencedor do Printz Honor é autora de The Earth, my butt and other big round things, Tangled, entre outros.


Site da Galera Record

@blogdimoca no Instagram!

Di Moça :: Colecionando sonhos e palavras! - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015 - Ilustração por Juliana Rabelo