categoria15 category image

Zoella conta sobre ansiedade e crises de pânico

15 . junho . 2014

Se você não tem ideia de quem seja Zoella, não tem problema, logo aqui embaixo tem um pequeno quadro sobre o que você precisa saber sobre ela. Mas o que você talvez não saiba e que eu não sabia (e me deixou totalmente aliviada, confusa e confiante) é que Zoella, um dos ícones vlogueiros de moda e beleza, sofre de ansiedade e crises de pânico.

Zoe Elizabeth Sugg nasceu em Março de 1990 e é um dos ícones mais acessados e conhecidos na área de moda e beleza na rede social Youtube. Mais conhecida como Zoella, a garota tem todo o talento tal qual seu irmão Joe Sugg (mais conhecido na rede social como ThatcherJoe) e chegou a atingir cinco milhões de inscritos na sua rede social. Zoella já foi indicada para diversos prêmios de moda & beleza, ganhando o Cosmopolitan Blog Award, em 2011, na categoria “Best Established Beauty Blog”.

Youtube | Facebook

Para quem ainda não conhecia o Di Moça (também), um dos principais objetivos de eu ter criado um blog foi a terapia que encontrei através da escrita e da leitura para lidar com minhas crises de pânico e depressão. Se essa é sua primeira visita ao Di Moça, bem, primeiramente seja bem vindo(a) e, depois, você pode acessar esse vídeo e saber um pouquinho mais sobre a gente!

Resumindo, quando você não representa muita coisa no mundo ou quando você não é famosa o suficiente para ser reconhecida, sofrer de um distúrbio (seja ele qual for) ou alguma crise psicológica te torna ainda menor do que você aparentemente é. Quando fui diagnosticada com crise de pânico, aos 21 anos, achei que seria isolada do mundo por ser mentalmente instável em momentos específicos da minha vida. Com o tempo e a ociosidade eu comecei a arte de futricar a vida de outros seres humanos (tão simples quanto eu) que sofriam desses ataques inoportunos e – desculpem o palavreado – cretinos. Claro que os primeiros links e mensagens que eu encontrei foram de pessoas famosas, essas que a gente imagina ter a vida mais que perfeita. Quando eu iria supor que pessoas – digamos, bem vividas – sofreriam da mesma merda que eu?

Com o tempo (me refiro, com o passar dos anos) as crises de pânico, ansiedade e depressão começaram a ter um pouco mais de destaque na mídia. E sabe o que eu fiz? Fiquei com um puta baita sorriso no rosto. Pois é, egoísmo de um lado, do outro, as a verdade é que não há coisa melhor saber que existem pessoas que sabem o que você está passando porque sofrem do mesmo mal. Porque, até então, quando você simplesmente menciona o fato de ter ou ser alguém diferente do habitual, você não recebe nem o respeito, imagine o mérito.

Hoje, quando acessei minha lista de inscrições no Youtube e encontrei o vídeo da Zoella com o título Anxiety Q&A, quase caí da cadeira! Porque, como eu disse antes, a gente jamais espera uma pessoa (aparentemente) bem vivida sofrendo de um mesmo distúrbio que o seu! É por isso que eu fico aliviada e contente em compartilhar o vídeo que a Zoella fez com tanto carinho tirando dúvidas dos leitores sobre síndrome do pânico e ansiedade! Afinal de contas, são quase cinco milhões de inscritos em seu canal no Youtube, ou seja, são quase cinco milhões de fichas caindo e entendendo que síndrome do pânico não é frescura alguma!

No vídeo, Zoella afirma se lembrar das suas primeiras crises em torno dos 14 anos em uma festa na casa de alguns amigos. Um dos problemas, para Zoella, é se lembrar das crises e dos ataques que teve durante os anos mas se lembra de algumas crises bem fortes quando, por exemplo, esteve em Los Angeles, quando viajou de avião pela primeira vez e dentro de uma estação de trem. A sua última crise foi em Nova York, quando foi gravar um vídeo para o “Vlog Month” na casa de um casal conhecido.
Zoella nos oferece algumas dicas de como lidar com as crises de pânico e as achei super válidas. Claro, vale lembrar que cada pessoa enfrenta consequências e reações diferentes, afinal de contas, cada pessoa desenvolveu a crise por motivos (também) diferentes. Mas o que vale a pena lembrar é que você (ou quem você conhece e sofre de crises de pânico) não está sozinho! É impossível querer seguir adiante por si só. Acredite, não é! Seguem algumas dicas da Zoella que eu achei muito significativas:

♥ Confie em alguém para conversar sobre o assunto. Pode ser o seu melhor amigo, seu professor ou até um profissional qualificado no assunto, o importante é expor o que você está sentindo/passou durante a crise;

♥ Se você é o ouvinte, não se considere azarado; se uma pessoa que sofre de crises de pânico confiou a tarefa em ti então sinta-se importante. Se puder, reserve os minutos para ouvir e acalentar a pessoa da melhor forma possível. Olhe para o relógio ou se preocupe com outras atividades nos próximos minutos após ter ajudado alguém. Sua atenção é muito importante para nós;

♥ É importante detectar o que faz ou o que facilita as suas crises de pânico surgirem com mais frequência; algumas pessoas detectam durante um momento em que se encontram enclausurados, como em viagens de ônibus, avião ou trem. Outros se sentem ameaçados no meio de muitas pessoas. Quando esses momentos são detectados também são evitados com frequência, mesmo não oferecendo “risco” algum. Enfim, é importante você encontrar seu momento “dinamite” e procurar alternativas que te ajudem a passar por essa tempestade;

♥ Nem sempre é fácil sair de um local propenso a lhe causar crises para um ambiente mais favorável. Seria bom se pudéssemos estalar os dedos e ir para o nosso paraíso particular. Mas, para Zoella, salvar uma playlist de sons relaxantes ou sons que lembrem a natureza, praia, pássaros ajuda muito a fugir do ambiente estressante. Durante um passeio de trem, por exemplo, a garota se sente à vontade para colocar os fones de ouvido, dar um play na sua lista de músicas relaxantes e se imaginar naquele cenário confortável (comigo já não funciona);

♥ A respiração tem tudo a ver na hora de lidar com uma crise de pânico ou ataque de ansiedade. Existem diversos exercícios, terapias, meditação,(yoga) que ajudam na hora de inspirar e expirar durante as crises! Esse exercício da respiração no saco de papel eu ainda não tentei mas irei, afinal de contas sempre vi nos filmes e acho chique!

Infelizmente, uma das características de quem sofre crises de pânico é se importar (além do que deveria) com a opinião dos outros. Ou seja, às vezes não é fácil desagradar alguém com um “não”. Acredito que este seja uma das piores consequências das crises de pânico. Além disso, é bem possível que eu tenha recusado mais oportunidades ao invés de tê-las aceitado e essa é uma outra característica que me impede de seguir adiante no mesmo ritmo que outras pessoas.
Em todo o caso, não sei como você chegou aqui ou se você já conversou comigo sobre crises de pânico, o que eu quero e preciso dizer é muito obrigada. Obrigada por ter confiado a mim um pedacinho dos seus medos e anseios; obrigada por ter me conhecido e me aceitado com crises e ansiedades, afinal de contas, são meus pedacinhos errados que me aproximaram você. Obrigada pela paciência, pela atenção, pela curiosidade e por – a partir de agora – entender que nossas diferenças acabam nos tornando únicos.
Beijos di moça!

categoria15 category image

Os melhores cortes (curtos) de cabelo!

20 . maio . 2014

No finalzinho de 2013, quase chegando 2014, resolvi cortar meu cabelinho bem curtinho. Eu precisava de uma simbologia bem forte que representasse minhas mudanças de atitudes e pensamentos. Nada melhor que um corte radical que esteja sempre te alertando das suas decisões ao se olhar no espelho, ao lavar os cabelos ou até mesmo na hora de “ajeitá-los” com as mãos.
Achei que seria uma catástrofe, já que na minha adolescência eu fiz essa experiência e fiquei simplesmente ridícula. Sério, eu parecia um gurizinho de 15 anos sendo que eu já tinha quase 17 e era menininha. Desde então tinha abolido o corte curto (Joãozinho) na minha vida mas, ao decidir que era importante ter uma simbologia bem representativa na minha vida, decidi cortar os cabelos! *-*

Por incrível que pareça eu amei meu corte (curtinho) de cabelo! A Fatinha cuida dos cortes do meu cabelo desde não-lembro-mais. Claro que confiei nela para fazer essa mudança radical e, como sempre, ela arrebentou!
Não vou mentir para vocês que cabelo curto é a melhor coisa do mundo, porque estaria mentindo feio (oléo de peroba na minha cara, por favor!). Dependendo da textura, do volume e da quantidade de fios de cabelos, o corte Joãozinho pode dar muito trabalho sim. Tem muitas vantagens, mas as desvantagens também aparecem!

Okay, desde então tenho pesquisado novos cortes curtinhos de cabelo para mudar o visual de vez em quando e é genial encontrar vários modelos de cortes curtos! Eu achava que sempre ia ficar com a mesma cara independente de como eu cortasse o cabelo mas me enganei! Já me inspirei em diversos cortes e a Fatinha também usou suas técnicas e criatividade para adaptar o corte ao meu rosto gorduchinho!

Melhores cortes (curtos) de cabelo

Eu não me lembrava desta atriz desde que vi as propagandas e o trailer do filme A Culpa é Das Estrelas!
Tem resenha do livro aqui no blog, corre pra ver!
Shailene Woodley usou esse cortinho especial para gravar o filme e eu amei! Se você quiser vê-la com o cabelo mais comprido, é só assistir ao filme Divergente (resenha do livro aqui) e/ou procurar suas imagens no Google! A diferença é espantosa e, com certeza, prefiro a Shaileninha de cabelos curtos!

Minha inspiração de corte do mês!

Alguém aí assiste The Following? Depois de Friends, esse é meu seriado favorito! Estou acompanhando a segunda temporada e está simplesmente incrível! Valorie Cury chegou surpreendendo com esse corte e essa cor maravilhosa na segunda temporada! Se eu tivesse condições (financeiras, beibe) para fazer isso com meus cabelos, com certeza faria! Mas… não tenho! A franja mais comprida na frente e a parte de trás bem curtinha ficou um charme! Super aprovado!

Atualmente a cantora da banda gospel Jesus Culture, Kim Walker-Smith está com os cabelos compridos mas quando assisti o show da banda (Your Love Never Fails) pela primeira vez, ai que lindo-de-morrer: ela tinha os cabelos bem curtinhos e algumas partes rosa! Confesso que, às vezes, só assistia o show para admirar os cabelos dela! Foi difícil encontrar imagens do corte bem curtinho mas se você quiser olhar de pertinho, pode assistir os shows no Youtube!

Jennifer Lawrence foi a atriz-revelação em 2013 e ainda nos surpreende com o seu talento natural! Me surpreendeu mais ainda quando apareceu com esse cabelo divo, super curtinho, no tapete vermelho! Já usei o corte dela como modelo mas tivemos que fazer algumas modificações por conta do formato do meu rosto! Será que dá trabalho manter as pontas desfiadas à mostra? LoL.

Minha musa inspiradora musical, P!nk (Alecia Moore) me conquistou desde o primeiro CD que acompanhei (Mizundastood) e desde então é uma influência na minha vida (adoro seu estilo, sua performance e jeito natural de lidar com as pessoas). Ela sempre teve os cabelos bem curtos (creio que apenas uma vez apareceu com aplique) e todos eles de um jeito que me conquistou (só que eu não tinha coragem de pensar em cortar parecido). Quando ela apareceu no projeto The Truth About Love com os cantos raspados e os cabelos “lá-para-cimão”, me apaixonei!! Eu ainda penso em fazer algo parecido, será que ficaria estranho? Por enquanto evito qualquer radicalidade por conta do trabalho, caso contrário, passaria a tesoura! *-*.

Um dos desenhos “fora-da-minha-época” que conquistou minha coleção de filmes/desenhos! Se você ainda não assistiu Megamente, está perdendo um dos vilões mais engraçados que existe! Além disso, é impossível não se apaixonar pela trilha sonora, que vai de AC/DC, Guns N’ Roses, Ozzy Osbourne até Elvis Presley!
Quando assisti (novamente) o desenho, reparei no corte de cabelo da personagem Roxanne (interpretada pela atriz Tina Fey) e, ai meu Deus, queria tanto que meu cabelo fosse arrumadinho na vida real! Enfim, sei que é viagem total achar o cabelo de uma personagem animada um dos melhores cortes, mas essa sou eu! *-*

Quem se surpreendeu com o corte da Anne Hathaway no filme “Os Miseráveis”? Gente, que agonia ver aquele cablo lindo-e-maravilhoso sendo raspado (acabei de recordar da nova “Laços de Família”)? Achei muito curto, raspado daquele jeito, mas depois foi crescendo e obtendo um corte muito lindo! Anne é muito linda com qualquer comprimento de cabelo, não é mesmo? *-*
Também já me inspirei no corte dela ao cortar o meu pela primeira vez!

E esse cabelo divo da Victoria Beckham? Eu sempre admirei os cortes de cabelo que ela mantinha, principalmente os curtos! Ela fica muito chique, parece que tem mais presença e o loiro caiu super bem (esse bronzeado é natural? o.O). Estou naquela fase de admirar franjas mais compridas e a parte de trás bem curtinho, sabem?

Por último mas não menos importante, Natalie Portman arrasando na aposta de cabelos hiper curtos! Ela tem um rosto tão delicado que esse corte ficou simplesmente um charme! Acho que vale a pena arriscar depois de ter feito o seu primeiro corte mais curtinho.

E vocês, gostam de cabelos curtinhos ou preferem mais compridos? Compartilhem conosco sua opinião e, se tiver fotos de cabelo curtinho, mande o link para eu conferir! Estou super na vibe de cabelos curtos!
Beijos di moça!

categoria15 category image

Semana de comemorar um ano de Di Moça!

06 . abril . 2014

Foi ontem que caiu a ficha de que o blog completará um ano de vida nesta quinta-feira! Ave Lola, estou com a cabeça em tantos lugares que quase me esqueci de comemorar essa data tão importante para mim! Afinal de contas, quem é blogueiro sabe, ter um blog e mantê-lo ativo por 365 dias não é fácil. Exige muito mais do que imaginamos. Por exemplo, é difícil renunciar seus cochilos nos finais de semana ou aproveitar aquela preguicinha de domingo com os pés para cima e esperando o dia passar. Para o Di Moça, o blog precisa estar todos os dias “em movimento”, mudanças e evoluções.
Muitas pessoas entraram em contato pelo blog pedindo dicas de como ter um blog de sucesso, como conseguir parcerias com outras editoras, o que eu fiz para alcançar tantos seguidores, etc. O que eu posso dizer a vocês é que minha vida como blogueira e o propósito do blog pra mim é totalmente diferente do propósito de vocês e de muitos outros blogueiros. Pensando nisso, resolvi começar a semana de comemoração explicando por que sou blogueira!

O Di Moça não surgiu por acaso, pelo contrário, tem uma longa história cheia de situações difíceis, constrangedoras e de superação.
Para resumir, sou blogueira desde os 12/13 anos e ter um blog era sinônimo de diário virtual, literalmente. No blog você era permitido para compartilhar livremente as suas opiniões (até as pessoais). Alguns usavam como um diário de rotina, contando como tinha sido o dia, o que tinha feito, etc. Para mim sempre foi uma mistura de tudo isso e um pouco mais.
Mas a minha vida mudou no comecinho de 2009, quando descobri que tinha síndrome do pânico. A partir daí me isolei completamente do mundo real, sempre me encolhendo mais e mais dentro da minha própria conchinha segura. Minha mãe sempre foi meu suporte, meu apoio e eu simplesmente não conseguia viver sem ela. Foi difícil, muito difícil é pouco para descrever os cinco anos que passei sob situações e reações desta síndrome que tem atingido milhares de jovens e adultos no mundo inteiro.
Com o passar dos dias e do tratamento, resolvi fazer parte do mundo através de um blog. Um que me ajudasse a ficar por dentro das notícias, que me ajudasse a conversar com outras pessoas sem ter uma crise repentina na frente dela e passar um vexame. Comecei aos poucos, como todos vocês começaram. Um post aqui e outro ali durante a semana e muitas visitas em outros blogs. Porque eu queria saber como era ser blogueira: o que eu poderia ou não expressar no meu diário virtual. E acabei descobrindo que cada um tem sua própria forma de divulgar o que bem entender. Depois de muitas visitas em diversos tipos de blogs me identifiquei muito com os blogs literários. Na época os blogs eram mais simples mas cheios de vida, de resenhas, de opiniões sinceras. Eu adorava ler as resenhas dos blogs e montar minha listinha de compras de livros. E então pensei se seria possível eu fazer a mesma coisa: compartilhar minha opinião sobre uma leitura, um livro ou algo que me interessasse muito. Foi então que surgiu a ideia de criar um blog literário: o Liege (vocês se lembram? *-*).
Devo lembrá-los que em 2009 a vida de blogueira não era tão competitiva como hoje; os blogueiros (pelo menos os literários) não tinham essa visão de ganhar dinheiro através dele mas sim compartilhar opiniões. Naquela época, a parceria com editoras literárias era bem mais tranquilo que hoje porque os blogs não eram vistos como uma ótima forma de marketing/divulgação. Sorte a minha ter criado um blog naquela época porque preciso agradecer muitas editoras que confiaram no meu talento, no meu blog e na minha escrita e que estão aqui até hoje! A vocês, muito obrigada!

Minha vida mudou drasticamente durante esses cinco anos mas graças ao blog (e ajuda psiquiátrica, claro) eu consegui me inserir novamente no mundo real mas o blog ainda é minha terapia. Através dele eu pude conhecer outras histórias sobre outras pessoas que sofriam das mesmas dores que as minhas. Isso ao mesmo tempo me deixava aliviada e aflita porque é impossível desejar essa dor para qualquer ser humano. Li sobre diversos tipos de tratamento, alguns naturais e outros “muito loucos” – mas que não tentei porque já comecei direto com os remédios controlados – e vi depoimentos de pessoas que já tinham melhorado muito dos sintomas. Ficava pensando “será que um dia eu terei uma vida normal?”
E, depois de cinco anos, eu posso dizer a vocês que estou me inserindo novamente ao mundo real. Da minha forma, no meu ritmo, mas estou. E é impossível eu não acreditar que o blog foi uma das melhores terapias que encontrei para enfrentar as crises de pânico e a depressão. É por causa dele que eu conheço vocês, encontro tantos outros blogs com assuntos semelhantes e diferentes do meu, pessoas que pensam diferente e igualmente a mim mas que são tão interessantes que é impossível abrir mão delas. É por causa disso aqui, desse mundo chamado blog, que eu tive forças para viajar sozinha pela primeira vez; que tive apoio para seguir em frente e abraços apertados para me consolar nas piores horas de solidão. Enquanto meu mundo desabava, várias pessoas me seguravam no colo enquanto outras ajudavam a reconstruí-lo. Como não ser grata a tudo e a todos?

É por estes e milhares de outros motivos que estão guardados no meu coração e na minha memória que o Di Moça existe. Em alguns momentos eu quero desistir, claro. Em alguns momentos ele exige um pouco mais de mim e eu sempre acho que não vou dar conta. Mas é aí que todos vocês entram, juntos, para me apoiarem e me lembrarem das razões de fazer terapia blogueira!

Eu não sei o que te motiva a ter um blog ou a começar um porque cada um é diferente (graças a Deus) mas a dica que eu dou para iniciar qualquer blog é: ame aquilo que você faz. O blog é um espelho das suas ideias, da sua personalidade e, geralmente, é a primeira impressão que alguém terá sobre você. Por isso, ame o seu blog. Se dedique, se apaixone pelo mundo das suas palavras e as próximas conquistas serão apenas consequências do seu trabalho.

Muito obrigada, a todos, sem exceção, por acreditarem em mim; por me apoiarem e me motivarem a continuar com o blog nas horas de alegria e de tristeza. E essa semana, com certeza, será uma semana de comemorarmos juntos essa etapa que conquistamos juntos! Se Deus quiser teremos muitos anos e muitos momentos de comemoração aqui no blog. E torço para ter todos vocês aqui comigo nesta caminhada!

Beijos di moça e que comece a semana!

categoria15 category image

Alguém sentiu falta??

01 . abril . 2014

Depois de, praticamente, três semanas sem postar no blog, volto para (tentar) justificar minha ausência. Mas antes eu preciso perguntar: ninguém sentiu minha falta????. Sinto que devo ficar preocupada com isso! Nenhuma mensagem, nenhum comentário típico “Jeh, você não vai mais postar?” ou “Jeh, o que aconteceu com o blog?”. Ai que coisa triste, gente!
Chorando lágrimas mornas.
Por outro lado não devo culpá-los, afinal de contas, olhem só o tempo que o ser humano demorou para dar alguma satisfação a vocês. Então, estamos kits, pode ser? *-*

Talvez seja novidade para alguns (ou não, já me sinto perdida) mas em Agosto do ano passado ingressei no meu primeiro emprego. Ser professora de inglês foi um desafio incrível para mim e eu agradeço pela oportunidade ter aparecido na hora certa. No começo, como sempre, passamos por um período de experiência que costuma ser mais tranquilo: uma turma aqui e ali só para a gente pegar o ritmo e a metodologia da escola.
A partir de Fevereiro deste ano, a minha rotina mudou drasticamente: a minha tarde e minha noite são destinadas à escola, aos alunos, correção de tarefas, etc. Ou seja, o meu trabalho é no período da tarde e à noite (ah sim, sábado pela manhã também). Já de manhã, bem… em um próximo vídeo explicarei como é a minha rotina matutina.
O único (detalhe) problema é que eu ainda não consegui conciliar minha vida profissional com minha terapia chamada blog e eu me sinto terrivelmente culpada por isso. Eu amo blogar, é minha paixão e minha terapia (também gravarei um vídeo sobre isso) e parece que estou deixando essas coisas boas e divertidas de lado por pura falta de organização. Sinto falta de passar a madrugada inteira com um livro aberto; sinto falta de treinar fotografia e compartilhar minhas loucuras com vocês; sinto falta de simplesmente sentar diante do computador e visitar o blog de vocês. Alguém me dê um tapa para acordar?

Quantas vezes eu anotei ideias bacanas para compartilhar no blog, ideias para vídeos, TAGs que me indicaram e eu estava super empolgada pra sentar e preparar tais posts mas, no final do dia, eu estava tão exausta que só queria dormir e acordar no outro dia (às vezes nem acordar). Tudo isso é novo pra mim (comecinho de Agosto do ano passado, lembram?) e eu ainda não me adaptei à vida de professora. Sei que depende exclusivamente de mim, nada mais e nada menos que isso, por isso peço um milhão e meio de desculpas pela desatenção com o meu cantinho e com vocês que têm todo o carinho e atenção conosco.
Apesar da longa ausência no blog, tenho feito alguns progressos também e quero compartilhar com vocês através de posts e vídeos! E, a partir desta semana, começarei o processo de dedicação contínua ao blog, porque a gente merece!

• Primeiro preciso responder todos os comentários postados com muito amor e carinho por vocês;
• Visitar o cantinho de cada um(a) que comentou aqui! *-*
• Programar os posts de acordo com o assunto de cada dia da semana!
• Liberar as resenhas pendentes das leituras do ano (gente, tem várias!);
• Lançar sorteios e concursos culturais com prêmios super bacanas!
• Fazer review de compras e produtos (sei que ainda estou devendo a comprinha no Shopping China);
• Gravar vídeos de TAGs e outros assuntos

Os e-mails que foram enviados pelo formulário do blog já foram devidamente respondidos. Obrigada! *-*

É.. acho que, por enquanto, é isso! Galera, espero que vocês continuem visitando e apoiando o blog porque nós só existimos por causa do carinho e do apoio de vocês! Muito obrigada pela paciência!
Vale lembrá-los de que algumas notícias são liberadas no Instagram e na Fanpage do blog no Facebook!
Sim, eu estou viva!
Beijos di moça no coração de cada um!

@blogdimoca no Instagram!

Di Moça :: Colecionando sonhos e palavras! - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015 - Ilustração por Juliana Rabelo