categoria5 category image

Encontro de fãs de romance de época da editora Arqueiro!

08 . abril . 2014

Comemorar o aniversário do blog com um evento super especial com os fãs de romance de época da Arqueiro, aqui em Campo Grande, é incrível! Mas ser convidada para mediar o evento é melhor ainda!
Com muita alegria, um pouquinho de medo/ansiedade e muitas ideias para a apresentação, o blog Di Moça aceitou o convite e a Arqueiro fez uma aposta na cidade de Campo Grande (MS) para realizar um dos encontros! No total, são 24 cidades em que os fãs de romance de época poderão se reunir e falar sobre amor, romance à moda antiga de forma descontraída e divertida!


Geraldo Jordão Pereira (1938-2008) começou sua carreira aos 17 anos, quando foi trabalhar com seu pai, o célebre editor José Olympio, publicando obras marcantes como “O menino do dedo verde”, de Maurice Druon, e “Minha vida”, de Charles Chaplin.
Em 1976, fundou a Editora Salamandra com o propósito de formar uma nova geração de leitores e acabou criando um dos catálogos infantis mais premiados do Brasil. Em 1992, fugindo de sua linha editorial, lançou Muitas vidas, muitos mestres, de Brian Weiss, livro que deu origem à Editora Sextante.

Facebook | Site

O evento acontecerá na livraria Le Parole às 14h. Durante o encontrinho conheceremos melhor as escritoras (divas) que integram o gênero Romance de Época lançados pela editora. Quem já leu os livros das autoras não podem deixar de ir e dar aquela força com a opinião sobre cada livro!

Além de tudo isso, também teremos sorteio de kits lindos-maravilhosos-tudo-de-bom depois do nosso bate-papo! Como resistir a tudo isso, hein? Hein? Não esqueçam de levar as câmeras fotográficas para tirarmos muitas fotinhos! *-*


Como chegar à Le Parole:

Rua Euclides da Cunha, 1126
Jardim dos Estados
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
CEP: 79020-230
(67) 3043-5100
contato@leparole.com.br

Se você se interessou pelo evento e conhece outras pessoas que também querem conhecer e conversar sobre os lançamentos de romance de época da Arqueiro, traga-os também! Ajude a divulgar o evento para que possamos expandir os eventos literários em Campo Grande (MS) – afinal de contas merecemos, não é?

Confira a programação do evento em outras cidades aqui.

Agradeço desde já a equipe da Arqueiro por me dar a honra de mediar um encontro tão significativo para mim, afinal de contas leitura é uma das minhas melhores terapias. Espero, de coração, encontrar muitos de vocês por lá (seja pela primeira vez ou não)!

categoria5 category image

Jingle bells, jingle bells, acabou o papel….

17 . dezembro . 2013

Dezembro é marcado pelo final de uma etapa, o fim de mais um ano e a chegada do Papai Noel. Todo final de ano o velhinho gordo percorre o mundo todo à procura das criancinhas boazinhas e obedientes (os de vinte e poucos também!) com presentes fofos. Ainda não é Natal mas o clima é de preparação!
Mas, vocês perceberam, que a tecnologia ou evolução – já não sei definir – impuseram a obrigação de dar e receber presentes nesta data? Apesar de o Natal não ter qualquer coisa relacionada à Papai Noel e presentes, ficamos à espera de algum mimo nessa data. E ai de você se não der aquele presente caríssimo para seu filho; ai de você se não der aquele vinho caro para o seu pai. As crianças são mais específicas (“Papai Noel, esse ano eu fui bonzinho e quero um iPad preto”). Minha mãe, por exemplo, mulher crescida e experiente, comprou um sapato no cartão e apenas nos avisou que “comprei um sapato para mim de Natal em nome de vocês, ok? A parcela é R$ xxx. Tipo… ok né? Fazer o que, rs.
Mas ainda sobre o Natal, a decoração nos shoppings das maiores cidades é em homenagem ao desenho super-lindo-de-morrer Toy Story. Além do Papai Noel (já está fora de moda, hein velhinho?) as crianças se divertirão com o cowboy, a cowgirl e nosso astronauta gorduchinho!
Confira a programação no shopping da sua cidade e aproveite para passar mais tempo com seus amigos!

Horários no Shopping Campo Grande

Segunda a Sexta
14h às 20h

Sábados
10h às 22h (com intervalos)

Domingos
12h às 20h

OBS: Não haverá atendimento do Papai Noel nos dias do Encontro Mágico com os personagens Toy Story

Quem já foi tirar fotos com o Papai Noel? O bacana é que as fotos tiradas com a sua câmera com o Papai Noel do Shopping Campo Grande ajudam as crianças da Instituição AFRANGEL – Lar das crianças com AIDS/HIV. Enfeite o dia 25 de dezembro de outras pessoas também! *-*
Beijos di moça!

categoria15 category image

O Di Moça também foi às ruas de Campo Grande!

21 . junho . 2013

Aconteceu nesta quinta-feira (20/06) o movimento I Ato Público de Apoio a Manifestação Nacional, criado a partir do Facebook. E foi a vez de Campo Grande (MS) ir às ruas. Achei que o Di Moça estaria fora dessa, afinal de contas não sou a melhor representante-patriota-deste-país; não luto a favor de muitos direitos e, pra falar bem a verdade, sou acomodada em muitos sentidos. Isso é péssimo, claro que é! Pensei em vários motivos para não ir: o vandalismo que a mídia foca o tempo todo para nos assustar; o medo de ser agredida e de passar mal (síndrome do pânico, oi!) na multidão, por exemplo. Mas a curiosidade foi maior: fazer parte desta manifestação na qual vários brasileiros estavam dispostos a compartilhar suas ideias em cartazes e cantos durante mais ou menos 5 horas de caminhada? Não pude deixar passar. Peguei minha câmera, meus remédios para emergências, orei a Deus para que nos protegesse de qualquer tumulto e lá fui eu….

Gente, peço desculpas desde já pela qualidade das fotos! Eu sou péssima para fotografar à noite e não sei usar o flash muito bem. Detalhe: muitas fotos saíram embaçadas. Por favorzinho, relevem.. :x

O encontro foi na Praça do Rádio Clube. Às 16h30 já tinha uma multidão de ideias e cartazes prontos para percorrerem as principais ruas de Campo Grande. Não posso mentir que não me assustei. Caramba, uma galera reunida, indo de um lado para o outro cantando, gritando, fumando… ai que medo! Pensei “Putz, é agora que vou ter um ataque de pânico”. Queria voltar para casa e ver tudo no conforto da minha casa. Que tipo de jovem eu sou, gente??. Pensei nisso, ergui minha cabeça, comprei uma garrafinha de água (Rah, estou te devendo R$ 3,00! Não esqueci viu!) e fotografei algumas pessoas. Para quem não sabe, morro de vergonha de fotografar pessoas. Urgh, coisa de gente caipira mas é verdade. Demorei um tempão para me soltar e pedir “Oi, licença, posso tirar uma foto sua?”
Meu irmão quase deu uma cornetada na minha cabeça de indignação o.O

Por volta das 17h as pessoas decidiram caminhar pela Avenida Afonso Pena em direção à Prefeitura. É, tínhamos um longo percurso pela frente mas a animação das pessoas não as deixavam pensar nisso (eu pensei, claro: um quilo de máquina fotográfica no pescoço, mais um quilo na bolsa, só por Deus). Lá no fundo, eu queria mesmo era ver no que aquilo tudo ia dar. E me surpreendi.

Quanta gente animada! Uma multidão cantando a favor de tantas coisas, lutando por tantos direitos que dava orgulho de ver. Não sei se todo mundo ali era patriota, se todos estavam mesmo ali para protestar, mas foi bonito de ver. Um hino após o outro, as pessoas chamavam os moradores, os comerciantes “vem pra rua”, “vem pra rua”, com bandeiras do Brasil e rostos pintados. Eu que pensava que o motivo maior ainda era o preço da passagem, li cartazes com diversos tipos de protestos: tarifa de ônibus, preço da gasolina, a cura para gays, falta de bibliotecas, descaso com a educação e saúde. Alguns foram até engraçados (alguém já pensou no protesto contra bloqueio de Wi-Fi? Pois é.. ).
Quando cheguei em casa, tive a brilhante ideia de fazer um protesto assim: Blogueiros também merecem salário!


Acho muito engraçado os cartazes escritos com o português todo errado! (Espero que seja proposital, rs).


Ai gente, nem preciso dizer que esse é meu cartaz favorito, né? Adorei, adorei e adorei!

Uma das coisas mais bacanas que vi na caminhada foi encontrar pessoas de todas as idades: desde crianças até idosos. Alguns segurando cartazes, outros com o rosto pintado. Mas todos erguendo suas vozes com orgulho, como se agarrassem as causas com unhas e dentes. Uau, me impressionei. Será que os senhores de mais idade sentiram falta dessas manifestações?


Gente, essas senhoras estavam super animadas que não resisti: pedi licença e tirei uma foto! =)

Em determinado momento fiquei com medo de dar “baderna”. Alguns malandrinhos subiram em um patrimônio público e o vandalismo estava prestes a entrar em ação. Mas graças a Deus (e a consciência dos campograndenses) gritaram em uma só voz “descem, descem, descem!”. Mais uma confissão: eu não cantei os hinos e as músicas de protesto. Sempre fico rouquinha-da-Silva quando faço isso. Mas nas horas de puxar as orelhas dessas pessoas, ah minha gente, sou a primeira a cantar “descem, descem, descem!”. Acho muito divertido deixar as pessoas com a cara no chão em público, ah-rá.

E quando as pessoas invadiam as ruas, com os carros parados e buzinando? Meu Deus, pensei “se não vou morrer por causa desses protestantes, vou morrer atropelada!” Exagerada, jogada aos teus pés, eu sou mesmo exagerada. As pessoas se enfiavam entre os carros e aquilo me dava um desespero, que agonia! Claro que fiquei na calçada, é bem mais seguro. Enquanto isso os mais ativos cantavam “vem pra rua, vem pra rua!”.
Será que alguém foi?



Meu irmão e minha cunhada: dois “cidões” que adoram entrar na muvuca! No meio da rua, entre os carros e eu com o coração na mão!


Olha o “cidão” causando na rua de novo.

Resumindo, paramos em frente à Prefeitura Municipal de Campo Grande, fomos para a Câmara Municipal dos Vereadores e encerramos em frente ao Shopping Campo Grande. Novamente, um grupinho de pessoas subiram o gramado do Shopping para fazer graça e fora vaiados, com direito a musiquinha (adoro): “Sai da grama, sai da grama, sai da grama!” Muá-rá-rá-rá! #risadamaléfica. Ah claro, também protestamos contra a Copa do Mundo e o Café da manhã da Câmara Municipal!


Durante as minhas duas horas e meia de caminhada pude refletir em muitas coisas. Eu posso não ser patriota como muitos brasileiros têm mostrado em diversas cidades; posso não andar de ônibus e quem sabe não ser afetada diretamente com muitos pedidos ali. Mas o que eu sei é que estava ali representando muitos brasileiros que estão nessas condições. Compartilhando da mesma indignação do meu irmão brasileiro. O que eu fiz hoje foi por você, que ficou em casa e carece dos mesmos pedidos; por você, Guilherme, que viverá nesse país e precisará do melhor sistema educacional e de saúde, para que cresça em um país não tão caótico (a tia Jeh te ama). O que eu fiz foi pelos meus filhos, meus netos e as próximas gerações. Fiz acreditando que a voz do povo muda, sim, um país inteiro. Fico contente por ter feito parte deste trecho da História do Brasil. E torço, do fundo do coração, que nossa voz seja ouvida e entendida.

Obrigada a todos que fizeram parte deste momento, que não tumultuaram, não causaram danos maiores na cidade e conscientes dos motivos deste protesto. Não esperava tanta harmonia e calma em um momento desse, sério mesmo. Estava preparada para voadoras, cacetadas, correria, desespero, vidros quebrados e todas essas coisas que a mídia faz questão de focar para colocar medo na gente.
Se você quer fazer parte deste movimento na sua cidade, então vá! Não perca essa chance de mudar a sua cidade e mudar você mesmo. A experiência é maravilhosa e você terá a oportunidade de mudar o futuro de muitas pessoas!


Claro que meu namorado-lindo-mais-parceiro-do-mundo estava nessa comigo! Te amo beibe! <3

E vocês, fizeram ou farão parte do protesto em suas cidades? Compartilhem conosco suas experiências pelos comentários! Quero ver a manifestação sob o ponto de vista de vocês e não pela mídia! Conte quais são os direitos e pedidos que vocês clamam em alta voz!
Um beijo di moça!

@blogdimoca no Instagram!

Di Moça :: Colecionando sonhos e palavras! - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015 - Ilustração por Juliana Rabelo