categoria13 category image

Bienal do Livro 2013: conhecendo os escritores!

15 . outubro . 2013

Continuando a saga Bienal do livro 2013, quero compartilhar um pouquinho sobre a minha (maravilhosa) experiência com os autores nacionais e internacionais.
Todo fã de livros tem aquele desejo gostoso de conhecer pessoalmente a pessoinha (?) que nos presenteia com histórias incríveis, seja de qualquer gênero literário. Eu tive o prazer de conhecer alguns e rever outros (um dos motivos que me alegra e me deixa ansiosa pela melhor feira de livros do Brasil!).
Eu não me lembro a ordem cronológica dos acontecimentos, me desculpem, nem reparei nesse detalhe. A verdade é que fui me envolvendo com os acontecimentos, entrando no clima Bienal e não me atentei à esse detalhe. #sorry.

Os autores

Marina Carvalho e Juliana Sutti (Livros e blablablá…)

Me esbaldei no estande Novo Conceito. Parecia que todos os escritores nacionais se concentraram ali. Vira e mexe recebiam visitinhas de outros escritores, o que facilitou minha caminhada pela feira. E, para minha alegria, levei a quantidade certa de livros para serem autografados!

Christine Melo

A Christine é muito simpática, foi super atenciosa comigo e, no domingo, batemos um papo super descontraído, como se nos conhecêssemos há anos. Não vejo a hora de ler meu exemplar (autografado, com licença) de Sob a luz dos seus olhos.

Graciela Mayrink

Finalmente conheci a Graciela! Seu livro, Até eu te encontrar foi lançado pela Novo Conceito na semana seguinte, mas pude conversar com ela e ter meu sketchbook autografado também!

Tammy Luciano

E claro que foi uma enorme alegria rever Tammy Luciano, uma das escritoras ligada no 220V o tempo todo. Haja energia, hein mulher?!? É muito gostoso fazer parte da receptividade e do carinho da Tammy com seus leitores!

Ainda no sábado e (ainda) um pouco perdida no meio de tanta gente em um pavilhão só (azul), não sabíamos para onde ir ou o que fazer. Gente, eram tantos eventos em um dia só e, às vezes, no mesmo tempo, que me senti um pouco “barata-perdida”. Me lembro como se fosse ontem: meus pés doendo horrores porque inventei de ir com uma sapatilha meio apertada nos pés, a coluna doendo de carregar pesos (sacolas, bolsa, máquina fotográfica e meu próprio peso) que a única coisa que eu queria, naquele momento, era minha cama. Mas essa opção estava fora de cogitação. Por isso tentamos entrar na sala de imprensa. Não conseguimos: sem crachá, sem sala de imprensa.
Nota mental: fazer cartões de visita e marcadores do Di Moça.
Perdidas na muvuca do pavilhão azul, cansadas e passando fome (hey, era o meu caso tá?), Deus enviou o seu servo Pedro para esbarrar conosco naquele momento. Batemos um papo super rápido e eu, na minha desgraça momentânea (drama queen) soltei um “Ah Pedro, bem que você poderia tentar colocar a gente no auditório do Nicholas, né? Só para registrar alguns momentos e postar no blog, coisa rápida.”
Eis que a chance de conhecer o Nicholas Sparks nos foi dada de presente!
Não vou entrar em detalhes na confusão que o pavilhão azul estava por causa do escritor. Acho que, se Jesus estivesse no mesmo lugar, Ele não teria feito tanta comoção. Mas graças à boa vontade do Pedro, conseguimos entrar no auditório e, além de fotografá-lo, também entramos na fila dos autógrafos! Iupi!

Gente, eu confesso que li dois livros do Nicholas Sparks – os quais amei – mas não me considero alucinada e/ou fanática por ele, ao contrário de meninas chorando, gritando, perdendo os cabelos e até a dignidade. Só que, enquanto a fila ia “andando”, me senti nervosa, coração acelerado e (re)passei várias vezes, em mente, o que falaria para ele quando chegasse a minha vez. Eis que chega a minha vez e eu engasgo. Que vergonha! Lembro que falei algo do tipo “Obrigada pela oportunidade, Nicholas, esse é um dos melhores presentes de aniversário que já ganhei.” Ele, já num estado lastimável de cansaço, agradeceu carinhosamente. Eu simplesmente fiz uma menção à lá Japão e fui embora. QUE TROUXA que eu sou! Ainda bem que ele disse “Hey, você não quer tirar uma foto?”. Nossa, que vergonha gente! Eu com aquela cara “Ah é mesmo, deeerrr” voltei para a mesa com ele sorrindo da minha estupidez (provavelmente). E tiramos a foto! Xis!

Nicholas Sparks

Felizinha da vida com meu livro autografado, fui correndo para o estande da Intrínseca porque estava na hora do meu encontro com o escritor Mathew Quick (GO EAGLES!). Mas, chegando lá, o escritor tinha ido embora e quase chorei, sério. Era o escritor que eu mais queria conhecer, acredite você ou não.
Saí de lá cabisbaixa, com cara de cãozinho que perdeu seu dono e fui direto para a Novo Conceito. A fila estava grande para os autógrafos e fotos com a Emily Giffin. O lançamento de seu livro Uma prova de amor foi um sucesso, mas esperava algo mais da editora (afinal de contas, eles são conhecidos pela criatividade e receptividade com os blogueiros e leitores). Já que eu não tinha levado os livros dela dessa vez, evitei a fila e aproveitei para descansar um pouco no espaço dos blogueiros.

Emily Giffin

No domingo a feira estava (um pouco) mais tranquila, mas os eventos ainda estavam bombando. Vários lançamentos, encontros blogueiros e livros para serem levados pra casa (ównty, minha parte preferida); não tinham band-aids suficientes para me ajudarem na caminhada. Programamos uma super compra no estande da Novo Século e tive a honra de conhecer várias das nossas escritoras (lindas) brasileiras.

Lu Piras

A primeira mocinha que encontrei foi a Lu Piras e, acredite, ela irradia luz e simpatia do mesmo jeito que mostra pela internet. Os olhinhos dela brilham, o sorriso é encantador e fiquei com vontade de pentear os cabelos dela, igual uma bonequinha. Ela é um amor, e já sou fã antes mesmo de ter lido seus livros (que, aliás, comprei dois, hihih!).

Laura Conrado

Em seguida fui bater um papo alto astral com a escritora Laura Conrado. Sua energia contagiante e simpatia deixam qualquer leitora feliz por ter lido “Freud, me tira dessa!”. Parecia que os personagens do livro estavam todos ali, juntinhos com ela!

Samantha Holtz

A Samantha Holtz é uma gracinha, muito simpática e bem solicitada durante o evento. Comprei “Quero ser Beth Levitt pela recomendação dos amigos blogueiros e meu exemplar veio para casa autografadinho! *-*

Juliana Ferreira

Eu posso comentar que a Juliana Ferreira só foi me reconhecer no domingo, nos últimos minutos do segundo tempo? Ah sim, a Ju estava o tempo todo conosco e só foi “sacar” que eu era a Jessica do Di Moça nesse momento. Eu mereço?? Não sei quem foi pior: eu, por achar que ela poderia ser ela mas também poderia não ser; ou ela que nem se atentou para minha presença. Ê laiá, Ju!

Adriana Brazil

Lá pelas tantas da noite, voltei para o estande da Novo Século para conhecer a Dri Brazil. Eu precisava desse presente! Tive a oportunidade de conversar algumas vezes, pela internet, com a Dri e ela sempre foi um amor de pessoa comigo. É claro que eu precisava tornar tudo isso em realidade, né? E, obrigada Dri, porque você superou minhas expectativas! Comprei os dois livros dela e saí de lá com um sorriso no rosto e alguns bottons na sacolinha! *-*

Babi Dewet

Reencontrando a Babi depois de dois anos, tive o privilégio de ter meu “Sábado à Noite” autografadinho! Tentei comprar o segundo volume mas o meu cartão de crédito simplesmente deu a louca em alguns estandes e me deixou na mão. A Babi é linda do jeitinho que vocês a vêem pelo Fantastic Baby, acreditem! Eu só não consegui uma foto com a máscara dos marotos.. #choraalto.

Babi Dewet e nosso SAN

Os eventos da Gutenberg foram bem organizados. O nosso grupo tinha a intenção de participar da sessão de autógrafos da Babi Morais e da Bruna Vieira. Confesso que, de início, meus planos eram outros mas resolvi investir nessa aventura com os meus amigos. Compramos (vários) livros no estande, entre eles “A ilha dos dissidentes”, “De volta aos quinze” e “A lista negra”. Na fila de autógrafos da Babi Morais, encontrei algumas blogueiras lindas (as fotos ficam para o próximo post, ok?) e conversamos à beça.

Barbara Morais

A Babi é a blogueira do Nem um pouco épico e, entre os blogueiros na fila, senti como se eu fosse a única perdida e desconhecida por ali. Fiquei morrendo de vergonha, não sabia o que dizer à ela. “Parabéns e sucesso?”, seria meio ridículo. Mas quando chegou a minha vez e a Babi perguntou qual era o meu blog, ela disse que eu era famosa! Ai gente, quase chorei e dei um abraço de urso na Babi! Saí de lá com um sorriso de “papai e mamãe vão ficar orgulhosos de mim”. *-*

Para a sessão de autógrafos da Bruna Vieira foram disponibilizados senhas e fitinha no braço de “identificação”. O melhor de tudo era que não precisávamos ficar na fila, as senhas seriam chamadas por ordem numérica (claro) e se tal número não estivesse por ali, seria passado para o seguinte. Caso um número já chamado aparecesse no local, esse número entraria na frente. Ai que tudo gente! Graças a essa estratégia pudemos andar mais na feira e conhecer outros estandes!

Bruna Vieira

Confesso que não tinha o que esperar da Bruna. Já assisti alguns vídeos e li alguns posts do blog Depois dos quinze mas para mim a Bruna sempre foi “inacessível”. Mas como os meus amigos embarcaram nessa sessão, fui também e liguei a vibe “seja o que for”. Para minha surpresa, a Bruna foi bem simpática comigo e consegui tirar algumas fotos durante os autógrafos.

Alguém já leu “Depois dos quinze”? Aproveitem para deixar a opinião de vocês aqui nos comentários! Eu comprei De volta aos quinze, o primeiro volume da série Meu primeiro blog e gostei da sinopse!

Lançamento “De volta aos quinze”

Quase no finalzinho da feira, conseguimos um rápido encontro com a Carina Rissi, o xodó da Juh Sutti. Ainda não li os livros da autora mas, depois de tantos elogios que ouvi na feira, com certeza os lerei! Já estão sabendo que teremos o filme do livro Perdida? É, a Carina está fazendo sucesso nas estantes dos leitores e não posso perder a chance de me aventurar nesse chick!

Lançamento “De volta aos quinze”

Passando rapidinho no estande da Modo consegui minha fotinha com a Mare Soares, autora de Chantilly. Tive o prazer de conhecê-la na Bienal de 2011 e precisava daquele abraço apertadinho para compensar o tempo ausente.

Mare Soares

Lá pelas tantas, cansada e um pouco triste pela despedida que se aproximava, encontrei os meninos Gutti e Federico causando nos corredores da feira. Já que não tinha ninguém trolando os meninos, pedi uma foto bacana para o blog!

Gutti e Federico

Nota: Nossa, até parece que eu faço dos outros minha muleta né?? Foi mal, Gutti. -.-‘

Gutti Mendonça

Federico Devitto

Caracas, que post enorme! Isso porque foram apenas dois dias de feira! o.O Imaginem se eu tivesse ficado todos os dias? Meus pés, com certeza, não suportariam a aventura; pagaria excesso de bagagem; e não voltaria para Campo Grande tão cedo.
Loucura, loucura, loucura!
Aperto no coração só de relembrar esses momentos, Oh My….

Beijos di moça!

@blogdimoca no Instagram!

:: Di Moça :: Colecionando sonhos! - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015 - Design por Jeh Asato