categoria2 category image

Quantic Love :: Sonia Fernández-Vidal

30 . outubro . 2013

Eu recebi esse livro por acaso, ou talvez por engano não sei, e fiquei com muito receio de lê-lo. Primeiro porque eu odeio física. Entendo “nadica de nada”. Segundo porque imaginei que o livro seria todo a respeito de física e esse mundo quântico “muito-louco”. Mas, lendo a sinopse e folheando o livro (que, por sinal, tem uma diagramação super cute) resolvi dar a chance. E acredita que eu não me arrependi?? Dá uma olhadinha!

Quantic Love (Quantic Love)
Autora: Sonia Fernández-Vidal
Páginas: 256
Editora: Rocco

* Livro enviado pela editora como cortesia.

Sinopse:

Laila terminou o ensino médio e, enquanto decide que carreira seguir, consegue um emprego como garçonete no CERN, um dos centros de pesquisa nucelar mais avançados do mundo. Cercada de “nerds” por todos os lados, a protagonista de Quantic Love – O romance que resolve a equação do amor vai descobrir que a ciência pode ser sexy e que o amor é a energia mais poderosa do universo. Uma das mais importantes escritoras de divulgação da ciência em língua espanhola e bestseller em seu país, Sonia Fernández-Vidal constrói uma história de amor para jovens que mostra o lado humano da ciência.

Créditos: Skoob

“Às vezes o futuro sussurra algo em nosso ouvido por um breve instante. Alguns chamam isso de premonição; outros, de intuição. Eu sei apenas que quando entrei naquele avião soube que tudo ia mudar. A Laila que deixava Sevilha com destino à Suiça não voltaria jamais.”

Laila está saindo de Sevilha com destino à Suíça para trabalhar, durante três meses, em uma cafeteria. Não que ela seja expert no assunto porque, na verdade, ela mentiu feio no seu curriculum vitae quando disse que havia trabalhado como garçonete nos últimos dois verões em um camping da Costa Brava. E não porque todos os seus amigos estavam curtindo as férias, e ela estava pra chegar a um lugar desconhecido para trabalhar em uma coisa sobre a qual não tinha a menor ideia. Mas pelo simples fato de ser o lugar mais inusitado para passar as férias: o CERN (em frânces, Centro Europeu de Pesquisa Nuclear). Antes de partir rumo a Genebra, Laila “googleou” sobre o local e, gente, é coisa de outro mundo: o laboratório de física nuclear onde foi construído o maior acelerador de partículas do mundo. Aparentemente, essa máquina gigantesca iria servir para compreender a origem do Universo. Uau!
Pensando bem, um laboratório físico é um dos melhores lugares para se estar quando você quer ingressar em uma faculdade de matemática ou física. Mesmo como garçonete, Laila tem a chance de aprender com os cientistas e alunos que passam por ali e deixam um pouquinho do seu conhecimento. Ela até chegou a cogitar que sua companheira de quarto, Angelina, seria um ponto de partida mas a garota é uma exibicionista louca e, talvez, superdotada. Até aquele momento, tudo indicava que ela passaria o tempo livre naqueles meses completamente sozinha.
Só que, o seu terceiro cliente do primeiro dia de trabalho vai entrar em sua vida para mudar algumas ideias. Alessio não é apenas bonito, mas destoa da fauna de cientistas que ela começara a ver. Alto e moreno, parecia mais um modelo de roupa casual do que um distraído cientista louco. Usava calça jeans nova, uma camisa de corte italiano desgastada e modernos óculos de sol, algo fora daquele contexto. Para a nossa surpresa (e da própria Laila), Alessio trabalha em uma revista do CERN como bolsista e não como cientista, o que o torna um personagem diferente naquele ambiente “geek”. Ter conhecido Alessio foi uma surpresa muito boa, afinal de contas, Laila se sente mais para baixo com tantos cientistas e palavras incompreensíveis ao seu redor.

“Para muitos, a ciência é uma armadura que os protege de um mundo de emoções que não compreendem.”

Quando parte em uma excursão pelo complexo do CERN, Laila conhece Brian, o guia da excursão. Totalmente diferente de Alessio, Brian não destoa do padrão de cientistas, muito pelo contrário, é tão inteligente quanto Angelina e torna as coisas um pouco mais “brochantes”. Ou não. Quem sabe, talvez, ela pudesse se transformar na musa inspiradora de um atraente cientista que desenvolveria uma equação revolucionária graças às suas carícias…
Agora, com dois amigos diferentes mas atraentes a seus modos, Laila partirá para uma aventura que contém um pouco mais do que esperava. Quem não curte um romance de verão? O único problema é que Laila terá que decidir entre Alessio e Brian. Enquanto isso, a única coisa que Laila poderá fazer é aproveitar os momentos no CERN e aprender a equação do amor.

“Como dizem os quânticos, até que não colapsemos uma possibilidade tomando uma decisão, todas coexistem ao mesmo tempo.”

Esse é um tipo de livro que eu não esperava muita coisa. Como disse no começo do post, achei que a história seria voltada apenas para a quântica física e blablablá e ficaria perdidinha durante a leitura. Mas, obrigada Sonia!, isso não aconteceu! Viva la vida! Sonia Fernandéz conseguiu transformar um assunto horripilante e insuportável para mim em algo leve, fluido e até interessante, veja só! A narrativa em primeira pessoa (sob o ponto de vista de Laila) nos envolve com muita facilidade e o vocabulário não é complicado (tá bom, só em algumas partes que a autora desenrola sobre alguns temas da física, mas são momentos rápidos, eu prometo!) e tem personagem para tudo quanto é gosto! Por exemplo, tem o Chantal, um guri metido a besta; Pierre, o namorado bunda mole de alguma menina; Angie, a amiga de quarto super sexy e inteligente; Alessio, o jornalista gato e Brian, o guia do CERN cheio de mistérios.
O vocabulário de Angie, por exemplo, é meio “porra-louca”, como algumas atitudes dela e isso a torna mais engraçada que o restante dos personagens. Outra característica super bacana é que a autora desenvolve um mistério durante a leitura que nos deixa mais interessados para conclui-la. É algo bem rápido mas dá um recheio a mais para a história e os personagens.

“- Uma história de amor é como um Big Bang, deve ter um início. Depois será preciso ver qual é o universo que essas duas pessoas serão capazes de criar.”

Não sei se isso acontece só comigo mas eu não gosto quando marcas de produtos e empresas são mencionadas descaradamente durante a leitura. Não sei explicar por quê, simplesmente não gosto. Esse é um ponto que me deixou incomodada durante a leitura. Sonia específica o nome de cada produto utilizado pelos personagens. iPhone, iPad, Angry Birds…, enfim, detalhes que me incomodam. Também tem o uso de palavras em inglês sem terem sido traduzidas. Na minha opinião, não teve diferença mas pode incomodar alguns leitores.

“- Em uma coisa estou de acordo com você: é mesmo um idiota! Estou de saco cheio de que todo mundo me trate como se fosse uma retardada porque não tenho a menor ideia de como se resolve a equação de Schrödinger, porque não sei o que é o bóson de Higgs, nem essas benditas rupturas de simetria. Mas vou lhe dizer uma coisa: não me importa nem um pouco. Não quero ficar parecida com vocês, que têm a Inteligência emocional de uma criança de quatro anos.”

No geral, gostei bastante do livro principalmente por ter superado minhas expectativas, mas elas eram baixas no final das contas, então… Se você está com receio de lê-lo por lidar com uma leitura maçante, cheia de termos técnicos e códigos físicos, fique tranquilo, você pode arriscar! Se você gosta de um romance bem leve, sem muitas intenções, vai fundo! Sonia nos traz uma história sobre a importância da maior força que age entre as partículas da matéria: o amor.

Whem you turn off the lights
Will you love me tonight?
My eyes shine full of stars
I’m not down here alone
entangled with yout heart.

Se você já leu este livro ou pretende lê-lo, compartilhe conosco suas impressões e/ou expectativas!!
Beijos di moça!

Sonia Fernández-Vidal

Sonia Fernández-Vidal nasceu em Barcelona em 1978. É licenciada em Física pela Universitat Autònoma de Barcelona e doutorou-se na área da informação e ótica quântica. Trabalhou em algumas das instituições mais importantes do mundo, entre elas o Centro Europeu de Investigação Nuclear (CERN), no âmbito do projeto do acelerador de partículas Large Hadron Collider, o Laboratório Nacional de Los Álamos e o Instituto de Ciências Fotónicas (ICFO). A sua atividade de investigação tem sido combinada com a docência, tanto na universidade como em centros para adultos, através da qual aborda os mistérios da física quântica transmitindo-os de uma forma apelativa e compreensível.


Facebook da autora | Editora Rocco


• Hey! Deixe um comentário aqui •

• Temos 19 comentários nesta postagem" •

Nessa, disse: - 30-10-2013 (09:22)

Oi Jeh!
Sabe que eu não havia prestado atenção neste livro? Acho que nem o conhecia.
Menina eu odeio física e também não entendo muita coisa. Fiquei curiosa para ler o livro, é interessante.

Beijos*


Daniela, disse: - 30-10-2013 (12:57)

Eu li em outro site uma resenha tão desanimadora sobre este livro que até deixei ele pra lá, rs. Pra dizer a verdade ele vive em uma gangorra, cheia de altos e baixos e eu nunca sei se vale a pena ou não arriscar nele.

Mas adorei a forma como você o resenhou!


Tati Munhoz, disse: - 30-10-2013 (13:14)

Ganhei esse livro em um sorteio e, depois da resenha, fiquei ainda mais empolgada para ler!
Parece bem interessante! :)

besitos
tatimunhoz.blogspot.com


camila lacerda, disse: - 30-10-2013 (13:21)

Oiii Jeh, gosto muito das suas resenhas e como voce, ficaria com receio de ler um livro de física rs muito chato seria ne??
Nunca tinha visto resenha dele, acredita? ando um pouco afastada da blogosfera, sem inspirações e coisas a fazer ;D


Raquel Moritz, disse: - 30-10-2013 (19:22)

Aaaaai adorei essa proposta nerd-mas-nao-tanto. Fiquei curiosa, pois não dei absolutamente nada pelo livro e, no entanto, você curtiu a leitura. Lembrei um pouco de BBT, mas não acho que tenha tanto a ver, a não ser pelo tema mais ou menos semelhante, rsrrsrs.

PS: as quotes que você selecionou são encantadoras.

Beijoca, garota! :D

Raquel
http://www.pipocamusical.com.br


Inara (@lerdormircomer), disse: - 31-10-2013 (10:12)

Adoro suas resenhas, Jeh! Esse livrinho eu ainda não conhecia e, vou confessar, fiquei louca para ler! Já li um livrinho que comentava sobre o CERN (Anjos e Demônios, do Dan Brown) e achei incrível cada detalhe!

Parece um livrinho leve, descontraído, para ler sem expectativas, né?

Ah… e amei as fotinhos!

Beijos,
Inara
http://www.lerdormircomer.com.br


Barbara Sá, disse: - 31-10-2013 (12:55)

Oi, Jeh :)
Confesso que quando vi o título pensei na mesma coisa, mas daí me lembrei de A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista e me toquei que as vezes o nome não equivale ao livro – se bem que O Teorema Katherine… Enfim.
Curti a resenha e fiquei curiosa. Adoro essas protagonistas normalmente loucas e esses triângulos amigos-amorosos. Fiquei interessada, realmente.
E essa diagramação é muito amor mesmo.

Beijocas,
http://www.segredosentreamigas.com.br


Tais, disse: - 31-10-2013 (15:59)

Oi Je,

Confesso que quando vi a capa e a sinopse desse livro na época do seu lançamento ele não me chamou muito a atenção.
Porém ultimamente tenho visto algumas resenhas positivas a respeito dele (incluindo a sua) que me deixaram curiosa sobre a história.
Quem sabe eu leia um dia né?

bjs
Tais
http://www.leitorafashion.com.br


Daniela Farias, disse: - 31-10-2013 (18:36)

O jeito que você resenhou ele, me deixou interessada.
Adorei Jeh! ?
Beijos!


Janine Stecanella, disse: - 01-11-2013 (15:47)

Oi Jeh!
Este não é um livro que me chama a atenção imediatamente, mas como tem um jornalista (sou dessas que adora conhecer colegas de profissão, mesmo os fictícios), um dia, certamente, lerei. E também porque se passa em um cenário diferente do que a maioria dos livros que eu acompanho normalmente. É realmente legal quando o livro surpreende, mesmo quando não estamos com muitas expectativas!

Beijos!
**Nine


Hangover at 16, disse: - 01-11-2013 (17:19)

Muito boa a sua resenha, e principalmente sua sinceridade. Eu também não acho que criaria muita vontade pra ler, porque sou péssima em tudo que envolve exatas. Mas nem mesmo a história me chamou muita atenção :/ fora que triângulos amorosos realmente me tiram do sério, então hahaha

xx Carol
http://hangoverat16.blogspot.com.br/


Poly, disse: - 01-11-2013 (21:01)

Quando eu vi a capa também achei que tivesse muito mais relação com física do que fraco conhecimento na matéria me permitiria ler, mas vi umas resenhas no skoob e mudei de opinião XD
Lendo sua resenha o livro me lembrou bastante do seriado The Big Bang Theory. Eles falam de física e de fórmulas, mas não dá para matar ninguém hehehe
Bjuxxxxx


Carolina, disse: - 02-11-2013 (16:37)

Oi, Jeh!

Nunca tinha ouvido falar sobre esse livro, mas baseada na sua resenha eu achei BEM interessante.

Beijão


Regiane, disse: - 02-11-2013 (21:28)

Oi, Jeh!

Eu também não tinha me interessado tanto por esse livro, justamente por dar a entender que o aborda física o tempo todo. Eu até que tirava boas notas na matéria, mas não era fã, por isso fico feliz em saber que a história tem poucas citações sobre o assunto.

Eu não me incomodo com citações de produtos, mas isso tem um limite. Se fica nisso o tempo todo, aí sim me irrita e tenho vontade de atirar o livro longe.

Pela sua resenha, percebi que a leitura é leve e gostosa. Do tipo que amo ler numa tarde de domingo.

Beijos
Rê ^_~


Thami, disse: - 02-11-2013 (23:03)

Olha, se eu visse esse livro em uma livraria por aí, eu com certeza não compraria. Porque eu odeio matemática e eu levaria em conta disso, haha. MAS gostei da resenha e agora posso confiar em comprar. xx


Ellen Alves, disse: - 03-11-2013 (07:03)

Eu ameiii a resenha, que amor! O livro parece ser demais! E a capa é linda!


Jessica, disse: - 03-11-2013 (11:48)

Menina, eu pensei que só eu tinha esse receio de ler esse livro, sempre achei que seria repleto dos termos difíceis e tal, mas pela sua resenha, eu adorei e deu um UP! no meu conceito. =)
Adorei mesmo ^^
http://www.valeuapenaesperar.com/


Ane Reis, disse: - 03-11-2013 (12:04)

Oie Jeh =)

Apesar de matemática nunca ter sido a minha matéria favorita, vc acredita que eu era uma das melhores alunas em física. Meu sonho era ser astrônoma XD

Não conhecia o livro, mas ele parece ser interessante. Adorei a resenha e já anotei a dica aqui.

Beijos e uma ótima semana;***

Ane Reis.
mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias…
@mydearlibrary


David Andrade, disse: - 04-11-2013 (05:57)

Esse livro tem um Q tão grande de “O Teorema Katherine” do John Green. Sei la, talvez seja o nome que puxa pro lado estatístico.


@blogdimoca no Instagram!

Di Moça :: Colecionando sonhos e palavras! - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015 - Ilustração por Juliana Rabelo