uncategorized category image

Calafrio #1 :: Maggie Stiefvater

05 . dezembro . 2010

Apesar de ter me encantado profundamente com este livro, demorei um certo tempo para terminá-lo porque – como tinha dito no post/vídeo anterior – meu planejamento diário não existe. Estou começando a organizar melhor minhas tarefas do dia a dia para que no final, o dia rende! Então hoje eu venho com mais um post na coluna Sobe ou Desce? com o livro Calafrio de

Calafrio #1 – Os Lobos de Mercy Falls (Shiver #1 – The Wolves of Mercy Falls)
Autora: Maggie Stiefvater
Ano: 2010
Páginas: 348
Editora: Agir
Sinopse:

Quando Grace estava em seu balanço de pneu na varanda de sua casa, é puxada e arrastada por lobos que parecem selvagens, prontos para matá-la. Seus olhos estão perdidos na multidão de pelos escuros e cor de sangue, até que repara e pára sua visão em um lobo de olhos amarelos. Está mais afastado do restante do grupo, imóvel mas Grace percebe que há algo ali além de um lobo selvagem. Ela se apaixonou por aqueles olhos amarelos e uma química estranha surgiu entre os dois, sem ao menos se conhecerem.
Desde o acidente, todo o inverno ela fica à espera do seu lobo de olhos amarelos aparecer na entrada do Bosque. Muito atraente, algo de que ela não consegue se desligar. Até, depois de alguns anos passados, ela se depara com um menino nu, sangrando em frente à porta do deque de sua casa. Assustada, ela percebe que o garoto tem os olhos amarelos, como do seu lobo. Sam.
Uma história maravilhosa, que envolve a emoção de dois jovens que lutam contra o inverno, o frio, para que possam ficar juntos. Mas o tempo não é de todo benéfico. Sam está prestes a ter seu último ano como humano e a dúvida e a esperança pairam no ar: como viver com um humano que está prestes a se tornar lobo para sempre?

uncategorized category image

Fim Do Jogo :: Frank P. & Ted Dekker

26 . novembro . 2010

Meus amados leitores!! Depois de mil anos (#dramaqueen), mais um post para a coluna “Eu Li E Recomendo”. Primeiramente quero pedir desculpas pela demora para postar essa coluna, mas confesso que sou um pouco lerda na leitura. E tenho um sério problema em ler mais de um livro de uma vez. Sei lá, “slow motion”, sabem??
Enfim. Hoje a coluna apresenta o livro Fim de Jogo de Frank Peretti e Ted Dekker!!

Fim Do Jogo (House)
Autores: Frank Peretti & Ted Dekker
Ano: 2007
Páginas: 304
Editora: Thomas Nelson Brasil
Sinopse:

Um Jogo.
Sete Jogadores.
Três Regras.
Fim do jogo ao amanhecer

Um casal viajante se perde na auto estrada 82, e encontra um casarão aconchegante, à primeira vista. Só precisavam de uma noite de descanso para continuarem o destino. Ao entrar no casarão, percebem que tudo está à espera de hóspedes, apesar de não encontrarem nenhum anfitrião.
Um susto. Outro casal está na “casa-hospedeira” mas nada dos anfitriões. Registram seus nomes no livro de visitas. E apesar da casa ter um ar de bem vindos, algo estranho percorre ali.
Enquanto vasculham a casa, a mesa do jantar está servida. Os anfitriões aparecem: uma mulher, seu marido e um filho meio “lesado” (perturbador e perturbado podem ser as palavras).
E então, a vida dessas quatro pessoas mudam completamente.
Depois de vários acontecimentos bizarros entre anfitriões e hóspedes, um jogo começa. Pelo “dêmonio em pessoa” chamado Homem De Lata. E as três regras são simples. Mas a mais ameaçadora é a última: Se vocês me oferecerem um corpo, deixarei dois escaparem.
Um jogo doentio envolvendo medos, fúria, espíritos, demônios e o desespero de sair deste imenso casarão. Quem sobreviverá? Será que terão coragem de matar um deles? Quem?
Um livro que te fascina do começo ao fim, cheio de suspense, passagens sobrenaturais e alucinantes.

uncategorized category image

Ela Foi Até O Fim :: Meg Cabot

15 . novembro . 2010

Olá caros leitores! Apareci mais rápido do que eu mesma esperava mas terminei uma leitura maravilhosa e gostaria de compartilhá-la com vocês!
Esse é o segundo post da coluna “Eu li e recomendo”. Confesso que sou um pouco muito lerda com as leituras mas não tenho o que reclamar, afinal de contas, apreciar a leitura no meu próprio tempo é uma dádiva. Nada de sair correndo, pulando palavras, linhas e frases! Inhéca.
A coluna de hoje é sobre o livro de uma das autoras mais “consagradas” do gênero chick-lit: Meg Cabot com o livro Ela Foi Até O Fim!

Ela Foi Até O Fim (She Went All The Way)
Autora: Meg Cabot
Ano: 2010
Páginas: 400
Editora: Galera Record
Sinopse:

Louise Calabrese – mais conhecida como Lou – é uma roteirista de sucesso e cheia de confiança. Seu maior sucesso – Copkiller – arrecadou milhões de fãs no mundo inteiro e garantiu mais quatro sequências do filme. Mas não é apenas o roteiro, com uma ótima história e cheio de ação, que conquistou os fãs. Não. Definitivamente não. Jack Townsend, ator de arrancar suspiros e deixar qualquer coração mole, foi o policial conquistador que mexeu com o público em suas cenas de ação e perigo. Imagine ser uma roteirista de um filme de sucesso mas simplesmente odiar o ator principal?
É exatamente essa a situação de Lou. Ela odeia Jack. Porém, durante uma viagem de helicóptero para o set de filmagem, um acidente inesperado acontece e os dois acabam nas montanhas do Alasca em uma aventura para tentar sobreviver não só à temperatura mas de quem está por trás de tudo isso! Nesse tempo, os dois têm que aprender a conviver em harmonia ou alguém pode acabar virando presunto.

categoria2 category image

Escuridão #1 :: Elena P. Melodia

04 . novembro . 2010

Amadíssimos do meu blog (sem falsidade, é sério!!), como estão?? Eu preciso dizer que, apesar de a semana estar um pouco parada, me sinto ótima! Ótima com o blog, ótima por ter recebido grandes conselhos e puxões de orelha de vocês, que me apoiaram no post “Observações”… =)
Estou conseguindo me desprender gradativamente dos comentários, sabe? Ou melhor, do número de comentários, os números que me deixavam ansiosa e na expectativa: quanto mais, melhor. Por isso eu demorava um tempo “básico” para a postagem de um para outro. Eu sei que pode parecer medíocre mas é a verdade e nem sempre ela é legal, filosófica e cheia de amor para dar!
Tenho bolado várias idéias de colunas para o Liege e hoje veio apresentar-lhes mais uma nova coluna: Eu li e recomendo!
Nessa coluna, estarei apresentando de forma básica, sem spoilers, de livros que li e recomendo para vocês! Isso não quer dizer que os livros serão lançamentos. Como eu já disse, livros mais “antigos” também são maravilhosos e às vezes, inesquecíveis. Por que deixar de recomendá-los, não é? E confesso que tenho mais livros “antigos” para ler que lançamentos propriamente dito.
E para começar a coluna, recomendo o livro da escritora italiana Elena P. Melodia: Escuridão!

Escuridão #1 – Trilogia Escuridão (Oscuridad #1 – My Land)
Autora: Elena P. Melodia
Ano: 2010
Páginas: 332
Editora: Suma De Letras
Sinopse:

Alma, uma garota de 17 anos, encontra-se em uma escuridão total, apesar de ter suas amigas um tanto exóticas, estudar em uma escola e ter seus dias como ela costuma viver. Porém, ela se sente diferente, como se tudo fosse escuridão.
Até que ela se vê “hipnotizada” por um caderno roxo em uma simples livraria e resolve imediatamente comprá-lo. Alguma coisa chamou a sua atenção: a cor roxa, os detalhes? Ela precisava tê-lo. A partir de então, sua vida começa a mudar – e a de todos que vivem ao seu redor. O problema é que Alma possui um dom que veio à tona e não consegue controlá-lo: ela sonha com futuros assassinatos e – enquanto dorme – os relata como contos em seu diário. Como isso tudo foi acontecer? Como ela consegue descrever, em contos, os assassinatos que vão acontecer? Como o mundo dela foi mudar de repente? É então que uma aventura e suspense cheio de expectativa acontece…

De que se deve ter medo realmente? Das próprias ações ou, ao contrário, daquilo que não se consegue controlar?

Essa é uma frase que praticamente pode resumir o livro e deixar você – que ainda não leu Escuridão – um pouco mais curioso pela história abordada pela autora Elena.
Alma é a personagem central do livro que esconde seus segredos mais obscuros quando acontecimentos estranhos aparecem com pessoas ligadas à ela – como as amigas mais próximas. Assassinatos acontecem com pessoas que ela nem ao menos conhece, a não ser pelos contos relatados no seu diário. Mas como ela escreveu aquilo? Por quê com ela?
Tudo começa a mudar, tudo em seu mundo vira medo. As dúvidas vão surgindo e enquanto o trama desenrola, Alma se sente perdida.
No começo do livro, fiquei um pouco receosa porque não sabia se o livro me prenderia a atenção apenas pela sinopse no verso do livro. Eu pensei “É…não custa dar uma chance. Afinal a capa me chamou a anteção, apesar de tudo.”
Alma se apresenta como uma personagem um pouco nariz empinado no começo e com uma narrativa “curta e grossa”. Mas com o tempo ela vai ficando mais sombria por causa de seus segredos e a narrativa fica viciante. E confesso que foi uma leitura maravilhosa. Eu terminava um capítulo, ia dormir e ficava pensando e remoendo os acontecimentos, tentando desvendar sozinha (aff) o que realmente estava acontecendo, quem era o culpado e se é que havia um culpado.
Eu gosto de livros assim, devo deixar claro! Apesar de cagar na zorba de filmes de terror/suspense, ter pavor de Trem Fantasma, adoro leituras assim, que faz meu coração disparar ou levar aquele susto quando minha janela faz um barulho exatamente no clímax do suspense.
(Isso já aconteceu várias vezes comigo e por milagre que não sei explicar, ainda não tive um ataque cardíaco).
Então, viver os dias de Alma e toda a trama, foi maravilhoso! Eu precisava realmente de uma leitura que prendesse minha atenção e até quis bancar uma de detetive.
Mas sabe por quê não consegui? Tá, além de eu ser medrosa, o livro termina num pluft inesperado. Eu fiquei horrorizada quando terminei a última folha, esperando para pagar e ver se o(s) culpado(s) e motivo(s) estariam de acordo com minhas deduções de detetive. Engano meu. Só para você ter idéia do que estou falando: lembra do filme Senhor dos Anéis: A sociedade do anel? Lembra que você estava super feliz, assistindo o filme e na hora mais legal aparece uma tela preta com os créditos rolando. E você se perguntou: “WTF/WTH?”. Então, com o livro seria mais ou menos isso.
Eu poderia dar uma nota menor para o livro justamente por acabar assim. Mas pelo contrário, analisando o livro por completo, eu adorei!
Para nossa expectativa florescer à pele, o Diário de Alma é uma trilogia: Escuridão, Sombra e Luz. Não sei se aguentarei o suficiente para esperar o próximo lançamento.
Aahhh se eu soubesse ler e entender italiano… tudo seria diferente, hehe.
Quem leu, sabe do que estou falando, né Carol??? *-*

Logo estarei fazendo a coluna “Fazendo Meu Filme” com o livro e espero que até lá possam tê-lo lido! E não esqueçam de me dizer o que acharam de Alma e seu Diário!!

Beijos e até logo, se Deus quiser!

Elena P. Melodia

Elena P. Melodia nasceu em Verona, onde mora atualmente com o namorado e seus dois cães, Watson e Muttley. Formada em Belas Artes, com especialização no período clássico, foi coordenadora do departamento de ficção para adolescentes em uma grande editora antes de aventurar-se na escrita por conta própria. Escuridão é seu primeiro romance.

Site da Suma de Letras

@blogdimoca no Instagram!

Di Moça :: Colecionando sonhos e palavras! - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015 - Ilustração por Juliana Rabelo