categoria2 category image

Garota Exemplar :: Gillian Flynn

28 . fevereiro . 2013

Caramba, como é complicado resenhar uma história que te faz roer as unhas o tempo todo! O problema maior é soltar alguma dica (spoiler), alguma informação que seja primordial e exclusiva de cada leitor. E neste livro temos exatamente isso! Preciso saber o que compartilhar com vocês e, digo desde já, serão poucas informações (já que vocês precisam se surpreender com as reviravoltas como eu!).
Uma história ardilosa, cheia de camadas e personagens muito bem construídos.

Garota Exemplar (Gone Girl)
Autora: Gillian Flynn
Páginas: 448
Editora: Intrínseca

* Livro enviado pela editora como cortesia.
Sinopse:
Uma das mais aclamadas escritoras de suspense da atualidade, Gillian Flynn apresenta um relato perturbador sobre um casamento em crise. Com 4 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo – o maior sucesso editorial do ano, atrás apenas da Trilogia Cinquenta tons de cinza –, “Garota Exemplar” alia humor perspicaz a uma narrativa eletrizante. O resultado é uma atmosfera de dúvidas que faz o leitor mudar de opinião a cada capítulo. Na manhã de seu quinto aniversário de casamento, Amy, a linda e inteligente esposa de Nick Dunne, desaparece de sua casa às margens do Rio Mississippi. Aparentemente trata-se de um crime violento, e passagens do diário de Amy revelam uma garota perfeccionista que seria capaz de levar qualquer um ao limite. Pressionado pela polícia e pela opinião pública – e também pelos ferozmente amorosos pais de Amy –, Nick desfia uma série interminável de mentiras, meias verdades e comportamentos inapropriados. Sim, ele parece estranhamente evasivo, e sem dúvida amargo, mas seria um assassino? Com sua irmã gêmea Margo a seu lado, Nick afirma inocência. O problema é: se não foi Nick, onde está Amy? E por que todas as pistas apontam para ele?

Crédito: Skoob

O amor é a infinita mutabilidade do mundo; mentiras, ódio, até mesmo assassinato, tudo está atrelado a ele; é o inevitável desabrochar de seus opostos, uma magnífica rosa com um leve cheiro de sangue.

– Tony Kushner, THE ILLUSION

Ela era a garota que toda garota queria ser. Linda, brilhante, inspiradora, e muito rica. Ele era o sujeito que todos os homens admiravam…bonito, engraçado, inteligente e encantador. Mas em cinco de julho, o mundo aparentemente perfeito dos dois desmoronou quando Amy Elliot Dunne desapareceu no dia do quinto aniversário de casamento deles.

Nosso suspense começa no Dia Do, cujo o rapaz perde a garota. Lance Nicholas Dunne (por favor, o chamem apenas de Nick) foi jornalista por onze anos na cidade de Nova York, na época em que as pessoas liam coisas em papel. Não bastasse o último suspiro dos dias de glória, sua mãe Maureen (prazer, Mamma Mo) é diagnosticada com câncer, obrigando-o a voltar à sua cidade natal, North Carthage (Missouri) com sua irmã gêmea Margo Dunne. Cuidar da mãe adoentada é uma tarefa que exige paciência e compreensão, e é claro que Amy Elliot não gostou nada disso. Aliás, Nick se lembra perfeitamente da esposa dizendo “Devo deixar minha alma do lado de fora?” ao chegar em sua nova casa. Eu entendo: sair de Manhattan e ir para uma cidadezinha como North Carthage deve ser, tipo, pagar os seus pecados, mas Amy tinha que entender aquilo. Afinal de contas, não é também para esses momentos que servem o casamento?
Ok, voltemos ao foco: hoje é o dia do. Nick e Amy completam cinco anos de casado. O rapaz de trinta e poucos anos já sabe qual o ritual que o espera nesse dia. Todo ano é a mesma comemoração: um caça ao tesouro e, pluft, lá está o presente. Mas antes de encarar o dia de celebração e sua própria esposa, Nick precisa de um scotch puro para apaziguar o sistema nervoso.
Quando se mudou para North Carthage (desempregado, vale lembrar), Nick teve a ideia de abrir um bar com sua irmã, Go. Uma ideia simples que manteria os irmãos ocupados e com uma grana no final do mês. O Bar (como resolveram chamar o bar) é uma exibição das mais pobres ofertas do design de todas as décadas. O Bar.
Sem enrolações, Nick está pronto para enfrentar o dia, quando chega em casa e para de repente. O carpete reluzia com cacos de vidro, a mesa de centro quebrada. As mesas de canto estavam caídas, livros espalhados pelo chão como cartas de baralho. Até o pesado divã antigo estava de cabeça para baixo, seus quatro pequenos pés no ar como algo morto. No meio da confusão havia uma tesoura afiada. Alguém entrou em sua casa, mas o que é pior: Amy não estava ali. Ela não estava na água, ela não estava na casa. Amy havia sumido.

Amy Elliot é filha dos psicólogos infantis e – vale mencionar com honra – escritores da série infantil Amy Exemplar: Rend e Marybeth. Seus livros são conhecidos pelas crianças, pelos pais das crianças, e ganharam muito dinheiro com ela (a série, não a filha). Mas toda glória tem seus desastres: os escritores deram à homônima de sua filha o que não podiam dar à própria filha: um marido! Pois é, no vigésimo livro, Amy Exemplar se casa! Uhuuu. Só que ninguém se importa, ninguém queria que Amy Exemplar crescesse (muito menos Amy, a filha). Deixem-na de meias três quartos, fitas nos cabelos. Como deve ser a sensação de ter um livro escrito com o seu nome, baseado no que você não faz (mas deveria fazer), como um constante livro de instruções (faça isso! faça aquilo!)? É óbvio que Rend e Marybeth sempre temeram que sua filha levasse Amy (a Exemplar) para o lado pessoal demais – sempre dizendo para não ver coisas onde não havia. Mas ainda assim, dá para notar que sempre que a filha faz algo de um jeito errado, Amy faz direito.
Começamos nosso suspense no dia que o rapaz perde a garota. Simples assim. Sem nenhuma pista, indicativos a não ser o diário de Amy – que nos é apresentado a partir do dia 08 de janeiro de 2005 – quando conhece Nick em uma festa no Brooklyn.
Amy é uma mulher com um cérebro brilhante e explosivo, trabalhava com testes em revistas (sabe esses testes que você adora fazer na sua revistinha favorita? “Qual o romance que você está vivendo?” “O que o seu parceiro espera de você?” “Você é do tipo ciumenta?”) em Nova York e era a garota da grande gargalhada e de um jeito fácil. Uma Garota Legal.
E a Garota Legal tem a chance de conhecer o rapaz bacana. As anotações do diário de Amy são intercaladas com o presente – o momento em que Amy desaparece na bagunça da própria casa – pelo próprio Nick. Ou seja, temos dois pontos de vista sobre o mesmo assunto: casamento.

Nick não sabe o que fazer – acho que qualquer um não saberia o que fazer mesmo com muitas horas em frente à TV com CSI. Está na hora de chamar a polícia, porque as primeiras 48 horas de um desaparecimento são cruciais. Os detetives Rhonda Boney e seu parceiro Jim Gilpin estão encarregados do caso. Mas por onde começar se o próprio esposo não sabe por onde começar? A partir deste pequeno-grande acontecimento, Nick é obrigado a trazer à tona verdades, fatos, situações e detalhes sobre a sua querida-amada-esposa Amy para nortear a polícia. Mas será que cinco anos de casamento são suficientes para conhecer a pessoa com quem se divide a mesma cama? A história de Amy poderia ter acontecido de um milhão de formas, mas ela desapareceu e coisas ruins aconteceram.

Minha esposa tinha um cérebro brilhante e explosivo, uma curiosidade voraz. Mas suas obsessões tendiam a ser alimentadas pela competição: ela precisava surpreender os homens e deixar as mulheres com inveja.
Ela precisava ser Amy Exemplar o tempo todo.

Leitor, a partir daí estamos prontos para começar uma baita trama perversa. Porque quando você acha que sabe o que está prestes a ser desvendado, vêm a segunda e terceira parte do livro que te arrastam com força para o mais íntimo dos segredos, a mais forte e aterrorizante verdade (o que, claro, não revelarei para vocês, porque esse é o ponto alto do livro, rá.)
Temos dois personagens, com milhões de segredos e artimanhas, mas que se completam. O longo clímax assustador. Nick é como um bom drinque forte: dá a perspectiva correta para tudo. Não uma perspectiva diferente, a perspectiva correta. Amy é a mulher que qualquer mulher anseia ser: brilhante, criativa, gentil, atenciosa, esperta e feliz.

O tempo passa e as quarenta e oito horas se vão. Agora Amy já está sumida há quase uma semana. Com as pouquíssimas pistas e a inutilidade de Nick em relação às perguntas importantes (“Onde você esteve durante as horas do desaparecimento de sua mulher?” “Quais eram os amigos de Amy?” “O que ela fazia?” “Alguém teria motivos para sequestrá-la?”), a polícia tenta montar um quadro de suspeitos e finalmente encontrá-la (viva, de preferência).
Houve uma garota muito perturbada no colégio. Hilary Handy. Ela se inspirou na melhor amiga de Amy nos livros, Susy. No começo era meigo, até. E depois foi como se isso já não bastasse; ela queria ser a Amy Exemplar, não Suzy, a amiga.
Desi Collings. Eles namoraram firme por um ano mas Amy começou a achá-lo preocupante: ele falava como se estivessem noivos, sabia quantos filhos teriam e de qual sexo. Depois que Amy terminou com Desi, ele ainda continuou frequentando o campus da faculdade e parecia manter um amor platônico até hoje.
Há a tal garota, Noelle Hawthorne, aquela que mora perto do casal. Ela disse à polícia que era a melhor amiga de Amy, quando o marido sabe que não era. Elas não eram sequer amigas. Ela está histérica, olhando para fotos de Amy, chorando. E se ela estava obcecada com Amy?
E Tommy O’Hara? O que você sabe sobre ele? Acusado de violentar Amy em um encontro em 2005. Ela estava saindo com ele de vez em quando. Houve um jantar na casa dele, as coisas saíram de controle e ele a estuprou.

Caramba, caro leitor, quantas pistas, suspeitos, sugestões do caça ao tesouro de aniversário de casamento, tudo para a polícia se direcionar e encontrar Amy, a desaparecida. Nick não tem muito tempo, os dias estão passando. E, nesse arrastar de dias, o marido tem que fazer uma confissão.
O cara tem uma amante. (Imbecil.)
Este é o momento em que ele precisa nos contar sobre isso, que tem uma amante e nós, leitores, não gostarmos dele (caramba Nick, que merda você arrumou para o seu lado?). Uma amante bonita, jovem, muito jovem, e seu nome é Andie. Suspeita número cinco.

Putz, a sujeira bateu no ventilador e se espalhou por todos os cantos, Nick. Você já era. O que faz a seguir?

a) Se mata;
b) Finge que nada aconteceu e continua lutando pela sua própria verdade;
c) Está na hora de procurar um advogado, um bom advogado, para tirar o seu traseiro safado das acusações de assassinato.
OPÇÃO C

Entra em cena, Tanner Bolt. Uma sinistra necessidade. Tanner Bolt ficara conhecido como o Falcão de Maridos – sua especialidade era se lançar em casos badalados para representar homens acusados de assassinar as esposas. O outro apelido de Tanner Bolt era Defensor de Babacas.
Mas um dia, tcharãm, tudo muda. Libertado sob fiança, aguardando julgamento.
A campanhia tocou três vezes seguidas: Nick-nick! Nick-nick! Nick-nick!
Nenhuma hesitação. Nick parara de hesitar no último mês: traga logo o problema.
Abriu a porta.
Era sua esposa.
De volta.

“(…) posso senti-la me mudando mais uma vez: eu era um garoto imaturo, depois fui um homem, bom e mau. Agora finalmente sou o herói. Sou aquele por quem torcer na interminável história de guerra de nosso casamento. É uma história com a qual posso conviver. Caramba, a esta altura não consigo imaginar minha história sem Amy. Ela é minha eterna antagonista.
Somos um longo clímax assustador.”

Só tenho uma palavra para dizer neste momento: CARACAS! Sabe aquela história que você tem (quase) certeza de que tem tudo sob controle, já prevendo o final e lendo as páginas de forma despretensiosa? Isso já aconteceu com você? Foi exatamente assim que imaginei que seria a leitura de Garota Exemplar. Mas acredite, leitor, você não tem ideia de quem realmente é Nick Dunne e Amy Elliot (Dunne). O retrato de um casamento macabro, é no mínimo como posso caracterizar. O desenrolar de um casamento – a partir de um acontecimento “trágico” – onde a verdade será revelada querendo você (Nick) ou não. Gente, sério, chega a me dar arrepios de tão bom que foi a leitura!
Eu ainda tenho dúvidas se levanto e aplaudo a construção dos personagens (que mencionei no começo da resenha, foram muito bem criados), as camadas da história (que são muitas) que se encaixam perfeitamente com os acontecimentos descritos nas páginas anteriores, a mente insana forte da personagem Amy, as verdades e desafios impostos à Nick ou à própria escritora – Gillian Flynn – que conseguiu unir tudo isso em um livro só! Clap-clap-clap!
Mais que recomendado, leitura obrigatória para fãs de thriller engenhoso e perverso. Para os que roem as unhas de curiosidade e ficam despertos com cada página lida. Você não vai se arrepender!
Compartilhe sua opinião nos comentários, suas expectativas quanto à leitura! Se você já leu, deixe seu ponto de vista registrado aqui na resenha!
E responda: você realmente conhece a pessoa que está ao seu lado na cama?

Gillian Flynn

Gillian Flynn é jornalista e, antes de se dedicar integralmente à carreira de escritora, trabalhou por dez anos como crítica de cinema e TV para a Entertainment Weekly. Nascida na cidade de Kansas, no Missouri, e formada em jornalismo e inglês pela Universidade do Kansas, Gillian escreveu durante dois anos para uma revista de negócios na Califórnia e concluiu um mestrado em jornalismo na Northwestern University, em Chicago.
Além de Garota exemplar, é autora dos premiados Sharp Objects e Dark Places. Seus livros foram publicados em vinte e oito países e tiveram os direitos de adaptação cinematográfica vendidos. Atualmente, Gillian mora em Chicago com o marido e o filho.


Site da autora | Blog da Intrínseca


• Hey! Deixe um comentário aqui •

• Temos 27 comentários nesta postagem" •

Evellyn, disse: - 28-02-2013 (15:22)

MEU CEUS!!

que resenha é essa Jeh? Fuquei assim, confusa, mas mt curiosa!! Vc escreveu bastante e de uma forma diferente… Sei lá, é como uma investigação! Vc se inspirou no estilo do livro? Só sei que achei mt legal… Vi o link no face e pensei: vou la conferir… Ai fiquei lembrando que vc fez a resenha de Um Dia que me fez ter vontade de ler! e eu nem queria ler esse, mas agora estou curiosa… Ai, parece tão assutador, impactante, diferente! Ai Jeh….

Se eu ler a culpa é sua :P

bjsss
Eve


Fernanda Saads, disse: - 28-02-2013 (15:51)

Adorei, Jeh!


Quequel, disse: - 28-02-2013 (16:21)

Amiga…
Fiquei sem folego só aqui na resenha !!!
Parece ser um livro daqueles em ?!!
Ameiiiiii

Bjinsssssss


Kácia Ribeiro, disse: - 28-02-2013 (16:24)

Amora do céu!!!

Se inspirou para resenhar heim, mas que história menina, me deu vontade de ler agora ;|
James Patterson escreve uns suspenses bem cabulosos também, fico pensando em várias hipóteses de como aconteceu, quem matou quem, fico doidinha pra saber…

Muito boa a resenha e medo das fotos, estilo #anjomal

Te amo ;*


Amanda Chieregatti, disse: - 28-02-2013 (16:33)

UAU!!!
Sua resenha ficou enormeeeee e eu ameiiii!
Só ao ver o tamanho da sua resenha já pensei: “Ela deve ter adorado!”, e acertei.
O resultado? Eu PRECISO ler!
Tenho a impressão que “Garota Exemplar” é daqueles livros que te deixa com a respiração em suspenso durante toda a leitura e quando acaba….. você nem ao mensos consegue esboçar qualquer reação. É angustiante e exaustivo, mas… é viciante!
AMEI sua resenha, Jeh!
Mal posso esperar até receber o meu exemplar.

Beijos!


Lucy, disse: - 28-02-2013 (16:50)

Nossa, Jeh! Eu fiquei toda arrepiada! Que medo desse livro e que vontade de ler!!! hahaha
Esse é daqueles livros que a gente precisa ler, né? Não vai ter jeito…
Vou providenciar o meu, agora vou ter que passar ele na frente de várias leituras! rsrs
Adorei a resenha! Chamou mesmo a atenção!
bjos bjos!


Martha, disse: - 28-02-2013 (17:57)

Je, tô começando ele hoje…mas muito empolgada pela sua resenha! Espero gostar tanto quanto vc!! bjs!


Gíh Santos, disse: - 28-02-2013 (18:14)

Primeiramente uall, digo: UALL!
Uma super resenha, com pontos intrigantes e intensos. Como o livro parece ser. E com toda a certeza vc conseguiu despertar o meu interesse, já marcando no Skoob. ;)
E suas fotos ficaram Show.
Parabéns ^^
Bjs – http://livroslovers.blogspot.com.br/


Marcella Jordanna, disse: - 28-02-2013 (18:15)

Ahhhhhhhhhhh, eu preciso desse livro! Tudo bem que é a primeira resenha que leio dele, mas todo mundo está falando como ele é bom e… ENFIM, eu quero!!!

Sua resenha tá ótima, Jeh. Me deixou mais curiosa ainda e eu mal posso esperar pra ler, leitura pra ontem.
E suas fotos no instagram? Estão ótima hahaha, deixa minhas suspeitas na própria Amy!

Você já leu Não Conte a Ninguém? Me lembrou um pouco a história dele, mas só um pouco.

Beijocas,
Mars – Letras de Chá.


Mariana Ribeiro, disse: - 28-02-2013 (18:16)

Uhuuuuuuuuuuuu!!!
Essa foi a resenha mais longa e criativa da história do Meine Liege, Jeh!!
Cara, fiquei lendo tudo num ritmo alucinado, ansiosa para saber como tudo iria terminar. Você mostrou muita desenvoltura ao descrever os acontecimentos e características dos personagens até finalizar com a sua opinião sobre o desfecho do livro. Sensacional!!
Gostei muito da forma como analisou o thriller e certamente deixou a todos nós completamente absortos no texto. Parabéns, linda!!
Adorei a resenha!!
Gosto muito de livros assim e estou curiosa para saber como todo o drama do desaparecimento da “garota exemplar” foi resolvido e quem estava por trás disso. Espero ter a oportunidade de ler algum dia.
Bjos.


Carolina, disse: - 01-03-2013 (10:46)

Lembro de ter visto esse livro na estante de lançamento da Barnes&Noble e só de ler a sinopse já me arrepiei, fiquei morrendo de vontade de comprar, mas por algum motivo (que não lembro mais) acabei não comprando. A partir desse dia sempre que ia na livraria eu ficava paquerando, mas nunca comprei mesmo. E a sua resenha fez com que eu me arrependesse!
Já fiquei doida só lendo a resenha, imaginando vários cenários e tentando imaginar quais segredos esse casamento esconde.
Magina se estou subindo pelas paredes pra comprar, né? Já que estou com três livros aqui pra ler (e um deles tem mil páginas, Deus sabe quando termino de ler), vou esperar um pouco. Mas com certeza Garota Exemplar entra nas próximas leituras!

Beijão


Isabel Maia, disse: - 01-03-2013 (15:21)

Oi flor!

Já várias blogueiras leram esse livro aqui em Portugal e as resenhas até são bem cotadas. Se eu encontrar em versão livro electônico (as finanças estão tensas), eu vou baixar para ler mesmo que seja na edição aí do Brasil!

Beijo enorme! Bem final de semana :)


Jaira Costa, disse: - 01-03-2013 (19:40)

Oi, Jeh

como não tem ninguém comigo na cama kkkkkkkkkkkk a louca vou ficar devendo a resposta…mas adorei a resenha, eu já tinha ficado com vontade de ler o livro depois da sinopse agora vou ler mesmo, parece ser ótimo, to precisando de livro assim. As fotos ficaram ótimas (como sempre) e me fez imaginar como é toda a história, com certeza já esta na lista pra comprar… Intrínseca sempre tem os melhores livros…e vai me deixar pobre gente kkkkkk

bjis flor

Jaira

Livros e Versos


Thaiane Nobre, disse: - 01-03-2013 (21:09)

QUERO LER ESSE LIVRO! :O

Dessa vez você arrasou na resenha, me fez querer o livro para ONTEM! Já disse que essa tua foto com o facão da medo? Então… da! rs
Da pra ver o quanto você se inspirou paras as fotos e para a resenha. AMO livros assim, cheios de suspense, que te tiram o folego, te fazem desejar o mais rápido possível saber aonde tudo vai terminar… Assim como tbm curto MUITO filmes desse estilo. Nada como um ótimo suspense, né?! :)

Beeeeijos


Caline, disse: - 01-03-2013 (22:35)

OI Jeh assim que terminei de ler sua resenha fui correndo no Skoob marcar o livro como desejado. Você escreveu a resenha de uma forma que é impossível não querer acompanhar essa história também.
E essas fotos? Enquanto lia o post ficava imaginava se elas e o livro tinham algum tipode ligação.
Ai ai ai, preciso desse livro logo!!!!

Beijos
Caline – Mundo de Papel


Maria Elizia, disse: - 02-03-2013 (13:26)

Oi Jéssica! Primeiramente gostaria de te dar os parabéns! Eu fico realmente impressionada com o quanto você lê e ainda tem tempo pra postar dicas super bacanas pra gente ;) Ainda não li esse livro, mas confesso que me deixou morrendo de vontade de ler =) Beijos e Sucesso!


Jayane, disse: - 02-03-2013 (14:50)

nossa primeiro ainda não tinha visto esse livro e lido nenhuma resenha dele,e nossa que resenha mais como posso dizer com um um suspense agilidade,não sei o que pensar só sei que quero ler.

Bjs Jeh!!!!!!


Bianca Sampaio, disse: - 02-03-2013 (22:22)

Oi, Jeh!
Se sua resenha me deixo sem fôlego imagina o livro… Fiquei curiosíssima! Gosto muito de histórias com suspense, segredos e um desenrolar que te deixa bem agoniado!

Beijos!


Daiane, disse: - 03-03-2013 (18:16)

E mais uma vez você me deixa super curiosa pra ler um livro! A resenha ficou maravilhosa.

http://www.jujubasroxas.com.br/


Ana Magiero, disse: - 05-03-2013 (23:50)

Injusto isso Jeh, que resenha é essa?? Eu quero \o/
Já estava bem interessada nele quando vi a sinopse e por ser um triller coisa que gosto de paixão, ai vem uma resenha dessas e me pergunto: “Cadê ele aqui nas minhas mãos? Preciso dele agora”, infelizmente ainda não tenho D:

Enfim adorei sua resenha, só aumentou minha curiosidade ^^

Beijokas


Amanda Almeida, disse: - 06-03-2013 (10:00)

Nossa, Jeh, fiquei sem fôlego só em ler a resenha o.O Que livro é esse, preciso ler o mais rápido possível. E com relação a pergunta, bem, ainda não tenho ninguém pra dormir a meu lado, mas espero muitíssimo que eu o conheça pelo menos um pouquinho.
Bjus,
Amanda Almeida


Bruna M. Silva, disse: - 11-03-2013 (22:03)

Jé, juro que não sumi hahaha…
Então, esse livro esta bem badaladinho pelas redes… parece o tipo de livro que eu gosto, com uma boa pitada suspense!
Adorei!

Beiiijooos


Raíssa Lis, disse: - 12-03-2013 (13:11)

Oiie Jeh, adorei a resenha, muito detalhista e instigante.
Eu não gosto muito de livros de thriller, li um nesse tempo todo e não gostei muito, mas com essa resenha fiquei até curiosa para desvendar todo o livro !!
Beijos


Tarcila Lima, disse: - 13-03-2013 (23:21)

Jeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeh que resenha perfa
Nossa sua escrita é perfeita, parabéns garota.
Fiquei super curiosa pra ler, até porque levei fé que é um suspense daqueles. E nossa adorei as fotos. Tu divando como psicopata HSUAHSUA
Beijo linda

Baiana Literal
tharcilalima.blogspot.com.br


Lindsay Leão, disse: - 14-03-2013 (19:16)

Nossa Jeh, que resenha MARAVILHOSAAAAA!
AMEI CADA PALAVRA!Sem falar nas fotos sinistras e super
criativas, muito bom!
“Garota Exemplar” é a minha leitura do momento e espero ser tão surpreendida quanto você. #medo
Beijos


Dyana Colares, disse: - 19-03-2013 (11:41)

Adorei as fotos ilustrativas! hahaha!
Li só algumas partes da sua resenha, porque eu quero ficar na expectativa pra esse livro que todo mundo parece gostar tanto! :)

Beijos!


Di Moça :: Colecionando sonhos e palavras! » Blog Archive » No Escuro :: Elizabeth Haynes, disse: - 24-10-2013 (00:03)

[…] que eu solicitei este livro para resenha e já faz um tempo que eu o li. Assim que eu favoritei Garota Exemplar fiquei curiosa com o thriller obscuro criado por Elizabeth Haynes! Peço desculpas pelo atraso nas […]


@blogdimoca no Instagram!

Di Moça :: Colecionando sonhos e palavras! - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015 - Ilustração por Juliana Rabelo