categoria2 category image

Freud Me Tira Dessa! :: Laura Conrado

19 . setembro . 2012

Esta resenha é dedicada exclusivamente ao booktour que a Rapha, do Equalize da Leitura organizou! Quero agradecer desde já pelo convite e gostei muito de fazer parte de um BT – é o primeiro que o Meine Liege participa! Desculpe também pela demora na leitura e qualquer transtorno! Confira minha opinião de leitora não profissional sobre Freud Me Tira Dessa!, da autora Laura Conrado! ;)

Freud Me Tira Dessa!
Autora: Laura Conrado
Páginas: 239
Editora: Novo Século

* Livro enviado pela editora como cortesia.
Sinopse:

Freud, me tira dessa! narra a história de Catarina, uma jovem que passa a morar sozinha em função do novo emprego. Dona de uma vida amorosa catastrófica e disposta a rever suas escolhas, Cat busca ajuda na psicoterapia. Como se não bastasse o dolorido processo de conhecer a si mesma e de adentrar na relação com seus familiares, Catarina se apaixona pelo terapeuta. No auge de sua angústia, a personagem recorre ao pai da Psicanálise para sair dessa. Por meio das confusões de Cat, é possível não simplesmente rir, mas também se identificar com a profunda trajetória de autoconhecimento e aceitação da própria história.

Crédito: Skoob

Catarina Lanza é uma mineira de 22 anos – quase 23 -, formada em administração e funcionária de uma multinacional em Belo Horizonte. Mas que se encontra no limite do “chute-na-bunda”. É impressionante como os relacionamentos de Cat (assim reconhecida durante as páginas) não dão certo. Nem ela sabe por quê. A garota acaba de levar um fora de seu colega de trabalho, Rubens, porque estava gostando de outra mulher. Como se não bastasse, a substituta é uma “sem-sal-e-sem-pimenta” que também trabalha na empresa. Ninguém merece, não é? Catarina se enxerga como uma “agente catalisadora” de retomadas. Como se ficar com ela fosse o necessário para o carinha ver que amava mesmo a outra. Um verdadeiro looping.

“Dois anos e meio de namoro, cinco semanas de término. O cara tem dois caminhos: ou vira pegador, ou volta para a ex.”

Tá bom, por enquanto não dá para ficar pior. Catarina precisa aproveitar o feriado com a família, em Divninópolis – onde Catarina cresceu com sua irmã caçula Amanda e seu irmão mais velho, Lucas. Esquecer por um final de semana que acabou de levar aquele fora por uma baranguinha sem graça e dar a volta por cima.
Todavia, ao chegar em sua casa, Cat descobre que sua irmã está namorando o ex amor de sua vida, Artur. É para chutar o pau da barraca mesmo! Catarina já está “por aqui” com toda essa situação, um complô do Universo contra sua pessoa! Mas quando uma conversa com sua prima envolve terapia e os benefícios da mesma, Catarina decide tomar uma decisão.

Doutor Luiz é um analista que freudiano, com seus 36 anos, magro, de olhos verdes. Expôr sua vida para uma pessoa leiga, é uma coisa. Expôr para uma pessoa que você paga por uma opinião, é outra. É ali, no divã, que Catarina vai “soltar os cachorros”: seus sentimentos em relação à sua família; o novo caso da Amanda com Artur; o pé na bunda do Rubens e a namoradinha sem sal; o amigo estrangeiro Phil e a possível relação entre os dois e etc. Tudo o que Catarina puder coletar no dia-a-dia, ela despejará no divã. Choradeira pra lá e pra cá, lembranças tristes, sentimentos de vítima e conspiração, Catarina é uma menina-mulher perdida no seu próprio ser.
Sem mais nem menos, Cat se vê apaixonada pelo próprio analista. Dr. Luiz é um homem bonito – com olhos verdes penetrantes – já conhece os defeitos e talvez, qualidades, e quem sabe um relacionamento novo brote dali? Agora sim Catarina tem motivos de arregaçar as mangas e ir em frente.

“Dentro de mim cabiam todos os desejos.”

Catarina vai se envolver completamente nas tarefas da empresa, com a oportunidade de uma promoção de cargo. Entrará na academia para perder as pelancas e conhecer pessoas novas. Mas tudo isso vai encaixar pormenores que Cat jamais imaginou suportar: a Carmen, coordenadora da equipe; o personal trainer Fernando (Pirilampo) e sua vibe super positiva. Tudo isso para encarar de frente os ventos contrários em sua vida.

“Eu, que tinha entrado para a terapia para me livrar dos problemas, acabei arrumando mais um.”

Um nó após o outro, que precisam ser desatados pela própria Cat. Como enfrentar tudo isso? Freud precisa ajudar nossa personagem a dar a volta por cima sem deixar a coroa cair. Até lá, Catarina descobrirá sua própria identidade, renunciará pessoas, situações e momentos para viver seus próprios.

Laura Conrado apresenta a história de uma menina que pode ser encontrada em muitas outras, não é preciso ir muito longe. Eu mesma me identifiquei em vários aspectos com ela. Um deles, claro, é da necessidade da terapia (será que, no meu caso, Freud me tira dessa?). Outro, pela necessidade de descobrir sua própria identidade, sair da condição de menina para entrar na sua real posição, de mulher. Esses aspectos foram bem desenvolvidos pela autora, considerei válido tornar a personagem principal em uma garota medrosa, infantil, carente, invejosa, birrenta e até arisca.

“E depois de muito tempo eu sentia que chorava por uma situação de vida, e não de morte. Eu chorava por uma dor de cura, não de doença.”

Senti falta de experimentar mais a relação entre analista e paciente. Apesar de muitos leitores preferirem uma leitura mais light, sem conhecimento técnico e/ou específico, senti a necessidade de explorar mais as teorias freudianas nas situações que Cat compartilhava com o dr. Luiz. A minha curiosidade para ler este livro foi por mais diálogos e respostas no divã do que na vida corriqueira da personagem principal.
Apesar de ter me deparado com vários sentimentos semelhantes ao de Cat, não consegui me simpatizar com ela e nem com os outros personagens. Não consegui me deter neles, apenas nas situações em que eles vivenciaram.
Um ponto que eu acho incômodo durante a leitura de qualquer livro é a extensão de um capítulo para outro. Prefiro muitos capítulos com poucas paginas a poucos capítulos com muitas páginas. Essa divisão funciona melhor para mim, tanto na hora de me organizar na leitura, quanto na percepção dos acontecimentos.
Freud Me Tira Dessa! é um livro agradável e que pode te surpreender na busca de sua própria identidade!

“- Sair da rotina faz você ver as coisas de outro ângulo, de outro jeito. Sair do ninho é difícil, mas voar vale a pena demais!”

Laura Conrado trouxe a notícia para seus leitores de que uma nova história está a caminho! Freud, me tira dessa! vai virar série! Pois é, as aventuras de Cat foram além do esperado e a autora decidiu prolongar as idas ao terapeuta! Confira mais informações no site da autora!

Um beijo com muito carinho e até o próximo post!

Laura Conrado

Laura Conrado é ganhadora do Prêmio Jovem Brasileiro como destaque na Literatura em 2012. É autora da serei Freud, Me Tira Dessa!, considerado o melhor chick lit nacional de 2012 pela votação popular do Destaques Literários. A maneira divertida com a qual consegue abordar temas profundos tem rendido a ela leitores em todo país. Presença constante em eventos literários e escolas, seu trabalho já foi noticiado em importantes meio de comunicação.

Nasceu em 26 de agosto de 1984, em Belo Horizonte, Minas Gerais. É jornalista, pós-graduada em Educação, Criatividade e Tecnologia. Também possui publicações destinadas ao público infantil.


Site da autora | Site da Novo Século


• Hey! Deixe um comentário aqui •

• Temos 39 comentários nesta postagem" •

Aione Simões, disse: - 19-09-2012 (18:31)

Oi flor!
Imagino que essa seja uma leitura que cause identificação mesmo em muitos aspectos! Deve ser interessante :)
Como você, eu gosto quando há um aprofundamento maior na leitura e eu também acharia legal se houvesse as “respostas”; porém, acho que não é o foco do livro, talvez o propósito seja outro, né?
Leria o livro, mas não é uma leitura que considero urgente, que preciso fazer logo.
Beijão, querida!

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Aione Simões,

Oi florzinha, tudo bem??? É uma leitura bem agradável mas eu esperava mais momentos da Cat no divã, sabe? Hehehe, mas no geral é uma leitura legal sim!

Quem sabe nos próximos livros a autora foque mais esses momentos? Não sei, espero que sim! \o

Beijos!




Juliana Ferreira, disse: - 19-09-2012 (19:02)

Bela resenha Jeh!!! Falei sobre a extensão de capítulos num vídeo que gravei hoje. Realmente acredito eu, que todo leitor gosta de capítulos menores porque fica mais instigante saber o que vai acontecer no próximo, fazendo assim o leitor ler bem mais rápido o livro.
O gênero não faz meu tipo, mas eu compraria só para quem sabe um dia estar cheia de drama e ler uma comédia.

Beijoooos

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Juliana Ferreira,

Oi Ju!! Que bom que gostou, muito obrigada!! Pois é, um ponto que deve ser considerado é a extensão de um capítulo para outro. Eu gosto de dividir a leitura por capítulos, dá a sensação de que a meta do dia, da hora foi cumprida sabe?

Enfim, é uma leitura light, eu queria mais momentos da Cat no divã, hehehe!

=*




Quequel, disse: - 19-09-2012 (21:29)

Olá sumida!
Como andas as coisas?
Cade os videos.. ah para com isso q não vai mais fazer, e nós como ficamos?!!

Não gostei muito da sinopse não.. e tem tanto livro que quero ler.. q não sei se lerei esse!

Bjisnsss

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Quequel,

Oi Quel!! Amiga, preciso conversar um pouco (ou muito, se possível) contigo! Tanta coisa (não) acontecendo… ahh se eu pudesse te visitar, iria hoje mesmo!!

Saudades!!

É, depende de cada um mesmo, eu peguei o livro porque esperava mais momentos da Cat no divã – acho que por me identificar muito com esse aspecto – mas não tivemos tantos momentos. Espero que a autora foque mais nisso no próximo livro!

Beijos!




Tais, disse: - 20-09-2012 (06:27)

Oi Jeh,

Eu gostei bastante do livro e me divertir lendo, mais concordo com você que realmente o lado da terapia não foi muito explorado.
Ainda não sabia que ia virar série, que bacana.

bjs
Tais
http://www.leitorafashion.com.br

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Tais,

Pois é flor, li sua resenha e até comentei que tinha duvidado da paixonite da Cat pelo Luis né? Heehehe, eu gostei mas queria mais momentos no divã, sem ser uma coisa chata, técnica, mas que o Luis desse mais explicações pra ela, hehehe.

Mas ainda assim quero ler o próximo livro, espero gostar bastante! ;*




Fabi, disse: - 20-09-2012 (10:51)

Oláaa, fiquei interessada em lê-lo. Tem um pouco de comédia e desastres por conta da personagem :D

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Fabi,

Oi Fabi!!! Aaah sim, tem alguns desastres que se tornam engraçados porque a personagem dramatiza e conta de forma super legal!

;*




Beatriz Gosmin, disse: - 20-09-2012 (15:12)

Oi Jeh, adorei a resenha!

Eu adoro o Freud, meu filósofo favorito. Adoro a psicologia e tudo o que ela envolve, acho incrível!

Adorei a resenha e fiquei com pena da personagem e seus namoros fracassados, porém isso na história parece dar um ar engraçado.

Achei fofa a sua foto que você colocou com o livro, e espero que eu o leia um dia.

:D

Quando a booktour, estou participando de 2 no momento e não sei se voltarei a participar de outros…

Beijos
Bia | http://www.livroseatitudes.com.br

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Beatriz Gosmin,

Oi flor!!! Que bom que gostou!!! Pois é, pra quem ama Freud e espera muita influência dele no livro pode se decepcionar um pouco. A autora não explorou tanto esses momentos que seriam bem legais!

Esse foi o primeiro BT que participei, achei super legal mas eu sou muito lerda pra ler, daí fico com a sensação de que estou atrapalhando a fila… :x

Beijos!




Chel Lima, disse: - 20-09-2012 (16:06)

Adorei, Jess. Primeiro, esta capa mais este título. Me conquistaram fácil, fácil. Depois, eu adorei sua resenha. Gosto de livros assim, mais light e divertidos com protagonistas passando em cima de um mar de problemas. E acontece em Belo Horizonte, ADOREI. *O* Sua resenha está ótima, jess, /o/ Beijos,

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Chel Lima,

Ebaaa, que bom que gostou flor! Eu confesso que fui pelo título! Também vou começar terapia e imaginei encontrar algumas respostas sobre tratamentos e até me familiarizar com o sistema, mas esperava bem mais foco da autora nesse quesito!
Mas é uma leitura gostosa, espero que tenha a oportunidade de lê-lo! ;)




Jaira Costa, disse: - 20-09-2012 (17:13)

Oi, Jeh…..

eu ainda não tive a oportunidade de ler…mas quero conhecer sim….achei que a autora se aprofundaria mais nessas teorias freudianas quando li a sinopse do livro….pelo que você falou não foi assim…pena por essa parte…também não gosto de livros com capítulos muitos grande…parece que a leitura não anda…fica empacada…já com muitos capítulos e curtos….tu ler que nem ver e já acabou o livro….virar série desamina a pessoa….gente já tenho tanta série pra ler…nossa….é muita rsrrs….tudo vira série…trilogia e tal….

adorei o novo visu do blog…ficou…fofo….minha opinião..esse desenho da garota ali em cima…me fez lembrar uma certa moça dona de um certo blog em que sempre comento rsrs…… mas achei a sua cara…..ficou linda…fofa…e chique….

bjiss meu bem

Jaira

Livros e Versos

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Jaira Costa,

Oi Jaira, tudo bem flor?? =D

Eu conheci este livro pela Rapha e o booktour que ela organizou, caso contrário imagino que até agora não conheceria, hehehe….

Eu gosto de livros com capítulos pequenos, fica mais fácil parar a leitura e sentir que a minha meta do dia foi cumprida, sabe? Heeheehe!

Beijos!




Felipe Santos, disse: - 20-09-2012 (19:13)

Oi Jeh!

Não sei a razão, mas a capa desse livro me lembra muito o Dráuzio Varella. Não a aparência dele, mas sei lá, parece o tipo de arte que o fantástico usaria para anunciar os quadros dele. Adorei isso. O título é super chamativo – digamos assim – e eu talvez o lesse pela temática sobre morar sozinho e tudo mais, mas também encontraria problemas com capítulos. Identifiquei-me com seu comentário sobre a estruturação de comentários… isso sempre é um problema para mim, mas…

Beijos,
Felipe

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Felipe Santos,

Oi Lipe, tudo bem?? Hahah, que interessante fazer essa associação! Então, eu também fui instigada pelo título do livro!

Morar sozinho, nossa, quando eu era mais nova (caham) sonhava com isso. Agora já não penso nisso, não tenho condições psicológicas, hehehe!

Beijos!




Sandro Honorato, disse: - 21-09-2012 (09:43)

Bom dia :)
Como vai?
Pra dizer a verdade u nem conhecia este livro :O
Gostei da resenha.
Não conseguiu se simpatizar com a protagonista? já passei por isso :(

Beijos e cuide-se Jeh

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Sandro Honorato,

Olá! Estou bem, graças a Deus e você? Não parei pra pensar em qual seria a reação e resenha de um homem na leitura desse livro, agora fiquei curiosa! Hihihih!

Se você ler, ficarei curiosa com sua resenha! =)
Beijos!




Camila Leite, disse: - 21-09-2012 (09:50)

Gostei muito da sua resenha Jeh, mas não acha que se houvesse um aprofundamento da relação paciente x analista não ficaria maçante?
Bem não sei, estou com muita vontade de ler esse livro e achei bacana que ele superou as expectativas da própria autora.
Beijão
Camila Leite

@sonhospontinhos
http://sonhosentrepontinhos.com

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Camila Leite,

Obrigada Camila! Ah eu acho que não, talvez por minhas expectativas estarem em cima justamente de uma relação mais profunda entre paciente x analista – claro, de forma natural e até engraçada!

Mas quem sabe nos próximos livros a Laura dá uma reforçada nas visitas ao terapeuta né? ;)

Beijos!




Bianca Sampaio, disse: - 21-09-2012 (10:21)

Oi, Jeh!
Gente, coitada dessa menina, ela realmente não tem muita sorte no amor hahah.
Ainda não tive a oportunidade de ler um livro em que a personagem vai ao terapeuta, irei me identificar com esse livro. Passei alguns anos da minha infância visitando psicólogos :s
Ótima resenha, Jeh!

Beijos :)

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Bianca Sampaio,

Que nada, a Cat se sente a última mosquinha do cocô do cavalo… hehehe, mas temos vários acontecimentos bem legais, é uma leitura bem light.
Se você for ler, me fala o que achou! ;)

Beijos!




Lidiane Andrade, disse: - 22-09-2012 (12:35)

Sua estante esta muito linda, mas não cabe mais livros nela ne? haha. E agora queremos uma bookshelftour.

Nunca tinha ouvido falar do livro, parece legalzinho, mas não me interessou tanto.

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Lidiane Andrade,

Lidi!! Huhuhuh, aaah flor, mas tem que caber mais livros!! Nem que eu tenha que mudar de posição, colocar um em cima do outro, mas tem que caber!! Hihihih!!

Se, por acaso você ler este livro, quero ver sua opinião! ;)
Beijos!




Gilciany, disse: - 22-09-2012 (21:53)

Hium Jeh, esse livro me deu a impressão de ser bem engraçado, acredita?
Bem, não vi vc mencionar que deu risadas com ele, mas lendo a sua resenha não sei pq, fiquei com essa impressão, de que ele nos faz rir, com a situação de Cat.
Bem, de toda forma, mesmo que ele não traga as risadas, fiquei com uma impressão boa dele e pode ser que eu confira, quando tiver uma oportunidade.
Adorei a resenha flor.
Bjus

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Gilciany,

Oi Gil! Pois é, a autora investiu legal nos momentos de diversão, alguns momentos dá pra rir sim! A Cat é uma personagem alto astral, mesmo nos momentos desesperadores e birrentos da vida dela, hehehe!

Se for ler, me fala o que achou ok? ;)
Beijos!




May, disse: - 23-09-2012 (08:02)

Nossa, fiquei curiosa pra ler esse livro! Sua resenha me lembrou “Mulheres solteiras não são de marte”, que é um livro bem engraçado!

Beijinhos,
May :*

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@May,

Oi May!! Esse ainda não li, é bom?? Hehehe, até que gosto de alguns livros nessa linha mas não é meu gênero favorito!

Beijos!




Fernanda Rocha, disse: - 25-09-2012 (13:56)

Este livro parece ser engraçado e o tipico que a gente se identifica em alguma parte. Gostaria de ler ele, acho que eu ia amar!!!

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Fernanda Rocha,

Oi Fer! Sim, tem muitos momentos engraçados no livro! Ele é bem mais light do que o título aparenta! ;)

Beijos!




Débora, disse: - 28-09-2012 (08:37)

Olá!
Que livro mais bacana!
Eu ainda não conhecia, bom ainda não conheço muitos títulos publicados pela Novo século, do selo dos novos talentos da literatura brasileira.
Achei o livro muito fofo, a capa é linda e parece ser fofo!

Até mais, beijos.
enfimdeasasabertas.blogspot.com

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Débora,

Oi Débora! Eu só fui conhecer este livro através da Rapha (blog Equalize da Leitura) e fiquei super feliz com a experiência! É bom conhecer novos autores, né?? xD

Beijos!




Amanda Faustino, disse: - 30-09-2012 (19:11)

Caracas, que sorte ela tem hein?! Eu gostei da resenha e da sinopse, acho que iria gostar do livro. Gosto de livros assim, mais lights, como disse você.

Beijos,
Mandi – Book and Cupcake.

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Amanda Faustino,

Oi Mandi, tudo bem?? Pois é, hehehe, esse livro é bem light mesmo, eu esperava mais conversas no divã e conhecer mais sobre Freud aplicado no dia-a-dia da Cat, mas enfim, espero que a autora desenvolva essas conversas no segundo livro!

Beijos! ;*




Duda Oliveira, disse: - 06-10-2012 (11:55)

Oi, Jeh!
Desculpe desaparecer assim… Estou um tanto enrolada, mas sempre passo aqui e leio seus posts!
Eu nunca tive curiosidade de ler este livro, achava a capa um tanto infantil e tenho lido diversas resenhas negativas, então fiquei um tanto com medo…
Mas se chegar um dia as minhas mãos lógico que vou ler com prazer, mas não é o tipo de livro que eu corro atrás para ter em minha estante, sabe?
Pena que não tenha superado suas expectativas…
Mil beijos, flor!
Duda – http://dudaoliveira10.blogspot.com.br


Elen Carina, disse: - 21-10-2012 (11:44)

Olá!!
Eu não conhecia essa autora.
Gostei da capa, do nome do livro.
Achei bem legal a história pela sua resenha. É um livro que eu leria sim, e estou ansiosa para isso, pois parece muito agradável.
Parabéns pela resenha.

Beijos :)


Janna, disse: - 24-10-2012 (13:20)

Olá amiga, gostei bastante da sua resenha, eu já tinha lido algo a respeito desse livro, e vi que ele está fazendo bastante sucesso, espero um dia conhecer a história de Cat.

BjOs!!!


@blogdimoca no Instagram!

Di Moça :: Colecionando sonhos e palavras! - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015 - Ilustração por Juliana Rabelo