categoria2 category image

A última carta de amor :: Jojo Moyes

11 . julho . 2012

É tão bom quando um livro afeta seus sentimentos em cada página, capítulo lido. A última carta de amor, de Jojo Moyes, é exatamente esse tipo de livro. Cada capítulo lido, uma opinião diferente. Não sabia o que ele reservava pra mim, afinal de contas são tantos acontecimentos, tantas reviravoltas que é impossível tomar uma decisão antes de ler a última página. Jojo Moyes conquistou meu coração literário com este romance trágico.

A última carta de amor (The last letter from your lover)
Autora: Jojo Moyes
Páginas: 378
Editora: Intrínseca

* Livro enviado pela editora como cortesia.
Sinopse:

Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. Novamente em casa, com o marido, ela tenta sem sucesso recuperar a memória de sua antiga vida. Por mais que todos à sua volta pareçam atenciosos e amáveis, Jennifer sente que alguma coisa está faltando. É então que ela descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por “B”, e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com seu amante. Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalha. Obcecada pela ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido — em parte por estar ela mesma envolvida com um homem casado —, Ellie começa a procurar por “B”, e nem desconfia que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução para os problemas de seu próprio relacionamento. Com personagens realísticos complexos e uma trama bem-elaborada, A última carta de amor entrelaça as histórias de paixão, adultério e perda de Ellie e Jennifer. Um livro comovente e irremediavelmente romântico.

Crédito: Skoob

Jurei não tornar a procurá-la. Mas já faz seis semanas e não me sinto melhor. Estar sem você – a milhares de quilômetros de você – não me traz nenhum alívio. O fato de eu já não estar atormentado por sua proximidade, de já não precisar encarar diariamente minha incapacidade de ter a única coisa que eu realmente quero, não me curou. Piorou as coisas. Meu futuro parece uma estrada desolada e vazia.
Não sei o que estou tentando lhe dizer, minha adorada Jenny. Talvez não apenas que, se tiver o mais vago sentimento de que tomou a decisão errada, esta porta ainda está aberta.
E, se sentir que foi a decisão acertada, saiba ao menos isso: em algum lugar deste mundo há um homem que a ama, que entende quão preciosa e inteligente e boa você é. Um homem que sempre a amou e que, por mais que ele tente evitar, desconfia que sempre a amará.
Seu,
B.

Gente, se vocês soubessem como é complicado resenhar esse livro. Por ter vários aspectos que mexeram comigo de forma positiva e negativa. Mas nenhum ponto chegou a ser um empecilho tão grande que não desse ao livro as cinco estrelas. A última carta de amor – assim que a última página foi lida – me deixou extasiada, perplexa e realmente apaixonada. Um romance trágico, daqueles que o destino quer ver sofrer com a distância.

Ellie Haworth tem 32 anos e trabalha no jornal Nation. Mas nada disso a torna especial, a não ser o seu caso com John Armour – um homem casado. Mesmo sabendo das complicações de estar em um romance extraconjugal, Ellie é uma mulher que vive para o emprego. Então não é tão mau assim, é?
E para deixá-la mais ocupada, o jornal Nation está passando por uma grande mudança: a editora está mudando de prédio e Melissa, sua chefe, precisa de uma matéria muito boa. Algo que envolva o jornal de 40, 50 anos atrás. Um comparativo do antigo Nation com o novo e reformulado Nation. E nos arquivos do jornal, Ellie encontra uma carta datada de 1960 endereçada à caixa postal 13, em Londres. Apenas isso, e mais nada.

Voltamos no tempo, 1960, onde tudo começou. Jennifer Stirling, 27 anos, acorda em um hospital após sofrer um grave acidente de carro mas não consegue se lembrar de nada – nem do marido. Mesmo com as notícias diárias no jornal, recordações contadas pela mãe e fotos em preto e branco, não conseguem trazer à tona qualquer relação daquela nova-mulher com a dos retratos. Com as visitas frequentes, ela descobre que é uma mulher casada há 4 anos, não tem filhos e mora em uma casa muito boa em Londres – com direito a governanta e motorista. Seu marido, Laurence Stirling tem um cargo influente no setor de mineração e vive viajando. Será que essas informações bastam para ela recomeçar sua vida?

Ao retornar para casa, Jennifer tenta atuar no papel da antiga sra. Stirling. Pelo visto tem boas amigas, Yvonne Moncrieff é uma delas. Está sempre ajudando Jenny a superar as dúvidas, o medo e as tarefas que parecem ser novas, nunca feitas antes. Não se lembrar do que achava da vida e como se comportar com as pessoas, é uma tarefa que Jennifer terá que enfrentar e decidir sozinha. Os jantares sofisticados exigem uma Jennifer impecável, linda, cheia de autoconfiança. Jantares com ironia sofitiscada, um jeito de falar despreocupado e arrogante. É esse circulo social meio metido que sra. Stirling faz parte. E isso parece incomodá-la de alguma forma. Alguma coisa está faltando, mas o quê?

Em contrapartida, Anthony O’Hare é correspondente internacional no jornal Nation. Acostumado com uma vida agitada no Congo, cobrindo notícias políticas de um governo revolucionário, O’Hare parte para Riviera com a missão de entrevistar Laurence Stirling. Para quem tinha uma vida agitada, cheia de ação, ir ao encontro de um magnata metido à besta não será um grande prêmio. Mas Anthony não imagina que sua vida está prestes a mergulhar em um romance cheio de reviravoltas.

Enquanto Jennifer tenta recuperar a memória, a autora nos apresenta novos personagens, novos-antigos acontecimentos em uma narrativa sem ordem cronológica. Ou seja, imos e voltamos no tempo dentro de um capítulo sem aviso prévio. Um encaixe, com alteração de ordem temporal, narrado em terceira pessoa. Esse foi um dos motivos de ter me incomodado muito, já que no começo fiquei perdida quanto aos fatos. Demorei um pouco para ligar os acontecimentos e colocá-los na devida ordem de espaço/tempo.

Jojo Moyes divide a estória em três partes. A primeira (1960) e segunda (1964) são quase exclusivamente focadas na estória de Jennifer Stirling, a recuperação da memória e o caso de amor extraconjugal com “B” – você precisa ler este livro e descobrir quem é “B”!. Na terceira parte (2003), “voltamos” para a vida de Ellie e o impacto que as cartas encontradas farão em sua vida – tanto profissional quanto pessoalmente.

Uma característica legal é que o livro não é narrado em cartas. Achei que seria assim e me surpreendi. A autora apresenta cada capítulo com uma última carta de uma pessoa para outra (cartas verdadeiras) e apresenta os personagens com foco onisciente. No começo do livro, as informações parecem ser vagas e sem sustância mas, ao juntarmos todo o contexto, a estória é rica e muito bem construída.

Você já pensou, alguma vez, em viver um grande amor? E se, de repente, esse grande amor já tivesse um amor? Até onde você iria para viver esse sentimento? Largaria tudo para ter essa pessoa?
Jennifer Stirling é uma personagem que enriquece o significado da força feminina, do querer e do poder. Mas às vezes, quando o destino desfavorece qualquer pretensão, a lembrança do amor – no final das contas – se torna apenas um motivo para seguir em frente.

Gente, uma estória fantástica. Desencontros inesperados, acontecimentos trágicos que separam pessoas uma das outras, mentiras, trapaças, atração, traição. Noites insones, de culpa, apavorante e irrevogável exercida por alguém proibido.
Queria eu poder contar todo o livro para vocês e dizer quão bom e quão dramático é. Os trechos das cartas nos fascinam – quando entendemos o motivo de cada uma delas. Você pode se apaixonar por um homem dogmático; se consolar com as decisões de uma mulher perdida e desestruturada; se irritar com o comportamento de um homem da sociedade londrina dos anos 60. Ou você pode se surpreender drasticamente.
Vicariamente.

No começo da leitura fiquei em dúvida, com relutância e até desanimada. Achei que eu era a única leitora perdida nos primeiros capítulos. Mas, quando você dá uma chance, seu coração pode te pregar uma peça. É aquele tipo de livro que a partir da segunda leitura que vai impactar, mexer mais. Um tipo de livro que seria o filme “rapadura” perfeito.
Super recomendado para todos os apaixonados, para todos os que vivem ou viveram um amor proibido e para aqueles que não acreditam na força do amor.

Um beijo e até o próximo post!

Jojo Moyes

Jojo Moyes nasceu em 1969 e cresceu em Londres, no Reino Unido. Estudou jornalismo e foi correspondente do jornal The Independent até 2002, quando publicou o seu primeiro romance, Sheltering Rain, e resolveu dedicar-se à escrita a tempo inteiro.

Site da autora | Blog da Intrínseca



• Hey! Deixe um comentário aqui •

• Temos 46 comentários nesta postagem" •

Daniela, disse: - 11-07-2012 (13:59)

Que resenha maravilhosa Jeh!

Ai eu sou uma eterna apaixonada por troca de cartas e AMO livros que abordam esse tema. Mesmo que contenha doses de humor, suspense ou até tragédia, para mim, sempre terá aquela velha conotação romântica.

Estou em uma fase literária meio que “infanto-juvenil”, me acabando em “As Crônicas de Nárnia”, mas quero me dar a chance de ler um bom romance, como há tempos eu não lia e acho que este livro tem os ingredientes certos para isto!

Adorei a resenha e por intermédio dela deu para perceber o quanto este livro realmente mexeu contigo!

Já quero pra ontem!

Beijinhos,

Dani – @daride


Samanta Holtz, disse: - 11-07-2012 (14:18)

Oi, Jeh!!!

OWNNN eu sempre fui absolutamente louca só pela capa e pela sinopse deste livro…… agora, lendo uma resenha tão apaixonada, fiquei doidinha por ele! rs

(Não adianta, a primeiríssima coisa que me conquista, em um livro, é a capa! Sei que é errado, ilusório etc etc etc, mas é kkkkkkkk)

Não imaginava que se tratava de uma história com tantas idas e vindas!!! Deve ser lindo MESMO!

Beijos

Samanta Holtz
autora de O Pássaro


Quequel, disse: - 11-07-2012 (18:07)

Eu quero!! Eu quero !!! Eu quero !!

Amei a resenha Amiga e a foto tb… depois diz q não é criativa.. ah tá! rsrs
Quero muito ler esse livro.. esse e mais um monte né?! kkk

Até mais !!
Bjisnss


Kel Costa, disse: - 11-07-2012 (20:01)

Oi Jeh! Quanto tempo não passo por aqui… O layout está fantástico *-*

Quero muito ler esse livro, ele me conquistou assim que bati os olhos, pq a capa por si só já é uma fofura. E a história tb parece mesmo ser ótima. Espero poder ler em breve, pq a fila de leitura está tão imensa… =/
Às vezes acontece msm de no início de alguma leitura, não nos empolgarmos, sei lá… mas quando acontece, é uma delícia, né?

Bjs,
Kel
http://www.itcultura.com


Amanda Christina, disse: - 11-07-2012 (22:40)

Estou morreeeeeeeeeeendo de vontade de ler esse livro, e lendo essa resenha me deixou com mais vontade ainda!
Beijos!!


Tais, disse: - 12-07-2012 (08:10)

Ai esse livro é tão lindo *.*
Tenho a mesma opinião que você.
Esse livro mexeu muito comigo, a história é linda e emocionante.

bjs
Tais
http://www.leitorafashion.com.br


Lipe Ralf, disse: - 12-07-2012 (15:38)

Oi Jeh, tudo bem?
Que resenha empolgante, não esperava que o livro fosse tão bom assim.
Sempre é bom ler um livro que após a leitura nos deixa perplexos (precisando ler mais desses)
Por ser divido em várias partes sinto um pouco de receio em ler um livro como este. Quer dizer gosto de livros em partes, mas um com 02 protagonistas, não é muito minha praia.

Lipe Ralf
meus-erros.blogspot.com.br


Gabriela Amoroso, disse: - 12-07-2012 (15:50)

Oii Jeh
Já tinha lido uma resenha desse livro e era negativa. Quando vi que você resenhou esse livro quis saber a sua opinião, e posso falar? Sua resenha me convenceu! haha
Fiquei encantada e super curiosa para saber se o amor proibido chegou a se concretizar ou não…

Beijos,
Gaby
http://pitadadecultura.blogspot.com.br/


Caue, disse: - 12-07-2012 (18:36)

muito lgl a resenha! uma coisa que eu simplesmente adorei no livro eh a capa! eh como ver um 3D sem óculos, ficou linda dmais *-*


hangover at 16


Amanda Faustino, disse: - 12-07-2012 (19:50)

Se eu já tinha muita vontade de ler esse livro, AGORA EU TENHO MUITO MAIS! Meu Deus, esse livro parece ser maravilhoso.
Eu sou apaixonada por qualquer livro que tenha romance, qualquer romance já me conquista. E esse… God! Eu preciso ler esse livro.

A resenha está ótima!

Beijos,Mandi – Book and Cupcake.


Poly, disse: - 12-07-2012 (21:27)

Fiquei louca para ler esse livro desde que vi a resenha da Gabi Orlandi.
Agora vc vêm e me fala super bem dele >__<
Adorei sua resenha, flor!
Bjuxxxx


Ana Luiza Rosa, disse: - 12-07-2012 (23:38)

Aim Jeh, você como sempre super inspirada nas resenhas né?
Poxa como te disse no face, manteiga derretida como sou não posso ler um livro destes, minha nada mole vida, com tantas coisas que passo não me permitem romances assim, IAHSIUAS NÃO MESMO xD mas quero tanto ler, me apaixonei pela capa, também achei que seria no estilo de @mor (porém em cartas, não emails). Este quote que tu escolheu amaçou meu coração humilde, quase que ele me barra para ler tua resenha, é tão estranho quando esbarramos com uma coisa que parece ser escrita exatamente para nós né? :)

beeeijitos Pimpolha
Ana Lu
@oficiodoslivros


blanc, disse: - 13-07-2012 (09:55)

Não gostei desse livro ;/
A capa dele é linda demais!

Bacio, Selene Blanchard
Modaeeu.blogspot.com
Espero sua visita


Raíssa Lins, disse: - 13-07-2012 (23:29)

Já li outras resenhas a respeito do livro, mas acho que nenhuma das anteriores falava desse tom tão dramático do livro. Parece uma história maravilhosa que mexe com tudo aquilo que você pensa sobre o amor, afinal, é um livro sobre dois amores adúlteros, né? Acho que é uma leitura muito válida.

Beijos


May, disse: - 14-07-2012 (13:07)

Profunda sua resenha. Eu não escondo que sou apaixonada por capas, e essa me conquistou desde a primeira vez que a vi. Esse é um dos livros que estou pensando em comprar na Bienal! *–*

Beijinhos,
May ;*


Jayane, disse: - 14-07-2012 (14:50)

Só li resenhas positivas desse livro,parece ser muito bom mesmo to ansiosa para comprar e ler.


Anna Schermak Alves, disse: - 14-07-2012 (22:38)

Porque você não colocou ali “Indicado para a Anna?” hehehehe Minha cara, sem dúvida, vou ter que ler jeh!

Ps: chegou a cartinha, obrigada por mandar (: vou te responder logo logo!

Pausa Para um Café – Resenha de Livros


Viviane de Andrade, disse: - 15-07-2012 (12:02)

O livro é super lindo !! Ótima resenha !! Sucesso :)

http://devaneioselivros.blogspot.com.br
Viviane de Andrade
@DevaneiosLivros


Danni, disse: - 15-07-2012 (13:43)

Esse livro é mesmo um amor *-* Eu confesso que também estava meio perdida nos primeiros capitulos mas depois a história me envolveu tanto que eu comecei a me encantar pelo amor de B. e Jennifer ?

Parabéns pela resenha!

Beijos :*
ps: depois que eu aprendi o que quer dizer “vicariamente” (com este livro) sempre que posso uso essa palavra HAHAHAH


Angélica, disse: - 15-07-2012 (17:01)

Oiie, Jeh. Tudo bem?
O Meine Liege está de cara nova, né?! Ameei!!! ?
Eu amo livros assim, sou até suspeita para falar. Já é mais um livro para minha imensa lista! hehe
Beijos :*


Gabi, disse: - 15-07-2012 (21:56)

Também tive uma imensa dificuldade em resenhar esse livro. Como a gente resenha uma história tão profunda? Complicado. O livro com certeza mexe com quem lê, faz com que os apaixonados chorem, se emocionem com a história. Eu amei o final, é lindo lindo lindo. Chorei muito quando achei que coisas trágicas tinhas acontecido. Soltei gritos quando vi que não. Enfim, é um livro inesquecível. Super merece as 5 estrelas.
Beijocas, boa semana.


Felipe Santos, disse: - 16-07-2012 (10:23)

Olá Jeh, tenho esse livro e emprestei para uma amiga ler antes de mim e ela também amou. A capa e a diagramação são uma arte por si só, vejo que o conteúdo também é especial. O que estou esperando para começar a lê-lo logo? Uma das minhas próximas leituras com certeza.

Beijos,
Felipe
A Hora do Livro


Fernanda Curvellano, disse: - 16-07-2012 (19:16)

Parece ótimo, to precusando de ler umas coisas assim… Lindo seu blog! Beijos


Babi Lorentz, disse: - 16-07-2012 (22:10)

Jeh, o que eu mais gostei no livro foi a capa.
É, eu não fiquei fã da história. Achei muito confusa, apesar de ter gostado do livro ao chegar no final e ver o desfecho da história. Achei mesmo que foi bem construído. Mas não consigo gostar 100% de um livro quando me sinto perdida durante a narrativa dele.
Beijos.


Folhas de Sonhos, disse: - 17-07-2012 (19:41)

Trocas de carta fizeram minha infância. Pena que não é mais assim… A capa é mt bonita, e que bom que vc gostou!

abraços,
Luciana
http://folhasdesonhos.blogspot.com


Ana Claudia, disse: - 18-07-2012 (22:08)

Que resenha linda
Eu sou uma eterna romântica e amo livros que abordam esse tema.

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Ana Claudia,

Oi Ana, tudo bem? =)
Hummm, se você é romântica vai adorar este livro! Se gosta de romances trágicos, vai amar! Se tiver a oportunidade de lê-lo, venha compartilhar sua opinião sobre o livro! ;)

Beijos!




Raphaela, disse: - 19-07-2012 (13:49)

Oie Jéh!

Tô pra escrever a resenha desse livro também e estou procurando por palavras para poder descrever o que eu tbm senti enquanto lia. Ao contrário de você, em nenhum momento me senti perdida ou desanimada – mas isso vale muito do momento em que estamos -, mas eu que sou uma romântica devota E apaixonada por cartas? Cara, foi o livro perfeito! Eu parei e fiquei pensando: caramba, mesmo nos dias de hoje, o poder e o sentimento que a carta tem, traduz TUDO que nenhum email ou meio eletrônico será capaz de transmitir! É por isso que eu escrevo, escrevo e mando!

Um livro realmente lindo!

Beijokas! :*

Raphaela
Equalize da Leitura
@EqualizeLeitura

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Raphaela,

Oi Rapha!!
Nem me fale, demorei uns três dias para escrever a resenha e não consegui expressar toda a reviravolta que tem na estória! Acontecem tantas coisas, não é? Menina, eu ficava louca com o destino dos dois, aff!
Eu fiquei desanimada no começo e meio perdida… fui realmente me “apegar” a partir de 1964 (parte 2), aí sim investi bastante na leitura e me surpreendi, oh dear… o.O

Vale a pena, não é? E o poder que uma carta tem de mudar a vida de uma pessoa é muito legal!

Beijos!




Jaira Costa, disse: - 20-07-2012 (10:34)

Oi, Jeh

eu to doente por esse livro, preciso dele….urgentemente…já li algumas resenhas super boas, e como a sua me deixou ainda mais doida pra ler…adorei a resenha, ela me deixou sofrendo por ele….rsrsr….ele tá no topo da minha lista….preciso dele……(momento fiquei doida) rsrsrs

bjisss flor

Jaira

Livros e Versos ;)

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Jaira Costa,

Oi flor! Hehehe, nossa, quer tanto assim? Que bom!! Olha, se você gosta de romances trágicos e sofredores você vai amar “A última carta de amor”, hehehe. Eu amei e não sabia que era fã de estórias assim, me impressionei. No começo fiquei relutante até demais, mas vale a pena continuar a leitura! Depois quero saber sua opinião, viu! *-*

Beijos!




Gustavo, disse: - 20-07-2012 (12:40)

otima resenha , parabens

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Gustavo,

Obrigada Gustavo! E obrigada pela visita também, seja sempre bem vindo!

Abraços!




Ana Cristina Magiero de Sousa, disse: - 20-07-2012 (16:57)

Oi Jeh!

Já ouvi falar deste livro, até li umas resenhas ótimas, de pessoas indicando pois é super bom. Mas acho que é um pouco romântico demais, para mim neste momento, estou ansiosa para ler, mas vou ter que esperar um pouco o momento certo :)
Adorei sua resenha, está ótima :)
Beijos

Ana Magiero
Garota Sonhadora Em Livros

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Ana Cristina Magiero de Sousa,

Oi Ana, tudo bem?? Nem me fale, eu amei esse livro! É muito trágico mas de um jeito bom, será que existe isso? Hehehe….

Espero que você goste! No começo pode parecer cansativo, chato – porque pra mim foi assim – mas não desiste, firme e forte porque vale a pena! ;)

Beijos! ;*




Lígia Paulino, disse: - 22-07-2012 (08:55)

Oii Jeh!!!!!!!!

Saudades de você!! Eu comprei esse livro rsrsrs.. eu estava na livraria procurando o presente para um amiga e quando vi a capa e a sinopse me interessei.. e o preço também estava bom. Ainda não li, mas uma boa parte do que eu achei que aconteceria comigo aconteceu com você!

Meus parabéns pela resenha, mais uma vez você me conquista e me faz querer ler o livro agora mesmo com as suas palavras!!

Na minha próxima caixinha do correio o que eu comprei né.. kkk vou colocar um trecho da sua resenha *-*

Xerãooooo

P.S. E ai senhora, não se resolveu? Vai nos abandonar e nem vai me ver na Bienal? ;/ Nós já compramos as passagens… vai pelo menos um fim de semana e fica com a gente ;) Um Xerãoooo

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Lígia Paulino,

Lili!! Eu também estou com saudades! Assisti sua última caixinha de correio chiquérrima em francês, que coisa boa!!
\o

Aaah que legal que comprou! É um ótimo livro para dar de presente mesmo, e claro, para você ler! É rápido, flui maravilhosamente bem – eu que sou enrolada e levei mais de um dia (um dia e meio) pra terminar!

Espero que goste da leitura! Depois vou ler sua opinião sobre o livro! ;)

Então, amanhã pretendo falar com o paitrocinador e se ele aceitar, tudo certo! \o
#oremos

Beijos!




Mônica dos santos, disse: - 22-07-2012 (23:41)

Oi,Jeh???
Quero saber se vc ja leu esse livro:Presentes da Vida – Nem Sempre o Que Queremos É o Que Realmente Precisamos??????
Se jà leu…O que achou? se eu não me engano….Esse livro è continuação do livro: o noivo da minha melhor amiga.

Sinopse:
Darcy Rhone sempre teve todos os homens aos seus pés. Tinha um emprego glamouroso, um seleto círculo de amizades e um noivo perfeito, Dexter Thaler. No entanto, tudo mudou quando Darcy se envolveu com o melhor amigo de seu noivo… Seu noivado acabou e perdeu sua melhor amiga, Rachel. Incapaz de assumir responsabilidades e de enfrentar todo esse mal-estar, Darcy foge para Londres, para a casa de um amigo de infância, imaginando que poderia passar uma borracha em tudo isso. Mas, para seu desânimo, Londres se torna um mundo estranho, onde seus truques de sedução não mais funcionam e onde sua sorte parece ter se evaporado. Sem amigos nem família, Darcy precisa dar novo rumo à sua vida e, assim, começa uma linda trajetória rumo ao crescimento e ao amor.

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Mônica dos santos,

Oi Monica, tudo bem?
*-*
Então, como eu disse pelo face – hehehe, só agora vi seu comentário aqui no ML – “Presentes da Vida” é spin off de “O noivo da minha melhor amiga”. Alguns leitores disseram que não há problema em ler o segundo sem ter lido o primeiro. Eu prefiro ler na sequência, acho mais legal… ;)

Beijos!




Thaiane Nobre, disse: - 24-07-2012 (10:12)

Eu to devendo um comentário aqui a um tempão… e em especial nesse post. Primeiro que eu simplesmente AMEI a nova cara do blog, ficou tudo muito fofo e muito lindo! *_*

E essa resenha… confesso que nunca tinha parado para ler nenhuma resenha desse livro, e até já tinha decidido não ler. Apesar da capa ser uma das mais lindas que eu já vi… não sei pq, mas livros que abordam histórias de mil novecentos e bolinhas não me atraem e muitas vezes acho chato… (tirando um amor para recordar) mas esse me parece diferente e depois da sua resenha me deu vontade de ler e de ter!! rs

Ainda mais agora que ando preferindo e me interessando mais por livros do cotidiano, com histórias mais reais… ou seja, to fugindo do sobrenatural. :P

Beeejos. =))

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Thaiane Nobre,

Oi Thai!
Imagina, fico feliz em saber que você se lembra do Meine Liege mesmo com a correria no dia-a-dia, obrigada pelo carinho!
Fiz um layout mais “pessoal” porque, afinal de contas, aqui é meu divã né? Hehehe, que bom que gostou!

Menina, esse livro é lindo! Não tem nada a ver com os romances que li até agora, é muito lindo de forma trágica, sabe? O destino faz de tudo para manter o casal longe um do outro, com tantos acontecimentos que a gente fica de queixo caído! Muita reviravolta, intriga, vale a pena ler! Espero que goste!

Beijos!




Genilda Silva, disse: - 24-07-2012 (14:19)

Participei de um sorteio para ganhar esse livro. Acho tão romântico mandar cartas, mas isso hoje é ultrapassado, porque vivemos na era do e-mail!
A história deve ser mesmo muito linda.

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

@Genilda Silva,

Oi Ge! Aah que bacana, mas ganhou o livro? Espero que sim! É uma história linda, comovente, trágica… impossível não ficar pelo menos com o coração apertado, rs!

Beijos!




Ariane, disse: - 02-08-2012 (18:56)

adoreiii a resenha… quero mto ler esse livroo!!


Júh Zanotti, disse: - 15-08-2012 (19:37)

já ouvi excelentes opiniões sobre este livro e desde que o vi quero muito. Você me convenceu de vez agora kkkk


Eliana, disse: - 15-08-2012 (20:24)

Oi,

Resenha muito boa!
Tô morrendo de vontade de ler o livro. Não vejo a hora de comprar o meu.. hihi’
Além do livro em si acho a capa super linda, que foi o que me conquistou só de ver ele.. <3
E olha, a vontade aumentou muito depois de ler sua resenha… :D
Beeeeijos ;*


@blogdimoca no Instagram!

Di Moça :: Colecionando sonhos e palavras! - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015 - Ilustração por Juliana Rabelo