categoria2 category image

Entre o Agora e o Nunca :: J.A Redmerski

07 . maio . 2014

E os anjos cantam aleluia filha, finalmente a resenha de “Entre o agora e o nunca” foi ao ar no blog! Ave Lola, para que tanta demora, alguém me explica?
Na verdade, eu mesma explico: estou com muita dificuldade para organizar meu tempo em relação ao blog, serviço, descanso (preciso de muito descanso e tempo livro (compras, compras, compras!!!). Já deu para perceber que a minha vida é tipo de diva depois do terremoto, né? Então por favor, me desculpem pela demora, vou tentar o máximo possível trazer as outras resenhas (pendentes, diga-se de passagem) por aqui!

Infelizmente, peço para que as crianças menores de 16 anos se retirem do blog!


O Di Moça recomenda este livro para maiores de 16 anos

Entre o Agora e o Nunca (The Edge of Never)
Autora: J.A. Redmerski
Ano: 2013
Páginas: 368
Editora: Suma de Letras

* Livro enviado pela editora como cortesia.
Sinopse:

Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos que desistiu do amor desde que Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano. Sua melhor amiga, Natalie, é a única capaz de animá-la. Mas a relação entre as duas fica abalada quando o namorado de Nat revela à Camryn que está apaixonado por ela. Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino.
Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, Camryn embarca para Idaho. Mas o que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. Andrew se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma conexão irresistível se forma entre os dois.

Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos. Narrado em capítulos que alternam as vozes de Andrew e Camryn, Entre O Agora e O Nunca é uma história de amor e sexo, na qual os personagens testam seus limites, exploram seus desejos e buscam o caminho que os levará à felicidade.

Créditos: Skoob

Esse foi um dos melhores livros (até agora) de 2014 e me arrependi amargamente de não tê-lo lido antes. Okay, nem tanto porque eu sempre faço isso, digo, demorar pra ler um livro e depois me arrepender de não ter feito isso antes. Mas uma coisa sempre funciona comigo: eu sempre começo uma leitura no momento que eu precisava dela. Por exemplo, a história que a J.A. nos apresenta caiu como uma luva diante da minha vida pessoal, do que eu gostaria de viver e experimentar e da liberdade de falar sobre sexo sem receio ou como o maior pecado de todos os tempos.

Camryn Bennett tem 20 anos (flor da idade) está cansada da mesmice de sua vida. É aquele tipo de garota que pensa sobre a vida, cada aspecto possível dela; diabos está fazendo aqui. Até mesmo antes de Ian – seu ex-namorado – morresse – ela sempre teve ideias meio não convencionais. Em vez de ficar o tempo todo imaginando novas posições sexuais, como sua melhor amiga (Natalie) muitas vezes faz com Damon (o cara que ela está namorando há cinco anos), ela prefiro pensar em coisas que realmente importam. Ao menos no mundo dela, elas importam. Como é sentir o ar de outros países na sua pele, qual é o cheiro do oceano, por que o barulho da chuva a faz suspirar. Ou seja, dá para sentir em poucas linhas que Cam é o tipo depressiva.
Então, em um dia, sentada no mesmo café que vai com Nat, a ideia de surge através da amiga: que tal só a Cam e uma mochila com o indispensável? Nada de contas pra pagar. Nada de acordar na mesma hora todo dia pra ir pra um emprego que ela detesta. Só ela e o mundo à frente. Sem nunca saber o que o dia seguinte vai trazer, quem vai conhecer, o que vai comer no almoço ou onde vai dormir.

“Vou me curar no meu ritmo, e não preciso de um comprimido pra consertar as coisas.”

Cansada dos mesmos problemas atormentando a vida dela desde o divórcio dos pais, o irmão mais velho – Cole – indo pra cadeia, a morte do amor da sua vida, tudo isso só tem atrasado a vida de Cam. E quando se deu conta de que sua vida seria uma rotina sem graça como auxiliar de gerência de uma loja, ela resolve “botar o pé na estrada”. Aquele formigamento no cérebro a forçou a se levantar. E ela se levantou. Calçou os sapatos, arrumou uma pequena mala esportiva com o indispensável e pegou a bolsa. Não havia lógica nem senso de propósito algum em tudo isso, a não ser saber que ela precisava fazer alguma coisa diferente do que estava fazendo em Kansas, ou não conseguiria sobreviver.

“Estou sozinha de novo. A mais de mil quilômetros de casa. Sem direção, sem propósito, sem outros objetivos além de tentar me encontrar nesta jornada que jamais imaginei que teria coragem de começar. E estou com medo. Mas preciso fazer isso. Preciso,porque preciso deste tempo sozinha, longe de tudo o que aconteceu em casa e acabou me trazendo aqui.”

Partindo para Idaho de ônibus, Cam tem a oportunidade de conhecer Andrew Parrish, um carinha de 20 anos com destino à Denver; que tem vergonha de contar que fez, em segredo, alguns trabalhos como modelo para várias agências importantes, mas só porque passou por dificuldades ano passado. E é a partir dessa longa viagem (gente, odeio viajar de ônibus) que nasce a atração.
Até Cam, uma garota mais sossegada sabe que caras gatos sabem que são gatos. Sabem e pronto, até aqueles que não ficam se mostrando. E também é da natureza humana dos caras gatos achar que automaticamente que um sorriso inocente ou uma conversa que continua por três minutos sem nenhum silêncio constrangedor são sinais de atração.
Portanto, essa “amizade”vai me dar muito trabalho.

“Apenas se lembre sempre de ser você mesma, e não tenha medo de dizer o que pensa, nem de sonhar em voz alta.”

Dois jovens diferentes mas que se complementam. Cam, a garota depressiva com uma leve característica de TOC. Sempre amargurada pelo seu passado, o irmão caçula-problemático, a mãe receosa com a situação da família e o seu primeiro amor morto em acidente de carro há cinco anos atrás.
Enquanto isso, Andrew tem um jeitinho machista e possessivo mas que dá para suportar e até relevar. Um cara que tem um presente e um futuro muito comprometedor mas que tenta viver cada dia da melhor forma possível.
E o que se torna mais visível durante a viagem é que alguma coisa esquisita acontece quando você passa vários dias com um estranho no ônibus, conhecendo-o e apreciando sua companhia. E quando ele não é muito diferente de você e os dois têm uma conexão, sem contar um para o outro por que estão sofrendo, isso só torna a inevitável partida ainda mais difícil.

“- Talvez, em algum momento desta viagem com a qual você concordou, vamos conseguir contar um pro outro as coisas que não queremos contar.”

Bom, só posso contar até aqui porque o clímax do livro foi a viagem inteira que ambos passaram juntos. Se conhecendo fisicamente e emocionalmente. Cada um com seu segredo que é libertado aos poucos em terceira pessoa durante as páginas deste livro. J.A Redmerski facilita a leitura com linguagem informal e intercalando os capítulos entre Cam e Andrew. Bom, como disse lá em cima, os personagens começam a se conhecer e rola um clima físico entre os dois. E essas cenas, na minha opinião, foram bem explícitas. Nunca li romance erótico (quero dizer, ainda não) então não posso comparar o nível de sexualidade entre um New Adult e um erótico mas por causa dessas cenas eu não recomendo o livro para menos de 16 anos (sei lá, ainda priorizo a imaturidade da mente de alguns adolescentes – minha opinião, okay?). Também encontramos um vocabulário forte (digo, com muitos palavrões). Algumas pessoas se sentem ofendidas então vai de acordo com o perfil de cada leitor.

Posso confessar que eu fiquei perdidamente apaixonada por Andrew Parrish? É o tipo de cara que eu adoraria conhecer e me apaixonar: tatuado, um jeito maroto, humor irônico e sóbrio ao mesmo tempo. Os melhores quotes do livro vêm das falas dele, ai Meu Deus. Sim, nesse momento me sinto uma adolescente escrevendo sobre seu amor platônico.

De forma geral: super recomendo a leitura. Apesar das cenas mais quentes e o vocabulário forte, a descoberta de sentimentos singulares e ao mesmo tempo sincronizados nos leva a momentos lindos e engraçados (que te deixam com aquele sorrisinho besta no final do capítulo).
E tem The Civil Wars na playlist dos personagens, quase surtei porque é uma das minhas bandas favoritas! *-*

O segundo livro já foi publicado pela Suma de Letras com o título Entre o agora e o sempre! Viram o Andrew Parrish na capa? Quem resiste?. Através do Booktrailer encontrei diversos quotes que já me fizeram sentir parte novamente desta viagem!

Quem leu, já sabe: compartilhe sua opinião conosco através dos comentários! Quem não leu, corre para adentrar em uma viagem emocionante!
Beijos di moça!

J.A Redmerski

J. A. Redmerski é a autora de The Edge of Never, da trilogia Darkwoods e Dirty Eden . Ela é fã de lobisomens e zumbis, viciada em livros e obcecada pelo universo de The Walking Dead. Ela mora em North Little Rock, Arkansas, com seus três filhos e um maltês.


Site da autora | Site da Suma de Letras


• Hey! Deixe um comentário aqui •

• Temos 10 comentários nesta postagem" •

Natália Alves, disse: - 08-05-2014 (11:23)

Estou louca para ler esse livro, até hoje não li nenhum New Adult e estou querendo começar or esse. Amei a resenha!

Beijo,
Naty.


Quemlefazseufilme, disse: - 08-05-2014 (15:39)

Tão lindinho esse livro ! Adoro :-) Doida para ler Entre o Agora e o Sempre


Luddie, disse: - 08-05-2014 (21:46)

Não conhecia esse livro, mas parece interessante. Gostei da sua resenha, vou colocar na minha listinha para ler. =)
Beijoos


Tais, disse: - 09-05-2014 (08:22)

Oi Je,

Eu adoro esses dois livros e amo as capas também *.*
Gostei muito da forma com que a autora desenvolveu a história, principalmente o segundo livro que pensei que seria desnecessário e acabou me surpreendendo positivamente.
Estou curiosa por ler mais livros dessa autora.

Bjs
Tais
http://www.leitorafashion.com.br


Angélica, disse: - 09-05-2014 (17:02)

Oie, Jeh.
Finalmente estou volta ao mundo blogueiro. rs
Esse livro parece ser muito bom, amei a sinopse dele. Já quero.
Ah! Amo as suas fotos, sempre lindas!!!
Beijos


Território das G., disse: - 09-05-2014 (21:58)

Oi, tudo bom?
Vim te fazer uma visitinha.
Sou louca por esse livro, ainda não li o outro.
Não sabia que a autora curtia twd, temos algo em comum então, amei a resenha ^^
Te espero lá no blog.
Bjs*-*
Território das Garotas


Nessa, disse: - 10-05-2014 (07:46)

Oie!
Faz tempo que eu quero ler este livro, mas ainda não tive oportunidade e agora com o lançamento do segundo livro estou mais curiosa.
Adorei sua resenha Jeh.

Beijos


Daniela Farias, disse: - 11-05-2014 (11:31)

Quando li a sinopse no Skoob achei que fosse um livro adolescente, mas lendo a resenha vi que me enganei! hehehe
Parece ser interessante, acho que é do mesmo estilo de Belo Desastre.
Adorei a resenha!
<3


Tarcila Lima, disse: - 11-05-2014 (14:58)

Acho que adoraria esta leitura. Gosto de livros que sejam mais reais. Que lidam com os problemas do cotidiano e que mostram o lado humano com seus erros e acertos, defeitos e qualiades.


Ana Luiza, disse: - 12-05-2014 (13:29)

Louca pra ler esses livros!


@blogdimoca no Instagram!

Di Moça :: Colecionando sonhos e palavras! - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015 - Ilustração por Juliana Rabelo