categoria12 category image

Os Minions invadiram o McDonald’s!

27 . junho . 2013

Tenho vinte e cinco anos mas esqueci de crescer! Quando entrei no Facebook e vi que o McDonald’s tinha escolhido os Minions do “Meu Malvado Favorito” como surpresa do Mc Lanche Feliz, quase surtei! Porque eu simplesmente amo esse desenho! Meus personagens favoritos são a Agnes, o Gru, alguns Minions (claro) e o unicórnio-fofinho (Unicórnios eu amo, são tão fofinhos! Uni-uni-córnios!) mas quando vi esses bichinhos em miniatura, oh meu Deus, não resisti. Hoje mesmo fui correndo até o McDonald’s mais próximo e compre meu lanche feliz (quem come o lanchinho é o Jho – eu como só a batata!). E, para minha alegria, ganhamos um outro Minion! Morri de amores! *-*
Obrigada, vendedor do McDonald’s, por ter sido simpático com meu jeito criança com os Minions e ter me dado mais um!
No mês de julho estreia Meu Malvado Favorito 2 nos cinemas (espero que em Campo Grande também) e não vejo a hora de assistir! Já vi os trailer e achei uma graça, impossível não morrer de amores pela Agnes!


Agora que o empreendedor Gru deixou para trás uma vida de super crimes para criar Margô, Edith e Agnes, Gru, Dr. Nefário e os Minions têm algum tempo livre par aproveitar.

Mas, assim que ele começa a se adaptar ao seu novo papel como pai de família, uma organização ultra-secreta dedicada ao combate do mal em todo o mundo bate à sua porta. Agora, depende de Gru e de sua nova parceira, Lucy Wilde (com a voz de Maria Clara Gueiros) descobrir quem é o responsável por um crime espetacular e levá-lo à justiça. Afinal, é necessário o maior ex-vilão do mundo para capturar aquele que está tentando tomar seu lugar…

Unindo-se ao elenco que retorna para Meu Malvado Favorito 2 estão Floyd Eagle-san, proprietário do clube local de implantes de cabelo para homens e principal suspeito no crime mais desprezível de todo o mundo desde que Gru saiu de cena; Silas Bundovsky, o chefe de Lucy na Liga Anti-Vilões e um super-espião cujo sobrenome oferece risadas sem fim para os minions; Antonio (com a voz de Arthur Aguiar), o delicado objeto da afeição da adolescente de Margô (e supremo aborrecimento de Gru); e Eduardo Perez (dublado no Brasil por Sidney Magal), pai de Antonio, dono do restaurante Salsa & Salsa e o homem que pode ou não ser o super-vilão mais macho que jamais existiu, El Macho.


Amo esse desenho dublado, a voz da Agnes é linda demais!

Esse é o Stuart: se você pressiona o botão nas costas, ele abre as mãos e ascende a luz na cabeça! E dá pra usar o bonequinho como broche (ainda não tentei).

O Stuart já tem função aqui em casa: segurar um livro! Hihihih.

Esse é o Carl: Ele tem um skate super bacana e você pode encaixá-lo em três posições diferentes!


Vou insistir o máximo que eu puder para meu namorado deixá-lo aqui na estante! #torcendo

Galera, tem muitos modelos de Minions! Alguns parecem iguaizinhos mas mudam alguns detalhes (o cabelo, os olhos, a função, etc.). O legal é que cada um tem nome também! Você encontra as informações no site do McDonald’s Brasil.


McLanche Feliz: R$ 14,90
Brinquedo avulso: R$ 9,90

Mc Donald’s em Campo Grande – MS

Shopping Campo Grande: Praça de Alimentação.
Av. Afonso Pena, 1620
(67) 3325-7366.

Shopping Norte Sul Plaza: Praça de Alimentação.
Av. Pres. Ernesto Geisel, 2300 – Aero Rancho
(67) 3044-3900.

Drive Thru:
Av. Afonso Pena, 1620 (entre Av. Ernesto Geisel e R. Anhanduí)
(67) 3325-7366.

Avenida Mato Grosso, 2.795 (cruzamento com a Rua Ceará)

E aí, quais você vai levar para casa? 😉
Beijos di moça!

categoria12 category image

Mãe: os 365 dias são seus!

12 . maio . 2013

Desde muito cedo ouvi dizer que mãe é o ser mais especial do meu mundo. Afinal de contas ela me aguentou por nove meses. Chutei a barriga dela e ela chorou de emoção (tenho certeza que depois de um tempo isso se tornou irritante). Ela deve ter engordado uns 20 quilos, os pés incharam, mas continuava linda (eu vi as fotos, lero lero). Fiz ela quase morrer de dor e ela deu um grito de alegria quando me viu pela primeira vez. Caramba, esse papo de mãe ser heroína sem capa, rainha sem coroa e anjo sem asa deve ser, pelo menos, 90% de verdade.
Eu confesso que, apesar de tudo isso, eu não tenho a mínima noção do que é ser mãe. Eu vejo frases, ouço declarações e sou testemunha do sacrifícios de mães por amor aos seus filhos. Isso tudo é lindo, é amor. Mas eu ainda não sou capaz de sentir esse amor incondicional – claro, eu não tenho filho. Acredite se quiser, me pergunto de vez em quando se toda mulher tem esse “espírito materno” quando descobre que está grávida.

A minha intenção com o post de hoje não é generalizar o amor de mãe, cada um sabe a mãe que tem (e devo deixar claro que valorizar a sua mãe é a coisa mais linda e honrosa que você pode fazer neste mundo), mas eu quero falar um pouquinho da minha e de tudo o que eu vi nesse último ano. Infelizmente o meu plano original era gravar um vídeo sobre minha mãe mas não deu certo. Ok, eu posso usar as palavras da mesma forma!

Pra começar minha mãe é muito desorganizada! Galera, vocês não têm ideia de como eu fico louca quando entro no quarto dela para começar a faxina e encontro aquele bando de roupas penduradas na cadeira. Sempre tenho que respirar fundo, contar até três (de preferência em alemão) e começar a faxina. Outra coisa que a doninha adora fazer é testar minha paciência quando saímos para comprar roupas. Seria um momento divertido para toda mãe e filha, mas a minha mãe simplesmente ultrapassa o limite de qualquer paciência humana. Sabe o que ela também adora fazer comigo? Me ligar depois do almoço para perguntar se eu dei comida para os Loolies (lê-se quatro lhasa apsos cheios de amor e atenção exlcusivamente dela)! Gente, é sério! Ela liga pra saber dos cachorros ao invés de mim!
De vez em quando ela deixa sachê de Zero Cal em cima da mesa, aberto e todo esparramado. Também deixa o bulê de café às moscas na pia da cozinha. A espertinha já determinou desde quando eu tinha nove anos que a louça suja sempre seria minha, custe o que custar.
Ah, sem contar o fato dos meus oito dentes de leite caírem de uma vez quando eu tinha três anos porque ela não os escovava! Onde já se viu isso?!!?!? Ou quando eu era forçada a fazer curso de inglês a partir dos doze anos, queria morrer. Ihh, nem vou entrar em detalhes quando eu queria pintar minha janela de branco….

Mas nada é motivo para eu deixar de ter orgulho da minha mãe. Porque ela me aceita do jeito que eu sou, simples assim. Quando comecei a ter sinais de crise de pânico (e não sabíamos disso) foi nos braços dela que me deleitei. Foram sete dias no hospital, indo e vindo, sem saber o que me atormentava. Não me esqueço do dia em que passamos juntas no hospital no domingo das mães, ela do meu lado esperando o calmante fazer efeito. Dos abraços cheios de medo e angústia que eu lhe dava, pedindo pelo amor de Deus me ajuda. Das lágrimas escondidas por não ter uma varinha mágica e me curar de todas as dores. E foi o que ela fez durante a minha vida toda: me ajudou, me salvou, me consolou e me aceitou. Sei que não sou a filha que ela sempre sonhou, isso ninguém pode desmentir. Não sou a turismóloga com uma carreira de sucesso e uma conta gorda no banco; não sei me maquiar e me vestir como uma mulher de vinte e cinco anos e, pior de tudo, não sou uma campeã na vida. Mas eu agradeço o simples fato dela me aceitar como sou: todos os meus defeitos, algumas qualidades e, juntas, eu sei que posso ser alguém melhor, só preciso de seu amor, seu apoio e sua (pequena) paciência comigo. Sua risada super engraçada (que imito certinho, diz aí) nas desgraças que passamos juntas; nos abraços de cansaço e sono que damos uma na outra quando estamos totalmente exaustas das tarefas do dia; das viagens para o Paraguai e o colinho que tenho para dormir durante toda a viagem; das sessões de cinema (em casa, principalmente) e a maratona “The Following” juntas; por, ainda assim, continuar investindo nos meus tratamentos (até nas horas em que eu quero desistir) e, principalmente, por acreditar que eu ainda serei alguém nada vida.

Quando eu penso em tudo o que minha mãe representa para mim, pensar nas mães em geral não se torna tão complicado. Às vezes eu vejo tantas notícias ruins de mães que abandonam seus filhos, à mercê do tempo e da crueldade do mundo, que chego a acreditar que ser mãe não é simplesmente “parir um filho”. Isso qualquer mulher pode fazer (caso contrário não existiriam as barrigas de aluguel). Mas ser mãe, de verdade e na intensidade da palavra, é aquela mulher que te vê com todo o amor do mundo e diz “essa criança é parte de mim, e será a melhor parte que eu puder ter.” Por isso, não me surpreendo quando vejo crianças amadas por mães adotivas; avós, tias e parentes que acolhem crianças com a melhor proteção do mundo, os melhores ensinamentos e compartilhando das mesmas lágrimas, sorrisos e sonhos.

Ser mãe é deixar o passado onde ele deve ficar e viver o presente sem mágoas ou rancores.

É aprender, dia após dia, como ser a melhor mãe do mundo para o seu pequenininho.

É passar para a sua miss o melhor que há em você.

É proteger seu japinha contra todo o mal.

É lutar pela vida dele para que o seu sonho seja mais que concreto, seja um milagre.

Acho que estou mais rodeada de mães do que aparentemente imaginava, rs. Sei que o sentimento maternal e o significado da palavra mãe só surge quando você vê aquele teste de farmácia dando azulzinho (positivo). A ansiedade, a expectativa de esperar uma criança que, talvez, você nem estava esperando. O sonho, o cuidado, as roupinhas, o nome, as dores, tudo isso para ter uma criança em suas mãos. Será que o que somos hoje, como filhos, faz valer a pena tudo o que nossa mãe passou anos atrás?
Não sei, mas algumas mamães (lindas) compartilharam com a gente o que é ser mãe e o que isso mudou na vida delas!

Estão vendo como uma mãe pode fazer um adulto chorar feito criança? Eis-me aqui chorando horrores por causa dessas declarações maravilhosas. Espero, um dia, que seus filhos voltem aqui no Di Moça, anos depois, para conferir o depoimento de cada uma sobre eles.
E, claro, muito obrigada pela participação de vocês! Suas lindas, vocês são demais!

Desculpem pela simplicidade do post, como eu disse anteriormente, alguns imprevistos me impediram de fazer um post mais elaborado. Tentarei ser mais organizada com o blog!
Para finalizar, desejo a todos vocês um ótimo dia das mães! Que vocês possam sempre sentir a gratidão e o respeito pela mãe que lhes acolheram com muito afeto, amor e renúncias também!
Beijos di moça!

categoria12 category image

Presente para o dia das mães

09 . maio . 2013

É impressão minha ou o mês de maio está V-O-A-N-D-O?!?! Parece que foi ontem que brindei a virada do ano, que coisa! #exagerei
Está passando tão rápido que neste domingo comemoraremos o dia das mães! Aquele momento tenso em que os filhos saem à procura de um presente para sua adorada e linda mamãe; procurando algo que a agrade e que esteja à sua altura. Durante minha busca criativa para achar um bom presente para minha mãe (presente bonito e que não fosse repetido, claro) fiquei pensando naquela filosofia que a gente sempre faz nesses dias: “por que é que tem um dia das mães, já que todos os dias são delas?”. Não é mais ou menos isso que a gente pensa? Acontece no dia das mulheres, no dia dos pais, no dia dos avós. Sempre escuto isso, “todo dia é dia de..”. Ok, eu até entendo e concordo, mas porque será que nós – benditos filhos – nos comportamos mal o ano inteiro (os 365 dias da nossa mãe)? Por que somos desobedientes, brigamos, ficamos com rancor, magoamos e até deixamos de falar com ela? Quando ela pede para você arrumar o seu quarto e você mostra essa língua feia e vira a cara; quando ela pede para você lavar suas mãos antes de comer e você fica emburrado; quando ela pede uma carona para a consulta médica e você demora meia hora para buscá-la. Nem preciso falar da falta de respeito, né?
Acredito, agora, que o dia das mães existe para lembrarmos do quanto elas são importantes e que precisamos mudar as atitudes (feias) que estávamos tendo até então. E, claro, um presentinho de vez em quando para marcar a data não faz mal a ninguém, não é?
“Mas o dia das mães está tão perto, Jeh! Será que dá tempo de comprar alguma coisa para minha mamãe?”
Calma, não criemos pânico! É para isso que serve o post de hoje: dar dicas de presentes para sua mãe! Nada muito caro, óbvio, porque aqui ninguém “caga dinheiro”, é concursado ou ganhou na mega sena. ( Se você entra em uma dessas categorias, por favor, corra para comprar a viagem para Paris especialmente para sua mãe e não fique aqui nos fazendo inveja). É importante mantermos a calma e lembrarmos de alguns aspectos irrelevantes nessas horas, então vamos pensar juntos e ajudar uns aos outros!

Dicas:

Vamos lembrar que cada mãe é diferente uma da outra. E não fique cobiçando a mãe alheia, humpf. Uma jóia pode ser maravilhosa para uma mãe, enquanto um livro para outra. Não podemos generalizar.

Analise o perfil da sua mãe, isso facilita a busca do presente. Algumas mães amam ler, outras preferem moda/acessórios e tem aquelas que não resistem a um belo vaso de flores. Qual o estilo da sua? Considere idade, tendências, gostos e necessidades urgentes.

Lembra quando sua mãe disse, semana passada, que estava louca por aquele vestidinho básico no shopping e você nem deu atenção? Ou aquela mala perfeita para viagens a negócios? Então, nessas horas é super importante ouvir a wishlist da mãe e guardamos na memória! Vai por mim, isso ajuda muito!

Ok, preciso mencionar que, mesmo que cada mãe tendo seu próprio estilo, vamos evitar os presentes domésticos porque, fala sério, quem merece ganhar uma panela de pressão no dia das mães? Só se for pra jogar na sua cabeça -.-‘. Se sua mãe não resiste a utensílios domésticos, tem tara por panelas, jogos de talheres, de cama e produtos de limpeza, então tá, né? #nãojulguemos. Mas se puder dar esses presentes em um dia comum, não será nada mal.

Evite os tais “vale abraço”, “vale eu te amo mãe”, porque, fala sério, saiu da moda (acredite em mim, o último “vale abraço” que dei para minha mãe foi recebido com uma cara de incredulidade e, depois: “toma vergonha nessa cara menina!”).

Você não precisa ter uma conta bancária gorda para presentear sua mãe, e por isso o Di Moça está aqui, para dar dicas de presentes simples mas com carinho.

Livros:

1. A filha da minha mãe e eu (Maria Fernanda Guerreiro) 2. Entre o agora e o nunca (J.A. Redmerski) 3. Coração de Bilionário (Ruth Cardello) 4. Precisamos falar sobre Kevin (Lionel Shriver) 5. A culpa é das estrelas (John Green) 6. A lista negra (Jennifer Brown) 7. @mor (Daniel Glattauer) 8. A casa das orquídeas (Lucinda Riley) 9. O livro de Julieta (Cristina Sánchez-Andrade) 10. Sob a luz dos seus olhos (Christine Melo) 11. A última carta de amor (Jojo Moyes) 12. O diário de Suzana para Nicolas (James Peterson) 13. Comer Rezar Amar (Elizabeth Gilbert) 14. Questões do coração (Emily Giffin) 15. Um Dia (David Nicholls)

Kits de beleza


O Boticário Natura Água de Cheiro Vivance

Chocolate


Cacau Show Kopenhagen Chanton

Criativos


Imaginarium Fitá Uatt? Uva e Verde Fábrica9

As ideias foram lançadas e agora é com você! Aposte em ideias criativas, misture presentes e, enquanto isso, vou ficar com os dedos cruzados para que sua mãe aumente sua mesada! 😉

MAS ATENÇÃO!

Se você também não tem grana – nesse mês pagou muitas contas do cartão de crédito -, gastou sua mesada com chiclete e bala na quitandinha da esquina, é estagiário e seu dinheiro não dá nem para comprar o salgado do dia, então essas dicas são para VOCÊ!

Uma dica que eu sempre recomendo e faço é: participe das promoções nas redes sociais. Tenho certeza que sua mãe já fez isso, mas na época era por cartas e recortes de código de barras. Eu já participei de várias promoções e ganhei muitas também. Graças à criatividade, frases inspiradas e RT no twitter, já presenteei minha mãe com kits da Givenchy, Dior e Melissa. Só para constar, está rolando uma promoção aqui no Di Moça – em parceria com o Pronome InterrogativoDIA DAS MÃES COM NOVO CONCEITO, confira! #propagandabásica

Você com certeza não faz alguma tarefa que sua mãe te implora todos os dias. Talvez lavar a louça, limpar a varanda, colocar o lixo na rua, etc. Que tal você dar de presente para sua mãe um mês de atividades domésticas? Eu tenho certeza que ela vai amar! Claro que isso é mais que sua obrigação como filho, mas tudo bem, eu vou relevar e não darei um sermão em você. Ajudar sua mãe nas tarefas domésticas a deixará totalmente surpresa e até pensará que Jesus está voltando, mas deixe avisado que é só você querendo dar o presente do dia das mães.

Sabe essas frutas que tem aí na sua casa? Então, que tal você ir à padaria mais perto (ou mercado também, sem problemas) comprar pão, geleia, suco ou leite, alguns biscoitinhos caseiros, o doce preferido dela e montar um café da manhã bem gostoso para sua mãe? A ideia é bem simples mas tenho certeza que ela vai se divertir contigo.

Se a sua mãe gosta de música, então você pode compilar um CD com as músicas favoritas dela! Ok, ela é muito moderna para usar CD? Pode ser um pendrive, ou uma pasta no iPhone com as músicas que ela gosta.

Para as mães que amam recordações, que tal você fazer uma colagem com as fotos dela? Corra até a casa dos seus avós e peça as fotos de criança da sua mãe, bem como de adolescente e jovem. Selecione as fotos que você mais gostou e faça a colagem. Use sua criatividade com lápis de cor, giz de ceira, tinta e tudo o que tiver disponível para você!

Use seu dom para presentear sua mãe. Quem sabe tocar um instrumento, que tal uma serenata exclusiva para ela? Quem gosta de tirar fotos, vale um álbum fotográfico com as fotos mais charmosas e bem produzidas da sua mãe. Os artistas podem criar desenhos, artesanatos, objetos de decoração, brincos e colares, etc.! Os que amam cozinhar podem criar uma refeição exclusiva para a mamãe, com direito ao prato preferido dela (no almoço ou no jantar). Se você é blogueiro, que tal um post especialmente para ela? Quem gosta de maquiagem e beleza, que tal uma sessão “spa” na própria casa? Faça um tratamento de pele em sua mãe com receitas caseiras, faça as mãos e os pés e a deixe linda (como ela merece).

E as mães que moram longe dos filhos não podem ficar de fora! Que tal uma ligação diferente e criativa? Assim que ela atender, coloque uma música de fundo e faça uma declaração no estilo “mensagem de voz” (era tão brega na minha época, mas tão divertido!). A criatividade é por sua conta! Se ela faz parte de alguma rede social, fica mais fácil ainda: faça uma montagem em vídeo ou foto; grave uma mensagem bem bacana na sua casa e deixe na rede social – ela vai se surpreender e se emocionar de tanta saudade!

Bom galera, esse post foi mais para descontrair e rir com vocês mas espero que, no fundo, ajude a criar alguma coisa bem legal para o dia das mães.
Nesses vinte e cinco anos de experiências e aprendizados, acredito que ser mãe – no sentido biológico – não deve ser difícil. Sim, a mulher tem dores por nove meses, te carrega para cima e para baixo, perde muitas roupas e fica com o corpo todo inchado. Mas também acredito que o momento de ser mãe surge quando a criança está em suas mãos, em seu convívio. Por isso, não importa se a pessoa que cuida de você é sua mãe adotiva, sua tia, sua avó ou até sua madrasta (nem todas são ruins como nos contos de fada, ufa!), essas mulheres cuidam de vocês como se fossem parte delas, um amor que se torna incondicional porque você é uma joia rara, importante e única. Portanto, comemore o dia do mesmo jeito! Sua mãe vai adorar entrar na comemoração.

Se alguém quiser compartilhar uma dica de presente para o dia das mães, entre na onda pelos comentários!
Um beijo di moça!

@blogdimoca no Instagram!

:: Di Moça :: Colecionando sonhos! - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015 - Design por Jeh Asato