categoria2 category image

Austenlândia :: Shannon Hale

03 . dezembro . 2014

Você já pensou se pudesse adentrar no mundo do seu livro/autor preferido? Shannon Hale, autora de Academia de Princesas nos apresenta seu primeiro romance para o público jovem/adulto com a protagonista Jane Hayes, obcecada pelo Sr. Darcy – personagem criado pela aclamada Jane Austen.
Confiram a resenha deste romance super prazeroso e identifique-se com Jane (a Hayes).

Austenlândia (Austenland)
Autora: Shannon Hale
Ano: 2014
Páginas: 240
Editora: Record

* Livro enviado pela editora como cortesia.

Sinopse:

Jane Hayes tem 33 anos e mora na Nova York atual. Bonita, inteligente e com um bom emprego, ela guarda um um segredo constrangedor: é verdadeiramente obcecada pelo Sr. Darcy. Embora sonhe com ele, os homens reais com os quais se depara são muito diferentes dos que habitam sua fantasia. Justamente por isso, ela decide deixar de lado sua vida amorosa e aceitar seu destino: noites solitárias aconchegada no sofá assistindo a Colin Firth em seu DVD. Porém, esses não são os planos que sua rica e velha tia-avó Carolyn, tem para a moça. A única a descobrir o segredo de Jane deixa, em seu testamento, férias pagas para a sobrinha-neta na Austenlândia. A ideia é que Jane tenha uma legítima experiência como uma dama no início do século XX e consiga se livrar de uma vez por todas de sua obsessão. Contudo, para isso, ela terá que abrir mão do celular, da internet e até do uso de sutiãs em troca de tardes de leitura, espartilhos e… a companhia de belos cavalheiros.

Créditos: Skoob

Jane Hayes, aos seus 33 anos, mora em Manhattan, é designer gráfico de uma revista e leva uma vida como todas as mulheres de sua idade a não ser pelo seu segredo. Durante o dia, ela se ocupa e almoça e manda e-mails e trabalha até mais tarde e chega em cima da hora, mas às vezes, quando tem tempo de tirar os sapatos de salto comprados em um bazar e relaxar no sofá de segunda mão, ela diminui a luz, liga a TV e confessa o que está faltando.
Às vezes, ela vê Orgulho e Preconceito.
Você sabe, a versão dupla da BBC em DVD, com Colin Firth no papel do delicioso Sr. Darcy e aquela bela atriz inglesa de seios fartos como a Elizabeth Bennet que sempre imaginamos.
Para muitos de nós, leitores, ser fã de um personagem fictício é comum – a gente até cria situações imaginárias onde estamos casados com eles, com filhos e bem de vida. Mas é sério, uma mulher de 30 e poucos anos não deveria sonhar acordada com um personagem fictício de um mundo de 200 anos de idade a ponto de influenciar sua vida e seus relacionamentos muito reais e muito mais importantes. É claro que não deveria. Até sua tia-avó Carolyn parece deixar isso bem claro na sua primeira visita à Jane.

“Descubra o que é real pra você. Não adianta se apoiar na história de outra pessoa a vida toda.”

Mas infelizmente, depois de alguns meses do encontro das duas, tia Carolyn morre. Jane não conheceu Carolyn o bastante para sofrer com o luto, só para se sentir sensível e perplexa com a ideia da morte dela. Todavia, o que surpreende Hayes é saber que seu nome está no testamento da Carolyn também. O que ela deixaria para uma parente quase estranha? Carolyn tinha uma família numerosa, então a quantia não podia ser grande, mas, por outro lado, os boatos da riqueza de sua tia-avó eram lendários.
O que Jane vai descobrir ao conversar com o advogado da Carolyn é que a cliente foi…eclética… no testamento. Ela fez compras para alguns amigos e parentes e deixou a maior parte do dinheiro para instituições de caridade. Para Hayes, ela planejou férias.

Pembrook Park, Kent, Inglaterra. Entre por nossas portas como um convidado que veio passar três semanas a fim de apreciar as maneiras do campo e a hospitalidade – uma visita para o chá, uma dança ou duas, uma volta no jardim, um encontro inesperado com um certo cavalheiro, tudo culminando em um baile e talvez algo mais…

Aqui, o príncipe regente ainda governa uma Inglaterra tranquila. Se roteiro. Sem final escrito. Férias como ninguém mais pode oferecer.”

Resumindo: são férias de três semanas com tudo incluso na Inglaterra. Você se fantasia e finge ser alguém de 1816. Vem também com uma passagem de avião de primeira classe. As férias não podem ser canceladas e o dinheiro não pode ser devolvido. A pergunta agora é Jane deve ir?.
Voltando no passado de Jane, acompanhamos uma trajetória amorosa engraçada e até sofrida. Por que não se aventurar no faz-de-conta Regencial vivido por sr. Darcy e Elizabeth Bennet? Estava tudo decidido: Jane faria uma última excentricidade antes de desistir completamente dos homens. Ela viveria sua fantasia, se divertiria loucamente e enterraria tudo de vez. Nada mais de Darcy. Nada mais de homens, ponto final. Quando ela chegasse em casa, se tornaria uma mulher perfeitamente normal, feliz por estar solteira feliz consigo mesma.
Até jogaria fora os DVDs.

“- Nunca entendi as mulheres que vêm aqui, e você é uma delas. Não consigo entender.
– Acho que eu não poderia explicar isso pra um homem. Se você fosse mulher, eu só precisaria dizer ‘Colin Firth de camisa molhada’ e você diria ‘Ah’.”

Ao entrar neste mundo tentador onde tudo é possível -dentro das regras da época – nossa srta. Jane Erstwhile (até o nome muda, sabe como é, para entrar no clima) terá a oportunidade de usar espartilhos, calçolas, vestidos de gala e conhecer personagens de mesma valia, como a sua tia Saffronia e seu marido John Templeton, que há muito não viam sua sobrinha. Temos também as senhoritas Elizabeth Charming, de Hertfordshire e Amelia Heartwright. Claro que os cavalheiros não podem ficar de fora, são chaves mestras nesse mundo. Ao conhecer o sr. Nobley, o coronel Andrews e o capitão Tent tudo fica ainda mais divertido.
Mas até onde e quando é possível diferencia o real de um mundo de atuações, brincadeiras e mentiras? A partir daí temos uma Jane Hayes do século XXI dentro de uma Inglaterra de 1816. Ao entrar nesta terra dos contos de fadas nossa protagonista pensará estar em um lugar seguro onde andar, arrumar problemas, entender a situação e sair sem arranhões. Será mesmo que para nossa amada Jane é possível?

“Aqui estava ela em Pembrook Park, um lugar onde mulheres pagam montanhas de dinheiro para andar com homens contratados para idolatrá-las, mas ela encontra o único homem no local que está em posição de rejeitá-la e o leva a fazer isso. Típico de Jane.”

Antes de continuar preciso dizer (com alguma vergonha na cara) que ainda não li Orgulho e Preconceito. Tá bom, podem me julgar mas tenho meus motivos. Se servir de alguma coisa, eu assisti ao filme – versão Matthew MacFadyen e Keira Knightley.
Mas é claro que eu também gostaria de conhecer um tal sr. Darcy.
Quando conhecemos Jane e sua obsessão por sr. Darcy fica impossível você não se identificar com a personagem. Vai me dizer que você nunca se viu sonhando acordada com seu personagem de livro favorito? Ah tá. Quando Hayes tem a oportunidade de vivenciar um mundo parecido com o qual ela sonha, a leitura fica mais envolvente. Torcemos e vibramos para que Jane se encontre de alguma forma nessas férias. Claro que existem vários obstáculos que surgem no decorrer da leitura e isso torna as páginas mais rápidas e pitorescas.
Jane vai ter que entrar no papel de Srta. Earstwhile de qualquer jeito e encarar todos os outros personagens da mesma forma. É de se admirar como as pessoas conseguem encarnar uma fantasia quando precisam.
Shannon Hale nos traz, de forma alegre e divertida, uma personagem fascinante que me conquistou com suas ironias e situações quase bizarras ao lidar com os cavalheiros regenciais.

“O Sr. Darcy não existia, o homem perfeito não existia. Mas talvez houvesse alguém. E ela estaria pronta.”

Independente se você já leu Orgulho e Preconceito ou não, recomendo essa leitura leve e dinâmica, ambientada em uma Inglaterra que só Jane Hayes poderia pintar de forma espirituosa. A narrativa em terceira pessoa nos aproxima da protagonista sob o ponto de vista da autora, o que proporcionou uma leitura bem fluente e sem interrupções toscas.
A série Austenlândia é composta por dois livros, sendo este o primeiro. Vamos esperar o segundo livro (Midnight in Austenland) pela Record!

Quem já leu este romance cordial e deleitoso? O que acharam? Compartilhem suas opiniões através dos comentários!
Beijos di moça!

Shannon Hale

Shannon Hale é uma escritora americana de fantasia jovem adulto (young adult) e ficção adulta; autora de dez romances, incluindo o best-seller “Academia de Princesa” – que ganhou o prêmio Newbery Honor -, os livros da série “Bayern”, dois romances para adultos e dois romances gráficos que ela e o marido são co- escritores.
Começou a escrever aos nove anos de idade e não parou; seus trabalhos mais notáveis foram: “Academia de Princesa”, “Goose Girl” e “Book Of A Thousand Days”.
Hoje, Shannon vive com seu marido e seus dois filhos pequenos em South Jordan, Utah.


Site da autora | Site Grupo Record


• Hey! Deixe um comentário aqui •

• Temos 17 comentários nesta postagem" •

Carla, disse: - 03-12-2014 (08:34)

Olá, que resenha mais fofa *-*
Eu também confesso que nunca li nada da Jane Austen ~vergonha~
Acho que por falta de oportunidade mesmo. Mas pretendo ler em breve. Agora filmes eu já vi alguns. “Orgulho e Preconceito”, “Becoming Jane” (muito bom).
Eu fiquei bastante curiosa por esse livro, mais um na lista de desejados. Sou meio suspeita pra falar sobre personagens, me apego DEMAIS ~sigh~ e que capa linda <3

Beijos!

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

Uhrul, obrigada Carlinha! Que bom que gostou da resenha!
*-*
Ih, se você fosse a única a não ter lido Jane Austen estava tudo certo mas muita gente ainda não leu, ufa! Assim me sinto menos culpada, sabe? Rs.
Espero que tenha a oportunidade de lê-lo e não esqueça de nos contar o que achou da história! ;)
Beijão!




Vanessa Dias, disse: - 03-12-2014 (10:10)

Que resenha completa, Jeh! Muito boa mesmo. Fiquei com vontade de ler, faz tempo que não encontro um livro que me prenda. Será que devo dar uma chance? Com certeza vou procurá-lo a próxima vez que for a livraria.

http://www.saborabsinto.com.br

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

Oi Vane!
Poxa, muito obrigada mesmo pelo comentário! Fico hiper feliz por saber que a resenha te deixou animada pra lê-lo!
\o
Ah com certeza deve dar uma chance a ele sim! O segundo livro sai no primeiro semestre de 2015 então, corre! \o
Beijão!




Nessa, disse: - 03-12-2014 (10:34)

Oi jeh
Quando eu li este livro eu o devorei, achei muito fofo, demais.
Adorei as citações dos livros da Jane Austen, e de como a protagonista vive lá na Austenlândia.

Beijinhos

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

Oi Nessa!
Poxa eu confesso que demorei um pouco pra lê-lo porque acabei descobrindo a gravidez e me ausentei do blog e da leitura. Mas eu adorei, é muito bacana e ri demais com a Hayes!
Beijão!




Lara Melo, disse: - 03-12-2014 (10:48)

Olá! Sou apaixonada por Orgulho e Preconceito e quero ler esse livro a muito tempo, sua resenha só me deixou com ainda mais vontade. E amei as fotos!

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

Oi Lara!
Ah então acredito que você vá adorar esse mundo criado pela Shannon também! Seria legal você viver na época do seu livro favorito!
Beijão!




Tais, disse: - 03-12-2014 (12:35)

Oi Jeh,

Eu ainda não tive a oportunidade de ler o livro, porém tentei ver o filme e não consegui chegar nem na metade.
Achei muito chato =/
Creio que o livro deve ser infinitamente melhor.

bjs
Tais
http://www.leitorafashion.com.br

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

Oi Tais!
Mas que filme você tentou assistir? Orgulho e Preconceito ou Austenlândia? Fiquei sabendo que tem o filme também mas ainda não achei pra assistir…
Eu gosto bastante de Orgulho e Preconceito mas a versão que assisti é a mais recente, não sei se a série que foi lançada na BBC me agradaria, rs.

Se ler o livro, não esqueça de nos contar o que achou!
Beijão!




Aline T.K.M., disse: - 03-12-2014 (21:04)

Já faz um tempinho que gostaria de ler esse livro e que me interessei pela série, mas nunca li nadinha da autora e não sei muito o que esperar, exceto pelas resenhas que já li. E a impressão que tenho é que o livro parece ser superleve, divertido e cheio de personalidade. Também não li – ainda – Orgulho e Preconceito, então imagino que não teria muita familiaridade assim com os personagens, em especial com o Mr. Darcy. Ainda assim, gostaria de ler o livro, até porque pretendo um dia ler Orgulho e Preconceito e outros livros da Jane Austen, então no fim não ficaria tão perdida assim.

Beijinhos, Livro Lab

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

Oi Aline!
Ah eu entendo esse receio mas acredito que dá pra você lê-lo sem ter lido ou conhecido o sr. Darcy! Claro que algumas passagens e comparações da personagem seriam mais engraçadas se você tiver lido OeP antes mas isso não impede de você curtir a leitura!
Espero que goste!
Beijão!




Kakau, disse: - 04-12-2014 (15:02)

Você já tá com uma cara de mamãe, incrível como a gente muda, né? rs.
Amei a resenha, como sempre, aliás. Preciso ler os livros da Jane e terminar de ver os filmes, porque só assim para entender melhor esse, né? Me sinto meio perdida…heh

Bjoks mamain linda.

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

Hahaha, muita gente começou a me dizer isso, Kakau! Não sei bem como é cara de mamãe mas espero que seja coisa boa, hehe!
Eu não li os livros da Jane (meio envergonhada) mas eu gostei muito de Austenlândia! Se você tiver uma ideia de quem seja Mr. Darcy e alguns personagens de Orgulho e Preconceito já dá pra se aventurar nessa leitura, sim! ;)

Beijão nena!
:*




Tais, disse: - 04-12-2014 (19:01)

O filme Austenlândia que eu não consegui assistir Jê,
Achei muitooooo ruim infelizmente =/

Já Orgulho e Preconceito eu adoro <3

bjs
Tais


Clay, disse: - 06-12-2014 (16:47)

Desejando esse livro *_*

Jeh Asato Jeh Asato, respondeu:

Uhrul, se for lê-lo não esqueça de contar o que achou hein! ;)
:*




@blogdimoca no Instagram!

Di Moça :: Colecionando sonhos e palavras! - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015 - Ilustração por Juliana Rabelo