categoria2 category image

Lançamentos Literários (Novembro)

28 . novembro . 2013

Não precisam me lembrar que Novembro está acabando. Tipo, eu já sei! Mas final de ano, vocês sabem, é uma correria insana. Alguns tentando terminar os estudos; outros criando provas para os alunos terminarem os estudos. Ser professora (mesmo de idioma) exige tempo e concentração. Peço desculpas pelo tempo ausente no blog mas torço para repôr com muitos posts legais. #promessanãovazia.
Vamos aos lançamentos do mês.

Apenas editoras parceiras. Veja aqui as editoras parceiras do Di Moça.

Intrínseca


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Planeta


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Galera Record


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais


Saiba Mais

Geração


Saiba Mais

Saiba Mais

Arqueiro


Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Saiba Mais

Suma de Letras


Saiba Mais

Saiba Mais

Rocco


Saiba Mais

Saiba Mais

Gutenberg


Saiba Mais

Saiba Mais

Já posso desejar insistentemente os livros Destrua este diário, Deixe a neve cair, A segunda vez que te amei e Pausa?? Eu quero tanto destruir meu diário, vocês não têm ideia! Claro, assim que o Di Moça adquirir um exemplar, teremos vídeos do passo a passo. Será bem legal! Métrica é um dos melhores livros que li em 2013 (obrigada Galera Record!) e não posso deixar de enfatizar que amo os livros da Leila Rega (um beijo, minha linda!).
E vocês? Ansiosos por quais livros? Já preparem as cartinhas para o Tio Noel, hein? ;)
Beijos di moça!

categoria2 category image

A Once Upon A Time Tale :: Odette Beane

27 . novembro . 2013

Se você também é da época em que a Branca de Neve não passava de uma doce e frágil garota vivendo situações malévolas em busca de um final feliz, é bom mudar de ideia. No livro, Odette Beane reproduz em palavras a história Once Upon a Time criada por Edward Kitsis e Adam Horowitz. A série televisiva rendeu um grande sucesso e a editora Planeta nos presenteou com a publicação dele aqui no Brasil! Confiram mais sobre essa história que abraça todos os contos de fadas.

A Once Upon A Time Tale (Reawakened: A Once Upon a Time Tale )
Autora: Odette Beane
Páginas: 304
Editora: Planeta

* Livro enviado pela editora como cortesia.

Sinopse:

Emma Swan sabe muito bem como se virar sozinha. Ela foi abandonada quando ainda era um bebê e a vida não tem sido exatamente um conto de fadas para ela. Quando o filho que ela abandonou anos atrás a encontra tudo se tornará ainda mais complicado. Henry tem 10 anos agora e acredita que a mãe tenha nascido em um mundo alternativo mágico e que, seja a filha desaparecida da Branca de Neve com o Príncipe Encantado. Emma não acredita em uma palavra, mas de acordo com Henry, ela é a única que pode quebrar a maldição, jogada pela Rainha Má, e que afeta todos os personagens dos contos de fadas. Eles estariam presos na nossa realidade, na cidade de Storybrooke, sem seus poderes mágicos e sem qualquer lembrança de quem realmente são.

Créditos: Skoob

“- Não há maldição pior no mundo que estar sozinho. Não é verdade?”

Era uma vez uma mulher complicada e nada perfeitinha. Emma Swan é caçadora de recompensas em Boston: encontrar pessoas é o seu trabalho. O problema de toda mulher, inclusive Emma, é conciliar a vida profissional com a pessoal/amorosa. Uma vida solitária de quem vive atrás de pessoas solitárias. Porém, tudo se transforma em conto de fadas quando Henry Mills aparece na casa de Emma alegando ser seu filho.
Henry é um garoto de dez anos que não tem qualquer rancor de sua mãe irresponsável, ao contrário, está diante de sua mãe para pedir que o leve para Storybrooke (Maine). O que podemos falar sobre Storybrooke? Imagine uma cidade encantada, onde a Rainha Má (sim, temos uma Rainha Má com letras maiúsculas) lançou o pior feitiço que você possa imaginar. Ali o tempo parou para sempre. Todos os moradores de Storybrooke vinham de outros reinos encantados mas estão presos na cidade para sempre.

“Não sei que tipo de pessoa eu era, mas sei quem sou agora. Sou uma pessoa que confia em seu coração. E meu coração está me dizendo que a minha vida autêntica, que a minha vida real, está de alguma forma por aqui. Não quero voltar lá, onde estava antes.”

Mas que loucura essa história toda! Como seria possível? Durante toda a vida Emma tinha sido cética. Fora sempre a pessoa que procurava falhas na lógica dos outros, a pessoa que enxergava através da ilusão que aprisionava os outros. Isso é que a tinha tornado muito boa em seu trabalho (caçadora de recompensas, lembram?), e fora isso que a havia enfiado e tirado de tantos problemas por toda a vida. Desta vez, porém, as coisas eram diferentes. Desta vez, ela é que acabara vivendo em um mundo de sonhos. Será que ela deveria acreditar em seu filho?
Quando chegam à tal Storybrooke, Emma conhece alguns personagens bem pecualiares. Tem a prefeita da cidade, Regina Mills, mãe adotiva de Henry, que – me desculpem a expressão – é muito estranha, sempre tentando afastar Emma de Henry e da cidade. Ah, sim, não posso esquecer da professora Mary Margaret Blanchet, que incentiva e acredita nas histórias de encantos e feitiços de Henry. Jefferson é um homem capaz de fazer muitos chapéus, iguais aos dos contos de fadas. São tantos personagens encantados que vocês jamais se enjoarão deles.

Agora que Emma conhece o seu filho, um pouco da sua história e a cidade em que ele cresceu, ela está disposta a passar mais tempo com o garoto. Porém, Regina fará de tudo para expulsá-la de Storybrooke e mantê-la longe de Henry. O que Regina esconde tanto por detrás de suas intenções? É aqui que a gente embarca em uma aventura de outro mundo….

“- Você sabe que não existe essa coisa de magia – disse ela. – Não sabe?
– Claro, claro! – respondeu Jefferson. – Isso é o que todas as pessoas ignorantes deste mundo parecem dizer com absoluta certeza. – Ele riu. – A não ser quando alguém precisa de um milagre pessoal. Não é? Então as pessoas deste mundo adoooooram acreditar em magia!”

Devo dizer a todos vocês que esta resenha não tem influência da série televisiva, já que eu não a assisti. Assim que a editora divulgou o lançamento do livro fiquei em alvoroço para me dedicar à leitura. E não me arrependi pela escolha, o livro me encantou do começo ao fim.
Primeiro porque a autora mantém o toque de “era uma vez” modernizado e mais “crescido”. Impossível não lembrarmos dos nossos tempos de conto de fadas. E, talvez, esta seja uma característica que vai mexer com os leitores: os personagens dos contos de fadas que conhecemos estão inseridos na mesma história de forma relevante, expressiva e moderna. Esqueça aquela Branca de Neve super fofa e frágil. Agora ela é madura, tem trabalho e pecados. A gente tem a sorte de relembrar alguns detalhes dos nossos contos favoritos! Segundo é que Odette aproveita os recursos literários e nos oferece uma história fora de ordem cronológica e narrada por duas personagens: Emma (no presente) e Snow (no passado).

“- Acredite em si mesma. Essa é a verdadeira magia.”

Odette Beane salienta muitos temas importantes no cotidiano: vingança, perdão, amor e esperança. O lobo mau, a garotinha do capuz vermelho, a bruxa má, os anões, o príncipe encantado, todos os personagens que já fizeram parte de nossa vida, alguma vez.
Em 22 capítulos somos inseridos em uma narrativa encantadora, cheia de artimanhas, revelações e surpresas! Se você já viu a série na TV, com certeza vai adorar o livro. Se você não viu, não sabe o que está perdendo! Super recomendado!

“Tome algo valioso de mim, pensou, e retribuirei o favor.”

Se você já leu, conte para nós pelos comentários o que você achou da mistura de personagens do livro. Se você não leu, compartilhe suas expectativas também! Vocês são bem vindos!
Beijos di moça!

categoria17 category image

Quote da Semana (Martha Medeiros)

25 . novembro . 2013

E não é que a tempestade ainda continua? Às vezes a gente (lê-se eu) tenta se afastar para um lugarzinho quieto e calmo até ser possível continuar. Eu precisei fazer isso por uma semana, sabem? Ficar comigo mesma e esperar um pouquinho até recarregar minha energia e forças.
Mas não quero continuar escondidinha, quero falar com vocês, compartilhar boas notícias, bons resultados e – por isso – vamos esquecer que existe um mundo muito ruim lá fora. Só por alguns instantes.

Meme criado pela Tamara do blog true-luv.com

Eu, por exemplo, gosto do cheiro dos livros. Gosto de interromper a leitura num trecho especialmente bonito e encostá-lo contra o peito, fechado, enquanto penso no que foi lido. Depois reabro e continuo a viagem. (…) Gosto do barulho das paginas sendo folheadas. Gosto das marcas de velhice que o livro vai ganhando: (…) a lombada descascando, o volume ficando meio ondulado com o manuseio. Tem gente que diz que uma casa sem cortinas é uma casa nua. Eu penso o mesmo de uma casa sem livros.
— Martha Medeiros

Que comece mais uma semana, ao menos, cheia de esperança, boas novas e conquistas, muitas conquistas!
Beijos di moça!

categoria2 category image

Laços de Sangue :: Richelle Mead

12 . novembro . 2013

Hoje é uma terça-feira muito especial para o Di Moça e para os fãs da escritora Richelle Mead que sopra velinhas e comemora mais um ano de vida!! Aplausos para uma das melhores escritores de Young – Adult e Urban Fantasy!! Para não passar o dia em branco, o Di Moça traz a resenha do lançamento Laços de Sangue, série Bloodlines, publicado pela editora Seguinte.

Laços de Sangue #1 (Bloodlines #1)
Autora: Richelle Mead
Páginas: 430
Editora: Seguinte

* Livro enviado pela editora como cortesia.

Sinopse:

Sydney estava encrencada. Em sua última missão, ela tinha ajudado a dampira Rose Hathaway a escapar da prisão, e essa aliança foi considerada uma traição grave, já que vampiros e dampiros são criaturas terríveis e antinaturais, ameaças àqueles que os alquimistas devem proteger – os humanos. Com sua lealdade colocada em questão, Sydney se sente obrigada a voluntariar-se para uma tarefa nada agradável – ajudar a esconder Jill Dragomir, uma princesa vampira que está sendo perseguida por rebeldes que querem o poder. Caso ela seja capturada e assassinada, a rainha Lissa ficará sem nenhum parente vivo e, como manda a lei, terá de abdicar do trono – o que culminará numa guerra civil tão sangrenta no mundo dos vampiros que certamente afetará a humanidade.

Créditos: Skoob

Antes de começar a resenha, devo lembrá-los de que este livro é um spin-off da série Academia de Vampiros. Porém, não há spoilers ou conteúdo fofoqueiro na mesma.
Também preciso confessar que li Laços de Sangue sem ter lido Academia de Vampiros, portanto, minha opinião é baseada apenas no livro citado, sem influências da série anterior.

“- Mas gente louca querendo prejudicar meus amigos? Essa é a minha especialidade e, pode acreditar, sei dar conta disso.”

Na série Bloodlines somos apresentados a um grupo dinâmico de seres sobrenaturais. Se, para você, os personagens vampirescos já saíram de moda, acredite em mim, Richelle trouxe uma galera com características singulares e atraentes para qualquer leitor voltar a ser #teamalgumacoisa.
Sydney Sage é uma alquimista que, após suas aventuras e desobediências (provavelmente da série AV) está com muito medo de ser enviada para um centro de reeducação. Um termo bonito de dizer “lavagem cerebral”. O problema é que Sydney quebrou várias regras impostas pelos alquimistas, entre elas, ajudar uma vampira seguindo apenas suas sensações e não provas concretas. Mas uma nova missão surgiu e cabe aos alquimistas proteger os seres humanos contra qualquer aberração da natureza, mais conhecida como vampiros. Zoe Sage, irmã de Sydney, está prestes a ser convocada para esta missão quando Sydney convence os alquimistas (depois de muita discussão) a convocarem-na para a missão. Além do mais, Zoe não tinha completado o treinamento necessário para ir à campo ajudar os humanos, o que tornava o instinto de proteção dobrado. Qualquer problema que os alquimistas enfrentavam sempre envolvia uma das raças de vampiro, e ela sempre preferia os vivos, que não matam. Às vezes, eles quase pareciam humanos ( mas ela nunca diria isso a ninguém presente ali), e viviam e morriam como todos. Os Strigoi, no entanto, eram aberrações da natureza. Vampiros assassinos, que nunca morrem, criados ou quando um Strigoi forçava uma vítima a beber seu sangue ou quando um Moroi tirava a vida de outro de propósito, ao beber seu sangue. Problemas com os Strigoi costumavam terminar com alguém morto.

“- As maiores mudanças na história aconteceram porque as pessoas foram capazes de se livrar do que os outros lhes diziam para fazer.”

A missão consiste em proteger a irmã da rainha Vasilisa Dragomir, vampira da linhagem real dos Moroi. Jillian Dragomir precisa se esconder para que não se torne alvo fácil entre sua própria raça. E nada melhor do que se misturar com os humanos. Enquanto houver vunerabilidade no reino de Vasilisa, Sydney deve protegê-la dos Moroi, Strigoi e até dos humanos. Qual seria o melhor lugar para se esconder uma adolescente vampira de 15 anos? Claro, só poderia ser na Escola Preparatória Amberwood. Ou seja, Sydney terá que repetir o ensino médio; morar com uma vampira; mantê-la sob um programa de proteção à testemunha. E apesar de ter se gabado a respeito de ficar à vontade perto de vampiros, a ideia de dividir o quarto com uma – mesmo que fosse aparentemente benigna como Jill – era enervante. Não mais que isso, Syd terá algumas companhias para dividir suas tarefas.
Keith Darnell é um alquimista cinco anos mais velho que ela, e seu cabelo tem um tom de loiro mais claro do que o dela. Syd conhecia muitas garotas que o achavam bonito. Mas, ela? Achava que ele era péssimo. Era praticamente a última pessoa que esperava ver ali. Claro, sem esquecer do guarda-costas de Jill, Eddie, o dampiro que está pronto para dar sua vida pela princesa dos Moroi.
E um personagem super especial vai inundar o livro de sensualidade no estilo “garoto-lindo-imprestável”: Adrian Ivashkov. Assim como todos os Moroi, ele era pálido e alto, com um tipo físico esguio. Olhos verde-esmeralda a partir de um rosto que podia ter sido esculpido por um dos artistas clássicos. #suspira.

“Só posso pedir que me dê mais uma chance. Que tente acreditar em mim quando digo que vou fazer o que estou dizendo. Que acredite que eu estou falando sério. Que confie em mim.”

A aventura começa quando os três “irmãos” (Sydney, Jill e Eddie), com identidades falsas, entram para a Escola de Amberwood e precisam lidar com tantos hormônios, competições, amizades e situações cômicas. Nesse ínterim muitos personagens (humanos e vampiros) surgirão para criar um ambiente dinâmico. Por alguns momentos a gente esquece de que estamos lidando com personagens sobrenaturais. Tanto é que um assunto envolvendo alunos da escola desvia a atenção de Syd sobre a vampira Jill: dentro da escola Amberwood está rolando um “lance” sobre tatuagens poderosas. Alunos como Greg Slade sai pelos corredores exibindo a sua nova tatuagem cor de prata que lhe dá um poder incrível de velocidade. De onde têm saído essas tintas poderosas, se apenas os alquimistas as possuem? Em uma missão maior, outras menores e até mais complicadas surgem no caminho do grupo para atrapalhar (ou enfatizar, quem sabe?) a função de cada um. Será que Syd vai perder sua credibilidade com os alquimistas e Zoe terá que substituí-la na tarefa?
A pergunta mais importante é: você conhece quem é, realmente, o seu inimigo?

Nunca deixe que ninguém a faça sentir inferior. Nunca deixe que ninguém faça com que você se sinta invisível. Não permita que ninguém… nem mesmo uma professora que a manda buscar café o tempo todo… mande em você.”

Mais um pouco e eu conto o livro todo para vocês. Sério, a vontade de compartilhar detalhes sobre a história é enorme, só pra deixá-los com muita vontade de ler o primeiro livro da série Bloodlines, lançado pela editora Seguinte. Confesso que nunca tive vontade de ler Academia de Vampiros porque parecia ser uma daquelas séries idiotas que seguem a mesma linha clichê. Mas, obrigada Rich, você me surpreendeu! Para começar, Sydney não é uma songa-monga! Posso pular de felicidade? Quando peguei o livro nas mãos pensei “Ai, ai, lá vem uma personagem fraca da cabeça, cheia de frescura e probleminhas de adolescentes”. Fiquem tranquilos, a narrativa sob o ponto de vista de Sydney é fantástica. Creio que só há outra maneira de a história ser contada de forma tão estimulante: sob o ponto de vista de Adrian Ivashkov.
Está aí o outro personagem que se destaca na história sem você nem perceber (bom, eu pelo menos não imaginava). Gradativamente, Adrian conquista as páginas da história até se tornar imprescindível. Este se tornou o meu personagem favorito do livro.
No começo eu fiquei meio perdida com alguns termos utilizados na história, como Moroi, Strigoi e dampiros. Demorei um tempinho para me acostumar com esses termos, mas nada que me deixasse totalmente perdida. Como disse no começo do post, eu não li a série Academia de Vampiros e sei que perdi muitos momentos legais por causa disso. Porém a leitura fluiu tranquilamente e, ainda mais, me deixou curiosíssima para começar a série anterior. Outra característica que me animou bastante é que as cenas de conflito são bem explicadas, ou seja, você consegue se imaginar como um personagem “café-com-leite”. O vocabulário utilizado pela escritora é atual com algumas gírias e expressões idiomáticas, o que nos deixa mais perto do mundo real do que o surreal (caixões, cruz, luz do sol, água benta, etc.).

“É necessário tentar muitas vezes para atingir a perfeição. Bom, exceto para os meus pais. Eles acertaram de primeira.”

Se você já leu Academia de Vampiros com certeza terá mais intimidade tanto com os personagens quanto as mensagens em entrelinhas. Mas se você não leu, fique tranquilo, a história é tão boa que vai despertar novamente a curiosidade e até uma paixonite pelos personagens. Não espere nada macabro, com cenas fortes e trashs. A autora aplicou suas ferramentas de forma consistente e bem desenvolvida além de ter muitas cartas na manga!

Este é o primeiro de seis livros que compõem a série Bloodlines. O segundo livro da série, O Lírio Dourado está previsto para novembro aqui no Brasil (será que estou ansiosa?) e apresenta uma variação da logo da editora em cada capa da série.


Saiba Mais

Quero agradecer a Editora Seguinte e o blog Ler e Almejar pela oportunidade de conhecer esta autora de muito talento.
Compartilhe conosco sua opinião sobre este livro e deixe sua mensagem de aniversário para a Richelle Mead!
Beijos di moça!

Richelle Mead


Richelle Mead é uma leitora voraz, fascinada por mitologia e folclore. Autora reconhecida tanto pelo público como pela crítica na área da fantasia urbana para adultos. Autora da série bestseller, Vampire Academy, com fãs pelo mundo todo, e que ja ganhou honras da American Library Association.


Site da autora | Editora Seguinte

@blogdimoca no Instagram!

Di Moça :: Colecionando sonhos e palavras! - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015 - Ilustração por Juliana Rabelo