categoria2 category image

Garota Exemplar :: Gillian Flynn

28 . fevereiro . 2013

Caramba, como é complicado resenhar uma história que te faz roer as unhas o tempo todo! O problema maior é soltar alguma dica (spoiler), alguma informação que seja primordial e exclusiva de cada leitor. E neste livro temos exatamente isso! Preciso saber o que compartilhar com vocês e, digo desde já, serão poucas informações (já que vocês precisam se surpreender com as reviravoltas como eu!).
Uma história ardilosa, cheia de camadas e personagens muito bem construídos.

Garota Exemplar (Gone Girl)
Autora: Gillian Flynn
Páginas: 448
Editora: Intrínseca

* Livro enviado pela editora como cortesia.
Sinopse:
Uma das mais aclamadas escritoras de suspense da atualidade, Gillian Flynn apresenta um relato perturbador sobre um casamento em crise. Com 4 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo – o maior sucesso editorial do ano, atrás apenas da Trilogia Cinquenta tons de cinza –, “Garota Exemplar” alia humor perspicaz a uma narrativa eletrizante. O resultado é uma atmosfera de dúvidas que faz o leitor mudar de opinião a cada capítulo. Na manhã de seu quinto aniversário de casamento, Amy, a linda e inteligente esposa de Nick Dunne, desaparece de sua casa às margens do Rio Mississippi. Aparentemente trata-se de um crime violento, e passagens do diário de Amy revelam uma garota perfeccionista que seria capaz de levar qualquer um ao limite. Pressionado pela polícia e pela opinião pública – e também pelos ferozmente amorosos pais de Amy –, Nick desfia uma série interminável de mentiras, meias verdades e comportamentos inapropriados. Sim, ele parece estranhamente evasivo, e sem dúvida amargo, mas seria um assassino? Com sua irmã gêmea Margo a seu lado, Nick afirma inocência. O problema é: se não foi Nick, onde está Amy? E por que todas as pistas apontam para ele?

Crédito: Skoob

O amor é a infinita mutabilidade do mundo; mentiras, ódio, até mesmo assassinato, tudo está atrelado a ele; é o inevitável desabrochar de seus opostos, uma magnífica rosa com um leve cheiro de sangue.

– Tony Kushner, THE ILLUSION

Ela era a garota que toda garota queria ser. Linda, brilhante, inspiradora, e muito rica. Ele era o sujeito que todos os homens admiravam…bonito, engraçado, inteligente e encantador. Mas em cinco de julho, o mundo aparentemente perfeito dos dois desmoronou quando Amy Elliot Dunne desapareceu no dia do quinto aniversário de casamento deles.

Nosso suspense começa no Dia Do, cujo o rapaz perde a garota. Lance Nicholas Dunne (por favor, o chamem apenas de Nick) foi jornalista por onze anos na cidade de Nova York, na época em que as pessoas liam coisas em papel. Não bastasse o último suspiro dos dias de glória, sua mãe Maureen (prazer, Mamma Mo) é diagnosticada com câncer, obrigando-o a voltar à sua cidade natal, North Carthage (Missouri) com sua irmã gêmea Margo Dunne. Cuidar da mãe adoentada é uma tarefa que exige paciência e compreensão, e é claro que Amy Elliot não gostou nada disso. Aliás, Nick se lembra perfeitamente da esposa dizendo “Devo deixar minha alma do lado de fora?” ao chegar em sua nova casa. Eu entendo: sair de Manhattan e ir para uma cidadezinha como North Carthage deve ser, tipo, pagar os seus pecados, mas Amy tinha que entender aquilo. Afinal de contas, não é também para esses momentos que servem o casamento?
Ok, voltemos ao foco: hoje é o dia do. Nick e Amy completam cinco anos de casado. O rapaz de trinta e poucos anos já sabe qual o ritual que o espera nesse dia. Todo ano é a mesma comemoração: um caça ao tesouro e, pluft, lá está o presente. Mas antes de encarar o dia de celebração e sua própria esposa, Nick precisa de um scotch puro para apaziguar o sistema nervoso.
Quando se mudou para North Carthage (desempregado, vale lembrar), Nick teve a ideia de abrir um bar com sua irmã, Go. Uma ideia simples que manteria os irmãos ocupados e com uma grana no final do mês. O Bar (como resolveram chamar o bar) é uma exibição das mais pobres ofertas do design de todas as décadas. O Bar.
Sem enrolações, Nick está pronto para enfrentar o dia, quando chega em casa e para de repente. O carpete reluzia com cacos de vidro, a mesa de centro quebrada. As mesas de canto estavam caídas, livros espalhados pelo chão como cartas de baralho. Até o pesado divã antigo estava de cabeça para baixo, seus quatro pequenos pés no ar como algo morto. No meio da confusão havia uma tesoura afiada. Alguém entrou em sua casa, mas o que é pior: Amy não estava ali. Ela não estava na água, ela não estava na casa. Amy havia sumido.

Amy Elliot é filha dos psicólogos infantis e – vale mencionar com honra – escritores da série infantil Amy Exemplar: Rend e Marybeth. Seus livros são conhecidos pelas crianças, pelos pais das crianças, e ganharam muito dinheiro com ela (a série, não a filha). Mas toda glória tem seus desastres: os escritores deram à homônima de sua filha o que não podiam dar à própria filha: um marido! Pois é, no vigésimo livro, Amy Exemplar se casa! Uhuuu. Só que ninguém se importa, ninguém queria que Amy Exemplar crescesse (muito menos Amy, a filha). Deixem-na de meias três quartos, fitas nos cabelos. Como deve ser a sensação de ter um livro escrito com o seu nome, baseado no que você não faz (mas deveria fazer), como um constante livro de instruções (faça isso! faça aquilo!)? É óbvio que Rend e Marybeth sempre temeram que sua filha levasse Amy (a Exemplar) para o lado pessoal demais – sempre dizendo para não ver coisas onde não havia. Mas ainda assim, dá para notar que sempre que a filha faz algo de um jeito errado, Amy faz direito.
Começamos nosso suspense no dia que o rapaz perde a garota. Simples assim. Sem nenhuma pista, indicativos a não ser o diário de Amy – que nos é apresentado a partir do dia 08 de janeiro de 2005 – quando conhece Nick em uma festa no Brooklyn.
Amy é uma mulher com um cérebro brilhante e explosivo, trabalhava com testes em revistas (sabe esses testes que você adora fazer na sua revistinha favorita? “Qual o romance que você está vivendo?” “O que o seu parceiro espera de você?” “Você é do tipo ciumenta?”) em Nova York e era a garota da grande gargalhada e de um jeito fácil. Uma Garota Legal.
E a Garota Legal tem a chance de conhecer o rapaz bacana. As anotações do diário de Amy são intercaladas com o presente – o momento em que Amy desaparece na bagunça da própria casa – pelo próprio Nick. Ou seja, temos dois pontos de vista sobre o mesmo assunto: casamento.

Nick não sabe o que fazer – acho que qualquer um não saberia o que fazer mesmo com muitas horas em frente à TV com CSI. Está na hora de chamar a polícia, porque as primeiras 48 horas de um desaparecimento são cruciais. Os detetives Rhonda Boney e seu parceiro Jim Gilpin estão encarregados do caso. Mas por onde começar se o próprio esposo não sabe por onde começar? A partir deste pequeno-grande acontecimento, Nick é obrigado a trazer à tona verdades, fatos, situações e detalhes sobre a sua querida-amada-esposa Amy para nortear a polícia. Mas será que cinco anos de casamento são suficientes para conhecer a pessoa com quem se divide a mesma cama? A história de Amy poderia ter acontecido de um milhão de formas, mas ela desapareceu e coisas ruins aconteceram.

Minha esposa tinha um cérebro brilhante e explosivo, uma curiosidade voraz. Mas suas obsessões tendiam a ser alimentadas pela competição: ela precisava surpreender os homens e deixar as mulheres com inveja.
Ela precisava ser Amy Exemplar o tempo todo.

Leitor, a partir daí estamos prontos para começar uma baita trama perversa. Porque quando você acha que sabe o que está prestes a ser desvendado, vêm a segunda e terceira parte do livro que te arrastam com força para o mais íntimo dos segredos, a mais forte e aterrorizante verdade (o que, claro, não revelarei para vocês, porque esse é o ponto alto do livro, rá.)
Temos dois personagens, com milhões de segredos e artimanhas, mas que se completam. O longo clímax assustador. Nick é como um bom drinque forte: dá a perspectiva correta para tudo. Não uma perspectiva diferente, a perspectiva correta. Amy é a mulher que qualquer mulher anseia ser: brilhante, criativa, gentil, atenciosa, esperta e feliz.

O tempo passa e as quarenta e oito horas se vão. Agora Amy já está sumida há quase uma semana. Com as pouquíssimas pistas e a inutilidade de Nick em relação às perguntas importantes (“Onde você esteve durante as horas do desaparecimento de sua mulher?” “Quais eram os amigos de Amy?” “O que ela fazia?” “Alguém teria motivos para sequestrá-la?”), a polícia tenta montar um quadro de suspeitos e finalmente encontrá-la (viva, de preferência).
Houve uma garota muito perturbada no colégio. Hilary Handy. Ela se inspirou na melhor amiga de Amy nos livros, Susy. No começo era meigo, até. E depois foi como se isso já não bastasse; ela queria ser a Amy Exemplar, não Suzy, a amiga.
Desi Collings. Eles namoraram firme por um ano mas Amy começou a achá-lo preocupante: ele falava como se estivessem noivos, sabia quantos filhos teriam e de qual sexo. Depois que Amy terminou com Desi, ele ainda continuou frequentando o campus da faculdade e parecia manter um amor platônico até hoje.
Há a tal garota, Noelle Hawthorne, aquela que mora perto do casal. Ela disse à polícia que era a melhor amiga de Amy, quando o marido sabe que não era. Elas não eram sequer amigas. Ela está histérica, olhando para fotos de Amy, chorando. E se ela estava obcecada com Amy?
E Tommy O’Hara? O que você sabe sobre ele? Acusado de violentar Amy em um encontro em 2005. Ela estava saindo com ele de vez em quando. Houve um jantar na casa dele, as coisas saíram de controle e ele a estuprou.

Caramba, caro leitor, quantas pistas, suspeitos, sugestões do caça ao tesouro de aniversário de casamento, tudo para a polícia se direcionar e encontrar Amy, a desaparecida. Nick não tem muito tempo, os dias estão passando. E, nesse arrastar de dias, o marido tem que fazer uma confissão.
O cara tem uma amante. (Imbecil.)
Este é o momento em que ele precisa nos contar sobre isso, que tem uma amante e nós, leitores, não gostarmos dele (caramba Nick, que merda você arrumou para o seu lado?). Uma amante bonita, jovem, muito jovem, e seu nome é Andie. Suspeita número cinco.

Putz, a sujeira bateu no ventilador e se espalhou por todos os cantos, Nick. Você já era. O que faz a seguir?

a) Se mata;
b) Finge que nada aconteceu e continua lutando pela sua própria verdade;
c) Está na hora de procurar um advogado, um bom advogado, para tirar o seu traseiro safado das acusações de assassinato.
OPÇÃO C

Entra em cena, Tanner Bolt. Uma sinistra necessidade. Tanner Bolt ficara conhecido como o Falcão de Maridos – sua especialidade era se lançar em casos badalados para representar homens acusados de assassinar as esposas. O outro apelido de Tanner Bolt era Defensor de Babacas.
Mas um dia, tcharãm, tudo muda. Libertado sob fiança, aguardando julgamento.
A campanhia tocou três vezes seguidas: Nick-nick! Nick-nick! Nick-nick!
Nenhuma hesitação. Nick parara de hesitar no último mês: traga logo o problema.
Abriu a porta.
Era sua esposa.
De volta.

“(…) posso senti-la me mudando mais uma vez: eu era um garoto imaturo, depois fui um homem, bom e mau. Agora finalmente sou o herói. Sou aquele por quem torcer na interminável história de guerra de nosso casamento. É uma história com a qual posso conviver. Caramba, a esta altura não consigo imaginar minha história sem Amy. Ela é minha eterna antagonista.
Somos um longo clímax assustador.”

Só tenho uma palavra para dizer neste momento: CARACAS! Sabe aquela história que você tem (quase) certeza de que tem tudo sob controle, já prevendo o final e lendo as páginas de forma despretensiosa? Isso já aconteceu com você? Foi exatamente assim que imaginei que seria a leitura de Garota Exemplar. Mas acredite, leitor, você não tem ideia de quem realmente é Nick Dunne e Amy Elliot (Dunne). O retrato de um casamento macabro, é no mínimo como posso caracterizar. O desenrolar de um casamento – a partir de um acontecimento “trágico” – onde a verdade será revelada querendo você (Nick) ou não. Gente, sério, chega a me dar arrepios de tão bom que foi a leitura!
Eu ainda tenho dúvidas se levanto e aplaudo a construção dos personagens (que mencionei no começo da resenha, foram muito bem criados), as camadas da história (que são muitas) que se encaixam perfeitamente com os acontecimentos descritos nas páginas anteriores, a mente insana forte da personagem Amy, as verdades e desafios impostos à Nick ou à própria escritora – Gillian Flynn – que conseguiu unir tudo isso em um livro só! Clap-clap-clap!
Mais que recomendado, leitura obrigatória para fãs de thriller engenhoso e perverso. Para os que roem as unhas de curiosidade e ficam despertos com cada página lida. Você não vai se arrepender!
Compartilhe sua opinião nos comentários, suas expectativas quanto à leitura! Se você já leu, deixe seu ponto de vista registrado aqui na resenha!
E responda: você realmente conhece a pessoa que está ao seu lado na cama?

Gillian Flynn

Gillian Flynn é jornalista e, antes de se dedicar integralmente à carreira de escritora, trabalhou por dez anos como crítica de cinema e TV para a Entertainment Weekly. Nascida na cidade de Kansas, no Missouri, e formada em jornalismo e inglês pela Universidade do Kansas, Gillian escreveu durante dois anos para uma revista de negócios na Califórnia e concluiu um mestrado em jornalismo na Northwestern University, em Chicago.
Além de Garota exemplar, é autora dos premiados Sharp Objects e Dark Places. Seus livros foram publicados em vinte e oito países e tiveram os direitos de adaptação cinematográfica vendidos. Atualmente, Gillian mora em Chicago com o marido e o filho.


Site da autora | Blog da Intrínseca
categoria2 category image

Lançamentos Literários (Fevereiro)

16 . fevereiro . 2013

Parece que o ano finalmente começou! Após o período de férias e carnaval (adoro feriado prolongado), estamos dispostos a iniciar nossa rotina! Mas, para as editoras, o trabalho não para. Lançamentos e novidades vindo à tona todos os dias, enchendo nossos olhinhos de água. Com certeza, 2013 promete muitos livros na estante!
Confiram alguns lançamentos no mês de fevereiro das editoras parceiras do Meine Liege! ;)

NOVIDADES:

Apenas editoras parceiras. Veja aqui as editoras parceiras.

Gutenberg

Faça seu pedido – Mandy Hubbard

Adorei a publicação da Gutenberg “Faça seu pedido”. Sempre tive uma queda por personagens teen e Mandy Hubbard parece trazer não só o bolo, mas a festa toda para nossa estante.

Intrínseca

Extraordinário – R. J. Palacio

O fio – Victoria Hislop

No escuro – Elizabeth Haynes

A Torre Invisível #1 (Série Crônicas do Outro Mundo – Nils Johnson-Shelton

Confira mais lançamentos no Blog da Intrínseca

A Intrínseca tem me surpreendido agradavelmente com títulos que eu não conhecia antes. O ano começou super bem com O lado bom da vida e tenho certeza que Extraordinário segue a linha de cinco estrelas – quase favorito. Adorei as resenhas que li em outros blogs e espero lê-lo em breve!

Suma de Letras

O Príncipe da Névoa – Carlos Ruiz Zafón

Oksa Pollock e o Coração dos Dois Mundos #3 – Anne Plichota, Cendrine Wolf

De tanto as pessoas elogiarem Carlos Ruiz, tenho quase todos os livros dele (muito obrigada, promoções virtuais!) e pretendo ter “O Príncipe da Névoa” em minha coleção. Será que o escritor me prenderá em suas palavras, também?

Baraúna

As Pedras de Adão #1 (Os Sonatas) – Rondinelle Santos Boning

Dez_necessários – textos do cotidiano! – Fábio Abrahim Atala

O Economista – Ramon Carvalho Silva Bazon

Planeta

Seis Semanas Para Uau – Venice A. Fulton

O que você quiser – Sara Fawkes

A descoberta do Novo Mundo – Mary Del Priore

Canção do Mar #2 (Watersong) – Amanda Shocking

O que Sócrates diria a Woody Allen – Juan Antonio Rivera

Carta aberta de Woody Allen para Platão – Juan Antonio Rivera

Ganhei o primeiro livro da série Watersong da minha amiga Myris e ainda não tive a oportunidade de me dedicar à ele. Mas parece boa, apesar das resenhas duvidosas que li por aí. A capa continua atraente.

Arqueiro


O Inferno de Gabriel – Sylvain Reynard

Profecia #2 (Heresia) – S. J. Parris

É melhor não saber – Chevy Stevens

O preço da vitória – Harlan Coben

Poder absoluto – David Baldacci

A Arqueiro investiu muito bem em títulos de outros escritores já publicados por eles. Ainda quero ler Roubada de Chevy Stevens.

Novo Conceito

Lições de vida – Anne Tyler

Após a tempestade – Karen White

O Livro do Amanhã – Cecelia Ahern

Meu Amor, Meu Bem, Meu Querido – Deb Caletti

Adorei as novidades com Cecelia Ahern e Deb Caletti, novamente! Duas escritoras notáveis, que merecem mais publicações no Brasil.

E então, vale ou não vale a pena investir em alguns livros este ano? Acho que a missão “abstinência à compra de livros” terá que esperar mais um pouquinho. Quais livros vocês já têm ou estão de olho para colocar na estante?
Um beijo e até o próximo post!

categoria2 category image

Predestinados #1 :: Josephine Angelini

13 . fevereiro . 2013

Me presenteiem com um óleo de Peroba para eu passar na minha cara de pau. Sei que sumi e culpo o feriado sem vergonha que me deixou totalmente preguiçosa (mais do que já sou). Estou devendo alguns posts, estão atrasados mas – por conta de possíveis e breve mudanças no blog – adiarei algum deles. Espero contar com a paciência de vocês, leitores! ;)

Bom, hoje temos resenha nova, yeah! Cara, como é difícil tirar uma conclusão de um livro que não te agradou. É um desafio e tanto, né? E eu achei que seria tão fácil “meter o pau” naquilo que não me agrada. Engano meu, queridos. É mais difícil do que eu imaginava…

Predestinados #1 – Predestinados (Starcrossed #1 – Starcrossed)
Autora: Josephine Angelini
Páginas: 320
Editora: Intrínseca

* Livro enviado pela editora como cortesia.
Sinopse:

Helen Hamilton passou a vida inteira tentando disfarçar o fato de que é uma garota diferente, mas agora, aos dezesseis anos, isso está cada vez mais difícil. Não apenas por causa de sua força sobre-humana ou porque às vezes, sem motivo aparente, pessoas estranhas simplesmente a atacam, mas também porque ela teme que seu juízo esteja seriamente comprometido. Pesadelos recorrentes com uma estranha viagem pelo deserto e a visão de três mulheres derramando lágrimas de sangue a tem atormentado noite e dia. Ao mesmo tempo, um impulso inexplicável, incontrolável, passa a dominar seus pensamentos: Helen quer matar Lucas, um dos rapazes da glamorosa e misteriosa família Delos. À medida que descobre mais sobre sua verdadeira origem, ela percebe que a relação dos dois está submetida não só à sua vontade, mas a forças e tradições ancestrais.
Predestinados é inspirado na Ilíada, de Homero. A feliz combinação de mitologia grega e romance faz com que o livro seja imediatamente comparado a Crepúsculo e Percy Jackson e os olimpianos.

Crédito: Skoob

“- Por que você não se rende? – Sabe que alguma hora algo espetacular vai acontecer com a gente. Nós somos fabulosas demais para sermos comuns.”

Nascida e vivida em Nantucket, uma ilhota em Massachussets, Helen Hamilton é uma adolescente de quase dezessete anos diferente de qualquer outra da ilha: incrivelmente alta e com uma velocidade impressionante; diferente pela sua qualidade nerd; odeia chamar a atenção de qualquer pessoa e tem uma amiga asiática super pequeninha (de um metro e meio) com a melhor risada do Universo. Claire Aoki é, sem dúvida, a Risadinha da vida de Lennie. Abandonada pela mãe desde que nasceu, Helen segue sua vida ao lado do pai, Jerry Hamilton como pode: trabalhando na loja News Store ao lado de Kate Rogers – uma excelente confeiteira de trinta e poucos anos (Kate é uma dessas mulheres que conseguem transformar qualquer coisa em torta, bolo, biscoito ou muffin).
Na verdade, a vida de Helen é sem sal e sem pimenta. Viver em uma pequena ilha não tem suas honras. Mas um burburinho começa na escola quando uma família se muda da Espanha para a mansão em ‘Sconset. Dois homens irmãos, a irmã mais nova deles, uma esposa e cinco filhos. Família meio grande, não? Motivo suficiente para ser assunto na escola e até na ilha inteira. Só Helen não se sente atraída pela família Delos. Mesmo com a beleza da família, a inacreditável inteligência e riqueza, tudo só deixava Helen mais nervosa. E, como não notar a diferença na cidade desde a chegada deles? O ar pesado e parado, embora seja uma cidade perto do mar, onde o vento é constante. Tudo está excepcionalmente quieto na ilha, nem som de insetos e pássaros. Também não sente fome – recusando de seu prato preferido até um iogurte. Algo está errado, mas por quê?
Quando Lennie tem a chance de conhecer os Delos de perto, a sua vida – passado e até futuro – estão prestes a serem revelados.
Nesse meio tempo, Helen começa a ter pesadelos muito sinistros, envolvendo três velhas-irmãs no deserto, chorando lágrimas de sangue. Com os pés cortados por causa das rochas e arranhões de espinhos, Len acorda com a boca muito seca, com muita sede, como se realmente tivesse vagado pelo deserto do pesadelo. Os cortes e arranhões somem com o tempo, mas as marcas nos lençóis de sujeira e sangue deixam claro que a garota não é louca.
Hector é um ano mais velho que Jason e Ariadne, que são gêmeos. Lucas e Cassandra são irmãos e primos dos outros três. E é exatamente com Lucas que Helen descobrirá a força de uma semideusa dentro de si.

“- Por que você não se rende? – Sabe que alguma hora algo espetacular vai acontecer com a gente. Nós somos fabulosas demais para sermos comuns.”

Ao se deparar com Lucas pela primeira vez, na escola, Helen tem um acesso de raiva descomunal. Partindo para cima do garoto, Len fica possessa, tentando matá-lo. As vozes das três irmãs ressoam nos ouvidos de Lucas e Len. As assombrações são reais para a família Delos também. Alguém explica a situação para Lennie?
Uma peça chave na história e profecia dos semideuses, Helen encontrará uma nova versão de si mesma, poderosa e com muitas responsabilidades para salvar quem ama.

Sem conhecer o seu próprio passado, – quem é sua mãe e de onde veio – Lennie terá muitas notícias sobre si mesma a partir desta família tão estranha e exótica. Lucas é o responsável por muitos acontecimentos estranhos virem à tona e Len precisa se ajustar à essa nova situação, controlar a raiva sobre o garoto e viver em paz com ele. Mas será possível? Por que sente uma vontade louca de matar Lucas?

Angelini criou um mundo de semideuses gregos, no qual os personagens míticos são reais e se repetem ao longo das gerações. Os Descendentes são filhos dos deuses, possuem poderes herdados dos mesmos e são membros de quatro Casas diferentes (iniciadas por quatro deuses diferentes). As Fúrias (as três senhoras irmãs, assombrações de Helen, lembram?) são suas maldições desde a Guerra de Troia.
Partimos em busca, com toda a família Delos e Helen, à procura da sua própria origem. À qual Casa Helen pertence? Quem foi sua mãe? Toda e qualquer pergunta deve ser feita com muito cuidado porque as respostas podem não ser uma benção dos deuses.

Creon, também da família Delos, está disposto a obter o que é seu por direito: a imortalidade. Mas a descoberta de uma sobrevivente, de uma outra casa, pode constranger seus planos e o rumo planejado ser desfeito. Helen precisa tomar cuidado não apenas consigo mesma, mas com outros membros da família Delos.

Não quero enrolá-los com características que podem ou não engrandecer a história deste primeiro livro da série Predestinados. Eu não gostei. Fui seca ao pote, apaixonada pela capa, pela sinopse e por todos os comentários positivos que li sobre esse livro. Como todo primeiro livro de uma trilogia/série, este introduziu e especificou as características dos semideuses, seus poderes e o significado de todo o mistério. Creio que o primeiro ponto que me desmotivou foi a narrativa em terceira pessoa. Uma tragédia grega que não fluiu pra mim. A leitura foi cansativa, demorada e um pouco forçada, confesso.
E, devo ter um problema muito sério porque, ultimamente, todos os livros sobrenaturais que leio, encontro uma característica da saga Crepúsculo. Em Predestinados, não foi diferente (este é o segundo ponto). A autora até tentou fazer uma piada com comparações entre vampiros e semideuses mas foi apenas uma confirmação da minha convicção. A força na velocidade, as habilidades sobrenaturais, as características de Lucas, Hector, Ariadne e Cassandra, a construção da família, os inimigos da própria Casa, etc. São pequenas comparações, mas para mim teve um peso muito cansativo.

Na minha humilde opinião: a autora não conseguiu dar consistência aos seus personagens e ao desenrolar da história (terceiro ponto). Sério, eu adorei as Fúrias atormentando a vida de Helen, mas elas passaram muito rápido. Quando a autora descreveu os pesadelos de Len, achei que teria muitas cenas “macabras” na história. Os acontecimentos perdem força com o passar das páginas. Nenhum personagem me cativou – nem mesmo Lucas.

“Se não quiser contar a verdade, por favor, pelo meu bem, não diga nada.”

Claro que o livro tem seus pontos positivos, mas eles não sobressaíram. Os semideuses gregos vistos em adolescentes nos dias modernos, a força e o poder sobrenatural de cada um – desenvolvido de acordo com a descendência do respectivo deus grego. As Fúrias e as descrições dos pesadelos de Helen. Mas foram momentos tão rápidos que não tive tempo me envolver completamente nesses pontos.
Mas o mais importante aconteceu: minha curiosidade foi reparada. Com tantas resenhas positivas, jamais imaginei que eu pensaria diferente sobre esse livro. Por isso acredito que, se você ainda tem vontade de ler este livro, leia! Tenha a sua própria experiência com os personagens, os momentos e a trama. E, claro, compartilhe sua opinião e expectativa sobre Predestinados!

Um beijo e até o próximo post!

Josephine Angelini

Josephine Angelini nasceu em Massachusetts e é a mais nova de oito irmãos. Filha de um fazendeiro, ela se formou em teatro pela Universidade de Nova York e hoje mora em Los Angeles com o marido, roteirista.


Site da autora | Blog da Intrínseca
categoria7 category image

Adaptações literárias para o cinema 2013!

05 . fevereiro . 2013

Estou surpresa com tantas adaptações literárias para o cinema neste ano! Imagino que, daqui para frente, serão muitas histórias passando do papel para a telona.
Na verdade, o cinema tem usado de livros, gibis, histórias em quadrinhos para se reinventar. Parece que está dando certo, apesar de muitas vezes não fazer jus ao livro e/ou alcançar o resultado esperado. Drácula do renomado Bram Stocker, A lista de Schindler, Entrevista com o Vampiro da digníssima Anne Rice, Senhor dos Anéis, Harry Potter, histórias do famoso escritor-do-terror Stephen King (O Iluminado, Carrie – A Estranha, O Aprendiz, etc.), o famoso psicopata Hannibal Lecter, entre outros.
Para você, isso é bom? Acredita que é uma forma de valorizar uma obra literária, ou apenas uma forma visível de que o cinema está numa ressaca criativa? Enfim, este não é o post para discutir o assunto – embora você esteja livre, leve e solto(a) para falar sobre isso nos comentários – e trago para vocês, de forma simples e humilde, alguns livros que foram e serão adaptados em 2013! ;)

As datas podem sofrer alterações. Caso isso ocorra, o post será atualizado.

Alguns filmes não têm trailer e/ou pôster oficialmente liberados. Assim que publicados, o post também será atualizado.



O lado bom da vida – 01/02/13. Lançado pela editora Intrínseca.

Os Miseráveis – 01/02/13. Lançado pela editora Martin Claret.
Veja mais editoras aqui.

Hitchcock – 08/02/13. Lançado pela editora Intrínseca.

Meu namorado é um zumbi – 08/02/13. Lançado pela editora LeYa com o título Sangue Quente.



Ana Karenina – 15/02/13. Lançado pela editora Ediouro.
Veja mais editoras aqui.

O Aprendiz – 15/02/13. Lançado pela editora Bertrand.

Dezesseis Luas – 01/03/13. Lançado pela editora Galera Record.

A Hospedeira – 29/03/13. Lançado pela editora Intrínseca.



Um porto seguro – 05/04/13. Lançado pela editora Novo Conceito.

Percy Jackson e o Mar de Monstros – 15/04/13. Lançado pela editora Intrínseca.

A Passagem – 26/04/13. Lançado pela editora Sextante.

O grande Gatsby – 14/06/13. Lançado pela editora Record.
Veja mais editoras aqui.



Guerra Mundial Z – 28/06/13. Lançado pela editora Rocco.
Veja mais editoras aqui.

12 Anos de Escravidão – 08/09/13. Lançado como biografia de Solomon Northup.

Carrie, A Estranha (Remake) – 15/11/13. Lançado pela editora Suma de Letras.

O Hobbit – A Desolação de Smaug – 13/12/13. Lançado pela editora Martins Fontes.



Cidade dos Ossos – 23/08/13. Lançado pela editora Galera Record.

O Símbolo Perdido – 18/10/13. Lançado pela editora Sextante.

Em Chamas – 15/11/13. Lançado pela editora Rocco.

Como se tornar o pior aluno da escola – Sem data definida. Lançado pela editora Panda Books.



Hush Hush – Sem data definida. Lançado pela editora Intrínseca.

Incarceron – Sem data definida. Lançado pela editora Novo Século.

A Passagem – Sem data definida. Lançado pela editora Sextante.

Antes de dormir – Sem data definida. Lançado pela editora Galera Record.

Vocês se lembram de mais alguma adaptação para este ano? Compartilhe conosco nos comentários! Particularmente, estou ansiosa por Hush Hush! Amo essa série e falta apenas Finale para encerrar a série! Incrível! *-*
Por qual filme você anseia mais? Já leu os livros antes?
Boa semana e até o próximo post!

12

@blogdimoca no Instagram!

Di Moça :: Colecionando sonhos e palavras! - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2015 - Ilustração por Juliana Rabelo